28 dias na África: roteiro completo e com preços África do Sul, Suazilândia, Botsuana, Namíbia, Zimbábue e Zâmbia

19

AI MEU DEUS, É HOJE QUE EU EMBARCO! Muita ansiedade nos últimos 40 dias planejando minha primeira viagem para a África. Li muuuuuito, fiz infinitas simulações no Google Maps, incluí e retirei destinos, me virei nos 30 pra fazer tudo que eu queria sem falir nem precisar adiar a passagem de volta – vontade não faltou, mas meu primo casa no Brasil e quero muito estar aqui nesse momento especial da vida dele!

Ao todo serão 28 dias chegando e voltando por Joanesburgo. Vou passar dois dias na Suazilândia, o menor país do hemisfério Sul. De lá, vou para Cidade do Cabo, de onde vou percorrer em uma semana a famosa Garden Route, conhecendo algumas das melhores praias do país. Essa parte da trip será sozinha. Chegando a Joanesburgo de volta, encontrarei uma grande amiga, a Paty – fotógrafa incrível e colunista do blog Mochilando – e vamos seguir viagem juntas. Faremos um safari de oito dias com direito a acampamento e muitas horas de caminhão na estrada percorrendo Botsuana, cruzando para Namíbia e terminando em Victoria Falls, no lado do Zimbábue. Lá estamos planejando atravessar por conta própria para a Zâmbia para conhecer os dois lados das cataratas, e depois seguir descendo por via terrestre pelo Zimbábue até chegar a Joanesburgo. Aí eu volto para o Brasil, e ela segue viajando por mais dez dias lá.

Eu peguei uma super promoção da LATAM e paguei 1850 reais na minha passagem, ida e volta já com taxas, Rio de Janeiro x Joanesburgo.

Abaixo vou colocar como está minha programação até o momento. Claaaaaro que alterações podem surgir ao longo da viagem, estou sempre aberta às oportunidades do caminho. Mas já fica como uma sugestão para quem queira fazer um roteiro parecido. E na volta eu conto tudinho em detalhes como foi.

Atenção: já voltei de viagem e atualizei o roteiro abaixo do jeitinho que ele ficou ao final da trip, com preços, nomes das hospedagens, meios de transporte, mapa dos deslocamentos… Ah, e uma tabela com os principais gastos discriminados ao final do post 😉

Dia 1 – Chegada a Joanesburgo e peguei um shuttle direto para Suazilândia, onde me hospedei no Sondzela Backpackers hostel, na região de Malkerns

Dia 2 – Passei o dia turistando na Suazilândia. Leia nesse post como foi o meu fim-de-semana no menor país do hemisfério Sul

Dia 3 – Voltei para o aeroporto de Joanesburgo com o mesmo shuttle da ida, e de lá peguei um voo para Cape Town com a FlySafair. Em CT me hospedei no Ashanti Lodge Gardens

Dia 4 – De manhã fiz rapel na Table Mountain com a Abseil Africa e à tarde fiz um tour de artes e cervejas com a And Bikes em Cape Town. À noite curti o bar do meu próprio hostel.

Dia 5 – Nesse dia fiz um passeio ótimo com a Baz bus para Cape Peninsula, com direito a visitar Boulders beach – a praia dos pinguins!

Dia 6 – Comecei a percorrer a Garden Route utilizando o Baz Bus como meu meio de transporte oficial. Minha primeira parada foi em Wilderness, onde me hospedei no maravilhoso Wilderness Beach House Backpackers

Dia 7 – Wilderness é um vilarejo bem pequeno, mas que indico demais incluir em seu roteiro. Leia aqui como foi minha passagem por lá e a linda casa na caverna de frente para o mar que eu conheci. De Wilderness segui com a Baz Bus para Stormsriver, onde me hospedei no Dijembe Backpackers

Dia 8 – Em Stormsriver eu fui até o Tsitsikamma National Park, onde fiz uma incrível trilha que levava até uma cachoeira que deságua em frente ao mar. Indescritível! E depois fui com a Baz Bus de Stormsriver para Jeffreys Bay, o paraíso dos surfistas. Lá me hospedei no incrível Island Vibes Backpackers.

Dia 9 – Nesse dia eu iria para Porto Elizabeth, mas amei tanto a vibe de Jeffreys Bay e do meu hostel, que pronlonguei para ficar mais um dia. Fiz aulas de surf, visitei as lojas de fábrica de diversas marcas de surf e à noite fiquei tomando uma cervejinha e comendo pizza no meu hostel.

Dia 10 – Segui de Jeffreys Bay para Porto Elizabeth e de lá peguei um voo da FlySafair para Joanesburgo, onde encontrei a Paty e nos hospedamos no Curiocity Backpackers Hostel.

Aqui eu terminei de percorrer a Garden Route. As distâncias que eu fiz em uma semana são “pequenas”, totalizando desde Cape Town até Port Elizabeth uns 800km. O ideal é fazer esse trajeto com mais calma, em pelo menos uns dez dias. Mas meu tempo foi curto, e um amigo que morou na África do Sul me ajudou a montar esse roteiro e disse para não me preocupar muito, pois em todas essas cidades não há tanta vida noturna, e muita gente faz esse trajeto assim, mais corridinho mesmo (obrigada, Cenê!). Em Wilderness e em Stormsriver eu fiquei pelo período exato de 24 horas, pois o Baz Bus sempre chega e parte no mesmo horário das cidades. Por exemplo, eu cheguei a Stormsriver por volta de 19h, e fui embora nesse mesmo horário no dia seguinte. Esse foi meu roteiro na Garden Route:

Dia 11 – Acordamos com calma, tomamos café da manhã perto do nosso hostel e depois pedimos um Uber para ir para Soweto. Lá nos hospedamos numa casa na árvore no lindo Lebo´s Backpackers. Durante o dia saímos para conhecer o centrinho de Soweto, mas não nos sentimos muito seguras para andar fora da rua principal. Utilizamos uber para ir e para voltar pro hostel.

Dia 12 – De manhã ficamos curtindo o nosso hostel e à tarde pegamos um Uber de volta para Joanesburgo. Nesse dia encontramos uma amiga da Paty e ficamos em casa tomando vinho e comendo pizza.

Dia 13 – Logo pela manhã cedo fomos para o ponto de encontro de onde sairia o nosso overland tour com a Nomads Tours, saindo de Joanesburgo em direção a Tuli Block, em Botsuana – cerca de 450km de distância. Não sabe o que é um overland tour? Então você previsa ler esse post onde ocnto sobre um dos passeios mais populares da África! Chegando a Maun, dormimos cedo para fazer um game drive no dia seguinte.

cutout-5-250x150

Dia 14 – Às 5h da manhã saímos para fazer um game drive e logo dpeois tivemos um dia super longo na estrada, em que percorreremos cerca de 700km para ganhar tempo pros dias seguintes, desde Tuli Block até Maun, de onde exploramos o Okavango Delta.

Dia 15 – dia tranquilo de passeio de barco pelo delta, e depois um carro nos levou para um lugar onde fizemos base de acampamento por duas noites.

Dia 16 – dia de atividades no entorno do Okavango Delta

2011_10_26-08_45_34-1004-250x150

Dia 17 – nesse dia fomos 160km em direção ao Norte, atravessamos a fronteira com a Namíbia, e pernoitamos apenas um dia nesse país

Dia 18 – viajamos 435km em direção a Kasane, onde começamos a conhecer o Chobe National Park. Nesse dia, no fim da tarde, fizemos um cruzeiro com o pôr do sol.

Dia 19 – seguimos em direção a Victoria Falls, sendo que pela manhã houve mais um game drive e à tarde visitamos as cataratas de Victoria pelo lado do Zimbábue. À noite jantamos no restaurante Mama Africa, de comidas típicas.

Dia 20 – Nesse dia aproveitamos para descansar! Aqui acabou nosso safari com a Nomad Tours, e a partir desse dia eu e Paty viajamos por conta própria. Nas duas noites seguintes nos hospedamos no Shoestrings Backpackers, em Victoria Falls, Zimbábue.

Veja todos os detalhes desse safari com a Nomads Tours aqui.

E leia também meu diário de bordo contando como foi fazer esse overland tour de 8 dias pela África

Nesse mapa abaixo veja o roteiro que percorreremos nesse safari de 8 dias com a Nomads Tours:

Dia 21 – atravessamos para Zâmbia para conhecer o outro lado das cataratas e também a Devil´s pool – fizemos esse passeio com a agência Tongabezi. À noite ficamos tomando cerveja no nosso hostel, pois era sábado e estava rolando uma festa lá.

Dia 22 – bem cedinho pegamos um ônibus local para Hwange, onde nos hospedamos no maravilhoso lodge Sable Sands. Esse lodge por si só era uma atração à parte. Sem cercas, os animais chegavam perto de nossas suítes e não era preciso nem mesmo fazer game drives. Além disso, a família que administra esse lodge é muito amável e fez nossos dias aqui parecerem um sonho.

Dia 23 – curtindo o Sable Sands

Dia 24 – curtindo o Sable Sands

Dia 25 – fomos de carona de Hwange para Bulawayo, onde nos hospedamos para no dia seguinte pegarmos um ônibus para Joanesburgo. Ficamos no Burke´s Paradise Backpackers.

Dia 26 – turistamos rapidamente no centrinho de Bulawayo antes de pegar nosso ônibus para Joanesburgo, numa viagem prevista para durar 14 horas.

Dia 27 – chegamos a Joanesburgo logo pela manhã e fomos para a casa de uma amiga, Thaís, que nos recebeu super bem. Nesse dia aproveitamos para fazer as últimas comprinhas no mercado antes de voltar para o Brasil {não deixe de trazer vinhos e qualquer molho feito com peri peri, uma pimenta daqui} e também para dar umas voltinhas por Joburg. À noite peguei meu voo de volta para o Brasil.

Dia 28 – aterrisei no Rio e agora sigo sonhando com o dia em que retornarei à África…

Veja abaixo a tabela com os principais gastos para fazer essa viagem ou clique aqui para salvar essa tabela no seu computador.

gastos-de-viagem-mochilao-africa

Essa viagem ficou do jeito que eu gosto! Ao mesmo tempo em que estava bem planejadinha e eu tinha uma ideia de tudo que iria conseguir percorrer, também tive alguns dias em aberto para incluir programações que eu decidi lá na hora – como esse último rolé pelo Zimbábue.

Foi maravilhoso conviver em meio a leões, elefantes, zebras, girafas, hipopótamos e desbravar países tão diferentes do nosso e com pessoas tão amáveis! Essa viagem foi única e fiquei muito feliz em ter a companhia da Paty compartilhando tudo isso comigo.

awmoz11-1112-250x150

Aproveito para agradecer ao site de reservas de hospedagem HostelWorld, que está patrocinando minhas acomodações nos melhores hostels da África; ao Baz Bus, hop on hop off oficial dos mochileiros da África do Sul, que me ofereceu tickets para fazer todo o trajeto entre Cape Town e Porto Elizabeth; ao Nomad Tours, que apoia o blog no safari de oito dias que farei com a Paty; a EasySim4u, que enviou um chip de celular que vai me permitir ter internet durante boa parte da viagem e atualizar minhas redes sociais com as dicas fresquinhas lá no dia-a-dia; ao Sable Sands que nos recebeu por três dias nesse lodge incrível. Parceiros incríveis que ajudaram a tornar essa trip ainda mais inesquecível!

Mostrei tuuuudo pelo snapchat (fuigosteicontei), pelo Instagram {corre lá pra ver os vídeos, estão lindos!}, pelo Twitter, pela Fanpage.

Obrigada também a todo mundo que viveu esse sonho comigo e acompanhou cada aventura que rolou nessa trip! Saber que vocês estão desse lado aí mandando um monte de energia positiva faz toda a diferença nas minhas viagens <3

E leia também os outros artigos que já escrevi sobre essa aventura pela África aqui no blog…

28 dias na África: roteiro África do Sul, Suazilândia, Botsuana, Namíbia, Zimbábue

Primeiro dia na África – perdi minha mochila com tudo dentro

Um fim de semana na Suazilândia – o menor país do Hemisfério Sul

Wilderness – o vilarejo da África do Sul onde eu poderia viver para sempre

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion19 Comentários

  1. Quero muito fazer essa viagem em breve e é claro que vou usar todas as dicas do seu blog! ❤️❤️❤️❤️
    Aproveita, Carlinha! 😘

  2. Pingback: Um fim de semana na Suazilândia, África – o menor país do hemisfério Sul! | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  3. Olá! Parabéns pelo conteúdo, estou animada lendo sua rotina!!! Estou indo à Namíbia e estou em dúvida quanto à permissão de dirigirmos por lá. Sabe me dizer se o PID é obrigatório para uma permanência de 20 dias no país?
    Obrigada

    • Oi, Kauana!
      Poxa, eu fiquei apenas uma noite na Namíbia e não aluguei carro lá.
      No Zimbábue me falaram que não era necessário. Mas acho sempre melhor ter o PID em mãos, pois pode acontecer de pedirem. É rapidinho para tirar e não é caro 😀

  4. Pingback: O que é e como funciona um overland tour na África? | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  5. Pingback: Meu overland tour de 8 dias na África – por África do Sul, Botsuana, Namíbia e Zimbábue | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  6. Pingback: Stormsriver, na Garden Route, África do Sul – onde uma cachoeira incrível deságua em frente ao mar | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  7. Pingback: Baz Bus, na Garden Route – 10 dicas para usar o único transporte de mochileiros da África do Sul! | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  8. Pingback: Meus 6 passeios preferidos na Cidade do Cabo – ou Cape Town – na África do Sul | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  9. Pingback: Internet no celular na África: usei e indico a EasySim4u | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  10. Pingback: Victoria Falls, qual lado visitar: Zim ou Zam? | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  11. Oi Carla, estou me planejando para ir em setembro de 2017, mais especificamente no dia 19/09. Sabes me dizer como é o clima por lá nessa época?

    Obrigada! <3

  12. Em que época do ano você comprou sua passagem? Estou indo para lá em dezembro e as passagens estão bem caras por agora, não sei se espero por uma promoção ou se deve comprar antes que os preços aumentem! Obrigada 😊

  13. Carla , estou planejando ir para a Africa do Sul em meados de 20/12/2017,

    Não comprei minha passagem ainda, e vi que você comprou em uma promoção por 1850,00.
    Queria saber em que época você comprou sua passagem por esse preço, para saber se eu devo esperar até surgir essa promoção ou comprar logo por 3 mil reais..

    Obrigado.

Reply To Milena Cancel Reply