Dicas de Paris por uma insider – Parte 1: Pontos (nem tão) Turísticos

9
Essa semana teremos uma sessão de posts sobre Paris muito especial aqui! Uma grande amiga, mais uma apaixonada pela Cidade Luz, preparou um guia com suas melhores dicas, indo desde os passeios mais batidos (com seus pitacos que só uma local sabe dar), até os restaurantes frequentados pelos locais e festinhas badaladas entre os franceses. A Gisele esteve em Paris pela primeira vez em 2011, se apaixonou e, em 2015, se mudou para lá para um intercâmbio de seis meses na capital dos sonhos. Nesse meio tempo começou a namorar um francês e de lá para cá já voltou a Paris esse ano (sim, de novo!) para uma temporada mais curta, de três semanas.
Não restam dúvidas de que ela sabe do que está falando. E que por aí ainda vêm muuuuitas visitas a Paris! Eu amei a forma como ela compartilhou as dicas dela – e já não vejo a hora de ler as próximas. Separamos os posts em três partes: 1- Pontos Turísticos; 2- Gastronomia; 3- Vida Noturna. Começamos hoje com o básico de toda viagem: o que visitar em Paris. Vem com a gente! E boa leitura! 😉
…Um amigo uma vez me disse: “Tá na moda dizer que não se gosta de fazer programas de turista em viagens. Só que os programas de turista têm que ser bons, senão não teriam tantos turistas neles”. Na hora eu ri porque nunca tinha parado para pensar por esse lado. Depois fiquei pensando que é fácil encontrar uma enxurrada de dicas, guias e afins sobre “o que” se fazer em um tal lugar, mas que o que conta mesmo é “como” fazer. O principal e mais gostoso desafio é turistar se sentindo em casa.
Por isso resolvi convencer a Carla a me deixar invadir o querido Fui, Gostei, Contei. Quero dividir com vocês as experiências mais gostosas que tive em Paris. “Ah, mas Paris é tão clichê!”, você diz. Mas eu vou mostrar como até os destinos mais clássicos podem ser experimentados de novos jeitos e vou dar dicas que você não vai encontrar tão fácil por aí. Eu dividi o conteúdo em 3 posts: Passeios, Gastronomia e Saídas.
A primeira ideia que se tem que ter na cabeça quando se vai para Paris é que ela é uma cidade para se conhecer andando (e muito). Então, tente programar visitas a locais próximos, fazendo mini roteirinhos pela cidade. Isso é bom também para evitar longos trajetos de metrô que, apesar de ser muito funcional, não merece ganhar muito do seu tempo. Então abra um bom mapa da cidade aí e me acompanhe.
Seja introduzido à cidade pelo Free Walking Tour – Um bom começo para iniciantes (e até experientes) é fazer o tour do Sandeman que sai da praça Saint Michel, no 6ème. Vocês já devem conhecer o tour porque ele existe em muitas cidades no mundo, mas sempre vale lembrar. O trajeto desse é bem interessante, saindo do Quartier Latin (bairro latino) e chegando até o Jardin de Tuileries, em frente ao Louvre. Vale a pena também para conhecer a história da cidade! Super recomendo. Uma boa opção é combinar visitas no 6ème antes do tour e no 1er após.
Encante-se pelo Jardin du Luxembourg – É um dos melhores lugares de Paris. Vale muito a pena em qualquer estação do ano, mas principalmente em dias ensolarados. Passeie pelas vias e descanse um tempo nos bancos ao redor das fontes. É ótimo também para fazer um piquenique ou ser mais fit e correr no fim do dia.
Dica de local: um bom parisiense pega uma cadeira pra sentar e a outra pra pôr o pé.
Perca-se pelas Blvd Saint-Germain, Rue de Rennes e redondezas – Sair do Luxembourg e passear pelas ruas próximas é uma delícia. Essa região é cheia de lojinhas, bares e restaurantes bem parisienses. Tem também grandes lojas e algumas das “maisons” mais chiques. Falando em chique, é legal dar uma passada na La Grande Épicerie de Paris, na Rue de Sèvres. Ela é a Galeries Lafayette da gastronomia: só tem do bom e do melhor.
Caminhe até a Île-Saint-Louis e o Institut du Monde Arabe – A Île-Saint-Louis fica ao lado da Cité, que é a ilha onde Paris foi fundada e onde está a Notre-Dame. Ela é uma graça e vale uma passagem. Principalmente porque lá você pode encontrar a loja de uma das melhores marcas de sorvete do mundo: Berthillon (recomendo o sorvete de framboesa com rosas). Aconselho também dar uma passadinha no Institut du Monde Arabe para conferir uma vista especial (e de graça) do Sena e da Notre-Dame.
Falando na Notre-Dame de Paris… Não deixe de subir na igreja. É um dos passeios mais bacanas da cidade e que muitos ainda não conhecem. Se possível, deixe para ir nos últimos horários e veja o pôr-do-sol lá de cima. Será a vista mais linda que você verá de Paris.
Dicas de turista:
  • Cuidado com as filas! Pode não ser uma opção muito legal se você for visitar em alta temporada.
  • Visite a Sainte Chapelle, uma igrejinha linda dentro do Palais de Justice de Paris (palácio da justiça), que é pertinho da Notre-Dame. Ela é toda feita com vitrais que contam as grandes histórias bíblicas e eles são quase todos originais!
Andando no nosso mapa e subindo mais um pouco a gente chega na Rue du Rivoli: antro das compras fast-fashion. Você vai se perder com tanta loja e nem preciso falar muito sobre isso. Descendo a Rivoli (indo para a esquerda no mapa) estão Louvre, Jardin des Tuileries, Place de la Concorde, Av. des Champs-Élysées. Você pode encontrar ótimas dicas sobre eles em diversos sites de viagens, mas minha sugestão é ir andando desde o Louvre, parando para apreciar o Jardin de Tuileries, e continuando até o final da Champs-Élysées, onde você vai encontrar o Arco do Triunfo.
Andando no sentido oposto eu vou levar você para caminhar no Marais – O bairro também já é bastante conhecido e cheio de recomendações, mas deixo aqui registrado o quanto acho agradável passear pelas ruas peculiares, cheias de brechós e lojinhas artesanais. O bairro também é ótimo para degustar um bom falafel ou outras comidas típicas da região do Oriente Médio.
Outro lugar muito bom para passear é Montmartre, bem no alto do mapa. O bairro boêmio também é conhecido por eventos que acontecem em suas ruas, como a tradicional Fête des Vendanges, a festa da colheita da uva que reúne, em outubro, diversos produtores agrícolas em uma grande feira. Lá está também a Sacré-Coeur, linda de morrer, o muro ‘Je t’aime’ em Abbesses, o Moulin Rouge em Blanche, e milhares de bares e restaurantes. É ótimo passear por lá no fim da tarde para emendar com o programa da noite depois.
Bônus
  1. Não deixe de ir até o alto das Galeries Lafayette para ver a vista do terraço. É linda e de graça.
  1. O parque Buttes-Chaumont é meio fora de mão, mas vale muito a pena para um passeio em um dia ensolarado. Ele é um dos maiores de Paris e, ao contrário da maior parte da cidade, não é plano.
  2. Outro parque legal de visitar é o Jardin des Plantes, no 5ème. Ele é lindo e fica perto do Institut du Monde Arab. Lá tem também o museu de história natural e um mini zoológico para as crianças. É legal combinar a visita a ele junto à visita da Grande Mosquée de Paris. Eu vou falar mais sobre ela no post de Gastronomia.
  3. Se você quiser ter uma experiência sensorial diferente, vá ao Musée du Parfum. Ele fica dentro da Maison Fragonard, próximo à Opéra de Paris. Pode ser difícil de achar, mas vale a pena. A visita é feita de maneira guiada apenas, mas é bem curtinha. A guia conta história do perfume, as características de cada tipo de perfume e como eles são produzidos. No final os visitantes ainda tem a oportunidade de experimentar diversas essências e receber dicas de como usá-las. Também podem comprar todos os produtos Fragonard a preço de custo. É uma experiência sem igual!
  4. A vista mais ampla – e mais bonita – da torre é dos Jardins du Trocadéro!
E aí? O quanto dessa lista você já tinha feito? Foi do mesmo jeito? Se foi diferente conta para mim nos comentários. Vou adorar conhecer novos jeitos de visitar essa cidade mágica!
Não esqueça de acompanhar os próximos posts do guia de Paris da Gisele! 😉
Obs.: Todas as fotos desse post foram cedidas pela Gisele (@gigitmaga)
Para pesquisar as melhores hospedagens em Paris, clique aqui

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion9 Comentários

  1. Pingback: Dicas de Paris por uma insider – Parte 3: Vida Noturna | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  2. Carlinha adorei a Invasão, e agora só penso neste sorvete de framboesa com rosas. kkkkk. Realmente algumas dicas são bem melhores quando dadas por pessoas que já viveram naquele lugar. Obrigada meninas.

  3. Paris é a minha número 1 e adoro encontrar posts sobre elas, principalmente de coisas mais diferentes para fazer na cidade. Estive 4 vezes em Paris e sempre encontro coisas diferentes para fazer 😉
    Muito bacana suas dicas!

  4. Paris é sempre Paris, né? Tem muitos e muitos lugares pra conhecer e o mais legal é que dá pra fazer muita coisa a pé porque além de linda ela é planinha <3! Amo de paixão os Jardins de Luxemburgo e adoro brincar de imitar as estátuas e bater fotos, hehehe. A Ilha de Saint Louis e Montmartre são meus lugares favoritos na cidade.
    Sou ratinha de parques, mas não conheço o Buttes-Chaumont e o Jardin des Plantes. Estão anotados para minha próxima ida à cidade luz. 😉

Leave A Reply