Todos os baladeiros que vêm para San Pedro de Atacama querem logo saber o que é essa tal de festa clandestina. Muito da sua fama vem do boca a boca, mas resolvemos escrever tudo o que sabemos a respeito para ajudar você a se programar e participar de uma dessas festas durante a sua estadia.

O que são as festas clandestinas?

A partir dos anos 2010, San Pedro passou a receber cada vez mais gente. Dizem os moradores antigos que, há não muito tempo, começaram a ser organizadas festas no deserto. Na época, estavam restringindo o horário de funcionamento dos bares e restaurantes. É claro que com toda essa repressão de não pode fazer isso e não pode fazer aquilo os moradores da cidade precisariam de um certo escape, não é mesmo?

Muitos contam que antes as coisas não eram tão severas. Tudo teria mudado no final de 2014 com o desaparecimento de um guia chileno. O caso, que mobilizou diversas forças policiais, ganhou muita atenção da mídia e nunca foi concluído apesar da extensa investigação, teria contribuído para proibições mais rigorosas. Outros apontam o eterno conflito entre o crescimento da população e do turismo na região e os atacamenhos que querem preservar a tranquilidade do local.

Seja como for, as festas clandestinas já estão aí há alguns anos e nada indica que elas vão deixar de existir. Às vezes são meros encontros improvisados, outras vezes são grandes produções. A verdade é que tem toda uma aura em volta dessas festas. Não que não sejam experiências interessantes, mas toda essa questão do proibido sem dúvida aumenta bastante o seu apelo.

Onde acontecem as festas clandestinas?

Não tem lugar fixo. Já teve festa em hotel abandonado, entre os vales de Catarpe, em casas de moradores, em localizações literalmente no meio do nada… O endereço não é revelado justamente para evitar a chegada dos carabineros (a polícia). A única certeza é que são lugares a uma distância considerável do centro de San Pedro.

Por esse motivo são organizados transfers, que levam e buscam todos os que vão pra farra. É preciso descobrir quando e de onde vão sair as vans, o que também costuma mudar de festa para festa. Geralmente, o local de partida é a praça triangular no cruzamento das ruas Caracoles e Ignacio Carrera Pinto e o horário a partir da meia-noite.

Quando acontecem as festas clandestinas?

Podem acontecer qualquer dia, mas o mais provável é que seja durante o fim de semana, na sexta ou no sábado. Principalmente no verão, as festas tendem a ser organizadas com maior frequência.

As datas não são divulgadas com antecedência. Muito provavelmente, você só vai ficar sabendo da festa no dia que ela for acontecer. Pergunte aos moradores, especialmente aos jovens, se eles sabem de alguma coisa.

Tenho que comprar ingresso?

Até é possível ir à festa sem ter ingresso, basta negociar com o motorista do transfer. Mas você vai ver que, uma vez confirmado o evento, é bem fácil conseguir entradas. Vários hunters, essa figura emblemática de San Pedro que está sempre tentando vender algo a você na rua, te abordam oferecendo ingresso.

É perigoso?

São festas ilegais, mas não apresentam nenhum perigo em particular. Às vezes, o trabalho de inteligência dos carabineros resulta em algo e a festa é descoberta e interrompida. O máximo que acontece é a polícia aparecer, encerrar a noite e multar os organizadores.

Nessa situação, todos os participantes têm que deixar o local e voltar para a sua casa ou hotel. Isso, apesar de incomum, pode ser meio furada. Depois que a festa é cancelada, não é raro que os transfers deixem o pessoal na mão. E voltar pra casa do meio do nada pode ser um drama…

Vale a pena?

É uma experiência singular. Só indo para descobrir se você curte ou não!

Depois conta pra gente! E não se esqueça, em 2017 abrimos a nossa Agência de Experiências, a Fui Gostei Trips, que oferece passeios no Deserto do Atacama, Salar de Uyuni e em Santiago. Entra no nosso site ou escreve um email pra gente, que vai ser um prazer te ajudar com um roteiro personalizadinho através do contato@fuigosteitrips.com.br 😀  

Esses outros assuntos podem te interessar:

Nossas dicas de barzinhos em San Pedro de Atacama

Qual a melhor época para visitar o Deserto do Atacama

7 Comentários

  1. Fui em San Pedro mês passado e rolou uma festa dessa no meio do deserto, me convidaram, mas fiquei com receio de ir e não ter como voltar. Um conhecido brasileiro foi. Ele foi à pé com um grupo de pessoas sendo que um era morador local e sabia o caminho. Eles foram andando no meio do nada em plena escuridão kkkk Já a festa foi tranquila, parecia um luau, tinha fogueira, pessoas com música em caixinha de som, cada um com sua bebida. Teve uma hora que a polícia chegou lá, mas acabou indo embora sem fechar a festa.

  2. Eu fui agora em Novembro/2018.
    Conheci uns moradores, que não eram chilenos, e me falaram dessa festa. Resolvi conhecer, afinal, quando eu poderia ir a uma festa no meio do deserto?
    Achei bem legal, estava até tocando funk. Depois começou uns reggaeton. A fogueira era a melhor coisa por que mantinha o corpo quente.
    A parte ruim é que usam muitas drogas e ficam te oferecendo sempre. Mas cada um com seus gostos.
    A melhor parte para mim foi quando a lua baixou, la pelas 04:30 e PUT* QUE P*RIU. Melhor ceu da vida, nunca vi tanta estrela. Até estrela cadente achei. Perfeito. Vale a pena hahahhaha mesmo sendo ilegal.

    • Ei, Larissa! Faz uma friaca à noite, ne?!
      Essa questao das drogas é super chato. Em San Pedro acaba rolando muita droga por estar próximo da fronteira com a Bolívia, e numa área bem desértica.
      É ignorar quem te oferecer, e curtir a sua festa!
      E obrigada por compartilhar a sua experiência aqui com a gente!

  3. Que vergonha um site de passeios em um lugar tão mágico, cujas regras deveriam ser respeitadas, divulgar isso como se fosse uma coisa linda participar de festas ilegais. Só brasileiro mesmo!

    • Oi, Rosario! Tudo bem?
      As festas não degradam em nada a natureza, pelo contrário. São feitas em casas ou hotéis. Muito menos tiram a aura “mágica” do deserto. Todos que por aqui passam sentem essa energia única.
      Vale destacar aqui que essas festas não foram criadas por brasileiros nem são apenas frequentadas por esses. Aliás, brasileiros assim como você.
      Aqui eu compartilho minhas experiências. Sou educada com todos e peço encarecidamente que quem venha aqui seja também.
      Te convido a um dia morar no deserto e conhecer melhor do que se tratam as leis e as festas para dar uma opinião melhor embasada. Em tempo: é pela sede de ter o que fazer nessa cidade tão pacata que as leis estão sendo revistas e muitos lugares já podem ficar abertos até mais tarde.
      Beijos

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui