Villegagnon, o novo menu do renomado Le Pré Catelan em Copacabana

0

Privilegiada. Assim me senti ao experimentar em primeira mão o novo menu preparado por Roland Villard para o francês Le Pré Catelan, situado no luxuoso Sofitel Copacabana e com vista panorâmica da praia de Copa. Chamado Villegagnon, o menu homenageia os 459 anos da chegada da primeira expedição francesa à Baía de Guanabara, capitaneada por Nicolas Durand de Villegagnon.

aDSC_0058

aDSC_0022

aDSC_0007

“Me inspirei na história dessa França Antártica fundada por Villegagnon para criar o menu. Imaginei o que eu teria cozinhado para o banquete da inauguração do Forte Coligny com os ingredientes dessa terra e as técnicas da Haute Cuisine Française”, explicou o chef na ocasião de apresentação do menu. Já se pode imaginar o que estava por vir…

Para pesquisar hotéis no Rio de Janeiro e fazer sua reserva, clique aqui.

04

O Villegagnon é uma aposta contemporânea combinada aos ingredientes nativos do Brasil. Foram mescladas frutas como caju, graviola e banana, castanhas, feijão de corda, mandioquinha, taioba, mandioca, pimenta, urucum, óleo de pequi. Um destaque no menu é a semente aromática fava de tonka, originária do Brasil e ingrediente raro. Ela tem um sabor doce, parecido com o da baunilha.

aDSC_0023

O menu possui sete passos, a começar pelo couvert, um creme de mandioca trufado com crocante de couve acompanhado de peixe marinado com pimenta de cheiro e batata doce. Muito aromático.

aDSC_0025

Como entrada, Villard elaborou uma salada de feijão manteiguinha com óleo de pequi e folha de taioba sob um delicioso tartare de atum.

aDSC_0028

Na sequência chegou à minha mesa um camarão grelhado com batata baroa defumado e folha de taioba numa emulsão de crustáceos com urucum. Aparentemente simples, mas com um sabor dos deuses.

aDSC_0035

O filé de robalo com palmito caramelizado e banana da terra com caldo de tucupi também esteve impecável. Ele veio acompanhado de sorvete de graviola com champagne, um geladinho que revigorou o paladar em meio à degustação.

aDSC_0037

Como não poderia deixar de ser, também faz parte do menu uma carne de caça, muito comum na Europa nos séculos 16 e 17. A criação de Villard contou com um leitão confitado em crosta de caju e ragu de feijão de corda. A carne desfez-se na boca.

aDSC_0044

Por fim, antes da sobremesa (as de Roland Villard são especialmente famosas!), degustamos fatias de contra filé com vinho tinto e açaí, farofa e croquete de cará com queijo. A carne, uruguaia, estava extremamente macia e saborosa.

aDSC_0049

Para fechar de maneira inigualável, um mil folhas de mousse de cupuaçu, fondant de chocolate e sorvete de fava de tonka com calda de maracujá. O maracujá foi o pontinho azedo ideal para contrapor ao sabor doce da sobremesa. Para mim, o auge da noite (tenho fraqueza por doces…).

aDSC_0056

Toda a degustação foi acompanhada dos vinhos franceses Chatêau Grande Métaire, Mâcon Villages e Chatêau Bellegrave Médoc.

aDSC_0075

O Le Pré Catelan foi recentemente eleito pela Época o melhor francês do Rio com o prêmio “O melhor do Rio 2014”. Foi a terceira vez que o restaurante venceu o prêmio (levou também as edições 2011 e 2013). Já Roland Villard foi agraciado como o “Melhor chef do Rio 2011” pela mesma revista.  Aliás, Villard é usuário ativo das redes sociais. Ele mantém uma conta no Instagram onde publica fotos de suas criações, todas tiradas em seu escritório, que tive o prazer de conhecer de perto.

aDSC_0086

aDSC_0095

Situado em endereço nobre, entre os bairros de Copacabana e Ipanema, o Le Pré Catelan exibe uma decoração que alia tradição, requinte e modernidade. Segue em cardápio o conceituado menu Amazônia, outra criação de sucesso de Villard. O menu Villegagnon tem o valor, por pessoa, de 290 reais + 10%. Reservas podem ser feitas pelo (21) 2525-1206 ou aeb.sofitelrio@sofitel.com.

Obs: Estive no Le Pré Catelan através de convite e sem receber nada por isso. Não aceito propostas que não tenham o perfil do meu blog e sou 100% transparente com meus leitores com relação a qualquer parceria realizada e minhas impressões sobre o local.

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply