Noite em San Pedro de Atacama: como é a vida noturna no deserto

0

Se depois de explorar o deserto durante todo o dia você ainda tiver energia, saiba que a noite em San Pedro de Atacama também oferece várias opções ao turista. Claro que esse pequeno povoado não é um desses destinos com infinitas possibilidades para curtir a vida noturna, mas certamente você encontrará o que fazer depois do sol se pôr.

As regras do Deserto

A gente já contou pra vocês algumas leis malucas que tem aqui no Deserto do Atacama. Não pode beber na rua, fazer festa em casa, fazer festa na rua, dançar… Mas acredite, sempre se dá um jeitinho de se divertir!

Por exemplo, uma lei nacional proíbe beber na rua, sob risco de multa de 47 mil pesos (quase 300 reais). E o negócio é levado a sério! Os carabineros (a polícia local) estão sempre rondando e fiscalizando as ruas. Eles costumam ser mais rígidos com os chilenos, que já sabem muito bem que é proibido.

Às vezes, estrangeiros podem até escapar da penalização, mas passam por um momento bastante desconfortável com os carabineros, que obrigam a pessoa a esvaziar a bebida que tiver em mãos, seja qual for, e dão um belo dum puxão de orelha.

A única época do ano em que as coisas são um pouco mais flexíveis é na semana dos dias 18 e 19 de setembro, quando ocorrem as Fiestas Patrias. É tanta gente tomando diariamente nas fondas, uma espécie de instalação temporária para abrigar as celebrações, que não tem como controlar!

Quer ajuda pra montar seu roteiro de passeios aqui no Atacama? No fim de 2017 abri minha agência, a Fui Gostei Trips, com atendimento personalizado em português! Escreve pra gente, teremos o maior prazer em ajudar: contato@fuigosteitrips.com.br

Os bares de San Pedro

Por causa desse controle rigoroso, os estabelecimentos comerciais seguem à risca essas regrinhas. A maioria respeita o horário e fecha por volta da meia-noite, igualzinho a Cinderela, no máximo 1h. Sextas e sábados, alguns lugares ficam abertos até mais tarde.

Apesar dos pesares, a noite é animada. O fluxo de turistas é intenso e é claro que a galera que tá de férias quer aproveitar. Além disso, quem trabalha e vive na cidade também merece curtir um pouco, né?

Você pode começar a noite em um restaurante (aqui listamos 24 deles, provados e aprovados!), mas lembre-se que para pedir uma bebida, é necessário pedir uma porção de comida também.

Os chilenos também são bons de carrete, como eles dizem por aqui. Adoram fazer festa e tomar até tarde, principalmente se for uma piscolita. Essa bebida é preparada com o pisco, um destilado de uvas brancas, e refrigerante, que pode ser coca-cola (piscola negra) ou sprite (piscola blanca). Cuidado com esse que é o trago nacional! Depois do segundo, é difícil escapar do terceiro, do quarto…

Listamos pra vocês os bares da cidade e o que tem de melhor em cada um.

Solcor Rua Calama

Esse restaurante é uma boa pedida para começar a noite. A comida é deliciosa, com destaque para os risotos e as massas, e o ambiente é muito aconchegante, especialmente do lado de fora com a pequena fogueira. No som, aquela típica música acústica de barzinho. Vale muito a pena experimentar as cervejas artesanais da casa, preparadas com ingredientes típicos da região, como a rica-rica, o chañar e a folha de coca. Eles te oferecem uma degustação gratuita para você poder escolher com confiança qual te agrada mais!

Chelakabur (Rua Caracoles)

O Chela, como é carinhosamente chamado pelos locais, é o único bar da cidade onde não tem essa obrigação de pedir comida para poder beber. Você até pode, se quiser, e a gente super recomenda a pizza do El Charrua, que é preparada nesse restaurante ali pertinho na rua Tocopilla e levada até o bar. O lugar é todo decorado com camisas de times de futebol e tem sempre um rock tocando. O Chela não tem muitas mesas e frequentemente tá cheio. O jeito é esperar ou dividir mesa com alguém que você não conhece – não se intimide, faz parte do espírito da Casa!

Los Gor2 (Rua Tocopilla)

Outro preferido dos san pedrinos, o Gordos também acaba servindo cerveja sem comida, mas meio na surdina. Geralmente os garçons trazem um pãozinho com pebre (um condimento típico) para disfarçar. Aqui sempre rola música ao vivo, cada noite um ritmo diferente – na maioria das vezes música andina, mas também rola cumbia, eletrônica, rap e jazz. Entre os lanches, os hambúrgueres fazem sucesso, mas vá com fome, porque são enormes.

Barros (Rua Licancabur esquina com Tocopilla)

Sempre animado, o Barros é uma referência da noite em San Pedro. Todos os dias tem música ao vivo, às vezes em um volume até bastante alto. Esse definitivamente não é o lugar para conversar tranquilamente. O cardápio é bastante extenso, tem massas, pizzas, sanduíches, carnes, de tudo um pouco, a preços razoáveis.

Mal de Puna (Rua Licancabur esquina com a Domingo Atienza)

Essa é uma das melhores opções para quem está buscando um lugar descontraído que ofereça drinques e petiscos gostosos. O menu até traz pratos individuais, mas o gostoso é pedir diferentes porções para dividir. Os ceviches são uma delícia e não tem como errar com nenhum dos pratos de polvo. As tablas também são uma boa pedida. A música ao vivo e ocasional karaokê sempre animam o pessoal! Atenção ao andar por San Pedro, quase sempre eles distribuem flyers que dão direito a um pisco sour.

Lola (Rua Toconao esquina com a Caracoles)

O Lola é diversão na certa! O lugar tem vários ambientes: o bar na frente, as mesas ao lado do palco de karaokê, que depois vira algo similar a uma pista de dança, e a parte dos fundos, dividida em dois andares, com mesinhas ao ar livre onde é permitido fumar. Para beliscar, as empanadas e pizzas são ótimas e bem fartas. Entre os pratos, recomendamos as massas, artesanais. Todos os dias turistas e locais soltam a voz no palco para depois bailar ao som de muito reggaeton e funk brasileiro (sim!). Às vezes DJs tocam música eletrônica na parte externa. É o mais próximo de uma balada em San Pedro.

Blanco (Rua Caracoles esquina com a Calama)

Um dos restaurantes mais bacanas da Caracoles, o Blanco ocasionalmente organiza festinhas para dar uma animada no pueblo. Costuma acontecer aos sábados, mas não são eventos regulares e a única maneira de saber é passando e perguntando se tem algo programado. Quando acontece, são festas de música pop ou eletrônica e a obrigatoriedade de pedir comida é dispensada. No final do ano, costumam organizar festas de Natal e ano novo.

Depois das 12 badaladas…

Passou da meia-noite, os bares estão fechando, só tem um ou outro gato-pingado na rua e você ainda não quer ir pro seu hotel descansar?

Temos o prazer de apresentar la playita!

Nada mais é do que uma área à margem do rio nos limites da cidade que serve de ponto de encontro na madrugada. Geralmente as pessoas levam suas bebidas e instrumentos e ficam por ali conversando sob o céu estrelado do Atacama.

Para chegar lá, você tem que seguir sempre pela Caracoles, a rua principal, passando a Domingo Atienza e outras passagens menores. Quando parecer que a cidade está acabando, siga andando, até ouvir vozes e música ao fundo.

Festas Clandestinas

Você deve estar se perguntando por que não falamos sobre as festas clandestinas. Será somente um boato do deserto?

Não, elas realmente existem! Mas achamos que elas mereciam um post exclusivo… Acompanhem por aqui!

Você também pode gostar de ler…

Que roupas levar pro Atacama – a mala ideal!

Qual a melhor época para visitar o Deserto do Atacama

Como chegar ao Deserto do Atacama

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply