O Cazaquistão foi o meu primeiro país na Ásia Central, em um roteiro que ainda envolve Quirguistão, Tajiquistão e Uzbesquistão – e quem sabe até o Turcomenistão! Em meio a tanto ÃO dá pra ficar meio perdido quando a gente começa a planejar essa viagem, né? Eu também bati muita cabeça antes de conseguir organizar minha programação e decidir o que visitar.

Então começo aqui no blog meu relato contando qual foi o meu roteiro pelo Cazaquistão, que teve como base duas cidades principais: Nursultan e Almaty.

Uma das muitas mesquitas do Cazaquistão

Pra começar, vamos a um pouco de história?

Cara, esse país é muito louco. Tem muitaaa história! Algumas eu consigo contar aqui, e outras só vindo pessoalmente conhecer. A primeira é que a capital do país mudou de nome no início de 2019, 3 meses antes da minha viagem.

Astana agora é Nursultan

Antes chamada Astana, que significa capital na língua local, passou a chamar-se Nursultan. Mas o mais curioso aqui é que esse é o nome do antigo presidente do país, Nursultan Nazarbayev. O bonitão foi chefe de governo na época soviética (de 1984 a 1990) e presidente de 1991 até 2019.

Repentinamente ele renunciou ao seu cargo e houve uma falsa eleição, que deu a impressão de que a população estava realmente escolhendo seu novo presidente. Na verdade, Nursultan nomeou seu amigo para o cargo. Houve muita revolta, algumas manifestações e muita gente foi presa, pois essa fazer protestos é proibido no país. Isso tudo menos de um mês de eu chegar por lá! A internet também foi cortada em todo Cazaquistão por alguns dias para evitar que as pessoas combinassem de se encontrar para protestar.

Como um “agradecimento”, o novo presidente mudou o nome da capital para Nursultan, uma espécie de homenagem ao amigo. Por baixo dos tapetes (ou não tão por baixo assim), Nursultan Nazarbayev continua sendo uma pessoa bastante poderosa na política do país.

Ditadura disfarçada de Democracia

O que estou contando aqui é o que ouvi dos próprios moradores do país. Tanto de um brasileiro que mora lá, como de pessoas locais. Eles afirmaram que vivem uma ditadura disfarçada de democracia. Ouvi isso diversas vezes de diferentes pessoas, todas bastante revoltadas com os rumos do país.

Não é difícil confirmar o que eles contam. Os meios de comunicação de oposição, por exemplo, foram fechados pelo governo em 2012. O Cazaquistão é o número 158 dentre 180 países na Classificação Mundial de Liberdade de Imprensa. Se isso não é uma ditadura, eu não sei o que é.

Segurança no Cazaquistão

Apesar de tudo o que estou contando, achei bastante seguro viajar pelo Cazaquistão. E olha que eu estava sozinha. Claro que não fui para lugares muito pequenos sem estar em grupo, e fiquei a maior parte do tempo nas maiores cidades. Mas cortei o país de ônibus, por exemplo. E no geral não senti medo, as pessoas foram extremamente receptivas comigo. Eu de verdade amei esse país!

Astana agora é Nursultan

Então, agora que já fiz uma rápida apresentação do Cazaquistão, vamos às dicas de Astana, ops, Nursultan.

5 dias em Nursultan (ou Astana)

Aqui vou me referir a essa cidade apenas como Nursultan, apesar de os próprios moradores ainda ficarem meio confusos e se referirem à capital como Astana, ok? É visível o investimento em prédios ostensivos na parte central de Nursultan. A realidade é que parece que eles querem que a capital vire uma espécie de Dubai. Ou Las Vegas. Sei lá.

Mas é inevitável reparar nos contrastes. Enquanto as ruas principais são repletas de construções megalomaníacas, bastou me afastar menos de 1 km desse epicentro pra me deparar com casas normais, ruas sem asfalto e esburacadas que alagam completamente quando chove e nada de iluminação – à noite era um breu total. Não que isso seja ruim! Eu amo esses contrastes, e pra mim esse é o retrato de Nursultan: uma cidade moldada pra gringo ver! E completamente diferente do restante, principalmente do interior, do país.

Onde ficar em Nursultan

Eu fiquei no Hostel Nomad 4×4, bem novinho e muito bem localizado! Fica numa dessas ruas sem asfalto, mas bem próximo do burburinho fancy da cidade. É um hostel bem novo, limpo e organizado. Os donos falam um inglês bem básico. Não tem aquela vibe de hostel onde você conhece vários viajantes, mas era o mais econômico da cidade. Achei que valeu demais o preço (foi 25 reais cada noite em quarto compartilhado).

O hostel tem serviço de lavanderia e cozinha compartilhada. Com uns 10 minutinhos de caminhada você já chega nos principais pontos da cidade.

Se você quer um pouco mais de conforto, mas não pode gastar muito, dê uma olhadinha no Ulpan Mini Hotel – ele ficava bem pertinho do meu hostel. Já se você busca algo mais luxuoso, o Rixos Presidente Hotel Astana é um 5 estrelas de preço moderado e Best Seller no Booking!

Para ver mais opções de hospedagem em Nursultan, clique aqui!

O que fazer em Nursultan

Eu fiquei 5 dias em Nursultan, mas se seu tempo está curto, acho que 3 dias na capital está mais do que suficiente. Dá pra ver muita coisa em um ou dois dias. Inclua em seu roteiro:

  • Bayterek Tower: é o Costanera Center do Cazaquistão, mas mais baixo e com menor infraestrutura. Me incomodou que o vidro estava tão sujo que as fotos ficavam péssimas, mas e entrada era tão barata que não dá nem pra reclamar. Vale a pena pra ver a cidade de cima.
  • Khan Satir: dificilmente eu recomendo shoppings em meus roteiros, mas essa cidade tem tantos, que definitivamente é um atrativo turístico. Vale ir nesse por dois motivos: a placa de I LOVE ASTANA bem em frente ao shopping e… o que conto no próximo ponto.
  • Sky Beach Club: é simplesmente um clube que imita uma praia artificial no topo do Khan Sadir. No verão é maravilhoso pra dar aquela refrescada. No inverno, bom pra fugir do frio rs O preço é salgadinho. E leve algo pra beliscar, porque a comida lá é cara e péssima. Eles também vendem bebidas alcóolicas e a entrada inclui toalha.
  • Hazret Sultan Mosque: é a maior mesquita da Ásia Central. Preciso dizer mais nada, né? Mulheres podem entrar, mas devem cobrir seu corpo.
  • Nur Astana Mosque: mais uma mesquita na cidade. Também muito linda. Mulheres também podem entrar aqui, mas devem cobrir seu corpo.
  • Assumption Russian Orthodox Cathedral: linda e enorme!

Existem também infinitos monumentos na cidade, clique aqui para conhecer as opções.

Nem precisa de legenda…

Onde comer em Nursultan

Claro que uma cidade tão moderna oferece infinitas opções de restaurantes.

  • Ocean Basket: é uma rede que tem aquela carona de restaurante americano, mas a comida é realmente deliciosa. Um pouco caro, mas valeu a pena.
  • Satti: o ambiente é delicioso para um fim de tarde, mas não pude disfrutar muito do menu porque não tinham nada de opções vegetarianas. No entanto, não deixe de provar o baursak, um pãozinho típico e delicioso.
  • Хачапурная No.1: eu levei uma coça aqui pra achar esse lugar no Google, mas eu não podia deixar de jeito nenhum de recomendar! Foi o melhor khachapuri de toda a minha viagem pela Ásia Central – uma espécie de pão recheado com queijo. É grande, dá pra dividir e tem ótimo preço! Por favor, não deixe de ir lá. Pra facilitar, aqui vai o endereço: Qabanbay Batyr Ave 5В. Fica bem perto da Fountain Circus na cidade.
  • Chechil Pub: é uma rede, e na verdade eu visitei o de Almaty. Porém a comida e o clima são tão bons, que recomendo ir no de Astana também!
Oh o baursak aí!!! Melhor pãozinho ever!

Como se locomover em Nursultan

Para sair do aeroporto, eu peguei o ônibus número 10 até o centro da cidade. Foi rápido, seguro e barato. Já dentro da cidade, eu usei bastante o Yandex, que é o Uber daqui. Só que mais barato.

No país há a prática de fazer sinal como se estivesse chamando táxi, e carros normais param. Daí você mostra pra onde quer ir, ambos negociam o preço e decidem se aceitam a corrida ou não. Primeiro, não me senti segura em fazer isso sozinha. Segundo, o idioma é definitivamente uma barreira. Ninguém fala inglês.

Como ir de Nursultan para Almaty

As duas principais cidades do Cazaquistão são conectadas por trem, avião, ônibus ou mashrutka (minivans). Eu acabei usando o ônibus e não recomendo. Abaixo explico o porquê.

Olhando com antecedência, a passagem de avião pode ser quase o mesmo preço que de trem. Porém o trem é uma opção bastante popular no país. Portanto, se quando você for pesquisar os preços, o avião já estiver mais caro, pode optar pelo trem (que tem até cama pra dormir). Mas compre com antecedência de pelo menos uns 5 dias. Essas duas são definitivamente as melhores opções pra ir de Nusultan a Almaty, ou vice-versa.

Eu deixei pra comprar em cima da hora (dois dias antes). O trem já estava esgotado, e o avião estava quatro vezes o preço do busão. Me arrisquei com o ônibus e me arrependi. Poltrona muito apertada, quase não reclinava, mais de 20 horas de viagem, muito calor. Foi tenso. De mashrutka não muda muita coisa – só que o assento não reclina nada. Só vá por essas opções se seu orçamento estiver muito apertado mesmo.

Eu não tenho a menor ideia de por que essa foto saiu de cabeça pra baixo, eu só queria mostrar que o busão é realmente apertado rsrs

6 dias em Almaty

Eu queria era mais. Eu amei essa cidade! Amei sua naturalidade! Amei o entorno com as montanhas! Amei as pessoas! Nessa vida eu ainda vou precisar voltar a Almaty.

Onde ficar em Almaty

Eu tenho certeza que um dos grandes culpados de eu ter amado tanto Almaty foi o Wanderlust Hostel. Depois de um mês e meio de viagem eu finalmente cheguei a um hostel com a vibe que eu amo: com viajantes de tudo quanto é lugar e fácil de fazer amizades. Nesse hostel eu fiz um grupo de amigos e depois seguimos viajando juntos por mais duas semanas!

Se isso não for suficiente pra te convencer, esse hostel está super bem localizado e dá pra fazer muita coisa a pé. E o preço é surreal de barato (paguei 22 reais por noite).

Se você busca maior conforto em Almaty sem poder gastar muito, dê uma olhada no Berkana Hotel. Já se busca luxo, o Rixos Hotel Almaty pode ser uma ótima escolha.

Para ver mais opções de hospedagem em Almaty, clique aqui!

O que fazer em Almaty

Confesso que em Almaty não fiz muuuitos programas turísticos. Tirei os dias na cidade pra relaxar, ir a restaurantes legais, beber com a galera no hostel, trabalhar um pouco. Abaixo conto o que eu fiz e o que eu gostaria de ter feito:

  • Big Almaty Lake: lugar bem bonito, que eu brinquei várias vezes que era o Cajon del Maipo do Cazaquistão. O meu próprio hostel reservou um carro pra nos levar lá. Não fica tão distante da cidade, então em umas quatros horas dá pra ir e voltar. Não me lembro o preço exato, mas foi algo como 4.000 tenge pelo carro para até 4 pessoas.
  • Kok Tobe Hill: ideal pra ver a cidade de cima. Eu não fui, mas alguns amigos foram pro por do sol e rola um barzinho lá em cima – bem caro, por sinal.
  • Charyn Canyon: geralmente um tour de um dia inteiro, e o lugar parece surreal. Infelizmente não fiz, então não posso afirmar o preço.
  • Arasan Baths: o spa mais visitado da cidade! Eu queria muito ter ido, em especial porque estava muito quente no Verão. Em um dos dias a gente vestiu biquíni e saiu pra almoçar antes de ir pra lá. Nos empolgamos tanto tomando cerveja naquele calor, que quando nos demos conta já era tarde e estávamos todos bêbados hahaha sad, but true.
  • Konsay Lakes e Kaindy Lake: esses lugares merecem um tópico especial! Veja abaixo.
Big Almaty Lake em um dia nublado e, ainda assim, lindo!

Tour para Konsai Lakes e Kaindy Lake

Essa é uma viagem de duas noites e três dias, onde a base é a vila de Saty. Gostei desse tour em especial pela experiência de conhecer um lugarejo do Cazaquistão, onde nos hospedamos na casa de uma família local. Esse passeio foi especialmente barato – 16.000 tenge incluindo transporte desde e para Almaty, acomodação em casa de família, alimentação e guia.

Fomos em um grupo grande de quase 60 pessoas, e isso de início me incomodou, claro. Mas ao chegar lá eles dividiram todos em grupos menores de 10 pessoas, e demos a sorte de ter um grupo bem legal. A casa que nos recebeu também era simples, mas honesta. E a comida servida era sempre deliciosa – apenas comidas locais. Se quiser, pode levar algo pronto para comer, tipo pão, queijo, frutas. Eu sou meio vegetariana e ela sempre preparava algo especial pra mim, nem que fosse ovo.

Saímos de Almaty numa sexta-feira às 21h, e chegamos a Saty de madrugada. Dormimos, e no sábado às 6h da manhã levantamos para ir para a trilha que leva até os lagos Kolsai. Se alguém te disser que essa trilha é tranquilinha, NÃO ACREDITE como eu fiz. São 17km com MUITA subida e descida. Leve algo para comer, tipo sanduíches, e também coisinhas de energia rápida, tipo chocolate. Água dá pra levar só uma garrafa e ir enchendo onde tiver água corrente pelo caminho.

No final das contas valeu muito a pena e os lagos são exageradamente lindos! Leve biquíni se quiser arriscar um banho. E um casaco a prova dágua, pois apesar de bastante calor, o clima por ali é instável e costuma chover. Ao final da trilha há barracas vendendo comidas, e você certamente vai parar por lá pra repor a energia antes de voltar para a casa da família. Mas não coma muito, pois eles servem o jantar bem cedo.

No domingo acordamos um pouco mais tarde, por volta de 8h. Depois de tomar café da manhã, seguimos para o lago Kaindy. Aqui a trilha é bem mais tranquila, totalizando uns 4 km. Mais um lago bastante lindo, e dessa vez originado por um terremoto na região. Depois de lá, fomos de ônibus até o Black Canyon, que é parte do Charyn Canyon. Chegamos de volta a Almaty domingo umas 20h.

Fiz o tour com a Campit, uma das mais antigas agências de Almaty. O tour foi bem simples, mas muito justo pelo preço pago. Se você também busca algo econômico e bem organizado, é uma ótima opção.

Os lagos e toda a paisagem no entorno são incríveis! Vale demais fazer esse tour!

Onde comer em Almaty

Essa foi minha parte preferida em Almaty! Hahaha Esses foram definitivamente meus lugares preferidos:

  • Navat: esse foi o restaurante que repetimos de tanto que gostamos. Servem comida loca, e a decoração é lindíssima! Não menospreze as saladas. A Shirin Salad é maravilhosa se você gosta de comida picante.
  • Daredzhani: também é um dos melhores restaurantes da cidade. Têm diversos tipos de khachapuri, e como vocês já perceberam que essa é minha comida preferida no país, eu amei esse lugar.
  • Chechil Pub: se está buscando algo mais animado e com boa comida, esse é o lugar. Simplesmente tudo que pedimos estava delicioso! Destaque para a Vitamin Salad, para o queijo empanado e para o kebab de champignon.

Como se locomover em Almaty

Em Almaty, assim como em Nursultan e na Rússia, eu usei bastante o Yandex, que é o Uber daqui. Em Almaty há a mesma prática de carros normais fazerem as vezes de táxi. Como lá eu conheci pessoas locais, até que tentamos isso. Mas não vale o esforço. O Yandex tem bom preço e evita qualquer confusão.

Antes de me despedir, fica o alerta: prepare-se para os banheiros no Cazaquistão!

Gostaram das dicas do Cazaquistão? Ficou alguma dúvida? Compartilha aí embaixo!

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui