Réveillon na Ilha do Mel + dicas gerais para se dar bem

6

Na Ilha do Mel, no Paraná, o ritmo é outro. O estilo de vida é diferente. Os ponteiros do relógio passam com mais calma. Ali não entram carros, não há postes de luz nas ruas, é permitida a entrada de apenas cinco mil pessoas e 97% do território não é habitado. O número de habitantes da Ilha? Cerca de 1.500 privilegiados. Como é passar o réveillon num lugar assim?

3191948154_7aea0591da_o
Foto: Rubens de Oliveira
DR Felipe Vieira

 

Quando planejei a minha ida, pesquisei bastante na internet sobre como seria o Ano Novo na Ilha e não encontrei quase nada. Só sabia que seria uma virada completamente diferente das outras, para relaxar mesmo. E o jeito era ir até lá para descobrir essa paz.
Primeiro, fechei minha estadia na Pousada Enseada das Conchas (conto aqui como foi), que oferecia uma cesta para a ceia de Réveillon. A virada à meia-noite, como tradição, seria na praia, assistindo à queima de fogos. Vários restaurantes da Ilha oferecem jantar de Ano Novo e o que mais me surpreendeu foi o horário: sempre começando por volta de 20h e terminando no máximo às 23h30. O motivo? Lá todos passam a virada na areia da praia. Algumas opções de festa que vão além da meia noite são a do Canto da Vó, na Praia Grande, ou a do Bar Barranco, na Praia de Fora – mas nosso objetivo não era exatamente badalação.
Para o jantar de Ano Novo, a Pousada Astral da Ilha, na Praia de Fora, oferecia jantar (comida japonesa, peixes, massas, sanduíches, entradinhas) e música ao vivo por R$150 por pessoa. A Beehouse, no centrinho de Nova Brasília, tinha o mesmo esquema e preço. Já a Grajagan Surf Resort, na Praia Grande e considerada a melhor da Ilha, também oferecia um jantar com Dj por R$250. Em todas, a bebida seria paga à parte. (O próximo post será sobre os restaurantes da Ilha do Mel)
blogger-image--1638824408
Nosso buda da sorte, presente especial dos donos da Pousada Enseada das Conchas

 

Na noite do dia 31 eu e meu namorado recebemos em nosso quarto a visita dos donos da nossa pousada, os queridos Sú e Carlos, com nossa cesta e um presente especial para cada um. A ceia contava com vinho, espumante, castanhas, damascos secos, amêndoas, frutas, pastinha de atum, torradas, chocolates Lindt, pão-de-mel. E a verdade é que me surpreendi com a fartura para apenas um casal e ainda com o cuidado em cada detalhe. Como lembrança, ganhamos um buda da sorte e uma camisa com desejos para 2014.
blogger-image-1999464913
Sú, Carlos, a camisa com desejos para 2014 e a nossa cesta para a ceia de réveillon

Às 23h50 fomos para a praia ver a queima de fogos, que ficava ainda mais majestosa com a escuridão da Ilha à noite. Brindamos com os donos, funcionários e hóspedes da Enseada das Conchas. Pulamos as sete ondas. Tiramos os chinelos para ficar em contato com o chão e renovar as energias para o ano novo. Rimos, brincamos, nos divertimos. Parecia que a praia era toda nossa, vazia, calma. Com a chegada de uma chuva fininha, voltamos para a pousada e continuamos na varanda contando histórias e nos escondendo da primeira grande chuva que pegávamos na Ilha. Energia e astral renovados, amigos feitos, garrafas vazias, era hora de dormir e nos preparar para mais um ano pela frente.

blogger-image--25155443
Tradição: pés descalços renovam as energias; taças na areia para pular sete ondas


O clima na Ilha do Mel:

Nesta época do ano, são bem comuns as chuvas de verão. Por sorte, pegamos muitos dias de sol e bastante calor – o que foi relatado pela maioria dos moradores como algo incomum.
Dicas básicas para se dar bem na Ilha do Mel:

– Na noite da virada, tome cuidado com pertences, feche bem a porta do seu quarto, evite andar sozinho nas ruas sem luz da Ilha. Não é que a Ilha do Mel seja perigosa, bem longe disso! É que alguns gaiatos costumam se aproveitar das festividades para cometer furtos ou assaltos. Não ouvi nenhum relato esse ano, mas não custa precaver-se. De resto, relaxe e curta.
– Se sua pousada não oferece a ceia de réveillon, tente reservar um lugar onde ir antes da meia noite. A não ser que você tenha comida e bebida estocados, será difícil encontrar um lugar para comer após 17h. Nós, por exemplo, deixamos para almoçar mais tarde no dia 31 e fechamos o restaurante por volta de 16h30. É que eles precisam se organizar para receber os clientes para a ceia da virada.
– Há dois mercadinhos em Nova Brasília: a Mini Mercearia e Bebidas WOS, entre as praias do Farol e a de Fora, e o Mercado Mergulhão, no caminho para o Trapiche. No primeiro há opções gerais de bebidas, biscoitos e objetos de uso pessoal (xampu, condicionador, protetor solar, gilete, etc.). No segundo você encontra mais opções de alimentos, como frutas, carnes e queijos, por exemplo.
– Não há caixas eletrônicos na Ilha do Mel. Dica: no Mergulhão eles fazem uma permuta: você passa o valor no cartão e recebe o dinheiro vivo (o “saque” máximo permitido era de R$100). É cobrada uma taxa de 10% (débito) ou 20% (crédito). Serve como alternativa para pagar os passeios de barco, por exemplo, já que a maioria dos pescadores só trabalha com dinheiro vivo. Os restaurantes, bares e lanchonetes aceitam, em sua maioria, o pagamento no cartão. Segunda dica: como driblar este limite baixo de saque quando se precisa de mais dinheiro? Se você tem mais de um cartão, negocie e saque o valor máximo em cada um deles. Além disso, cada cartão pode ser passado nos dois caixas do mercado, o que te garante dois saques por cartão. Traduzindo: se você tiver dois cartões diferentes, poderá sacar até R$400 – R$ 100 em cada cartão e nos dois caixas. Sacou?! 🙂

– Leve tudo o que precisar para a Ilha (roupas, repelente, acessórios). E leve água sempre que sair. Como a Ilha é pouco habitada, certamente você passará por extensos locais sem ao menos uma carrocinha de bebidas. Ah! E não se esqueça da lanterna. À noite o breu é total em muitos percursos.

Para saber como chegar à Ilha do Mel, clique aqui.

Quer ver opções de hospedagem na Ilha do Mel? Pesquise hotéis aqui por preço, localização, avaliação ou número de estrelas. Atenção, leitor: ao fazer sua reserva a partir deste link indicado, o Fui, Gostei, Contei receberá uma pequena comissão sem você pagar nenhuma taxa a mais por isso. O Booking.com é um dos parceiros do
Blog e líder mundial em reservas de acomodações. Obrigada pela preferência! 🙂

Um dia eu ignorei todas as críticas e saí para conhecer o mundo. Desde então já acumulei mais de 45 países visitados, juntei as mochilas com um cara foda e abri uma agência de experiências que já recebeu mais de 1.500 brasileiros no Chile. E a aventura mal começou.

Discussion6 Comentários

    • Oii Vanessa!!!
      A trilha que liga os dois lados da ilha pode ser perigosa se vc voltar tarde, já que a maré sobe.
      As outras achei muito tranquilas!
      Se informa com o pessoal de lá. Eles são super receptivos e queridos, com certeza vão te indicar as melhores para vc fazer sozinha 😉
      Aproveiteeee a ilha!

  1. Adorei sua descrição detalhada sobre essa viagem deliciosa! Eu e meu marido estamos querendo passar o próximo Réveillon lá, nosso bebê estará com 6 meses! Na sua opinião como viajante, acha arriscado ir com um neném tão pequeno para um lugar tão afastado?

    • Oi, querida! Olha, lá nao tem muita infra nao. E é uma ilha mesmo, isolado de cidades maiores. Nunca tive filho, confesso que nao sei exatamente os cuidados que sao necessários nessa idade hehe mas eu recomendaria estar atenta a essa questão da distância e pouca infra!

Leave A Reply