Barra da Tijuca e arredores: 5 dicas imperdíveis do que fazer por lá

0

Vamos tentar resumir em um post os lugares que mais gostei de conhecer nos dias em que passei na Barra da Tijuca e arredores? (ao final do post vou linkar os hotéis que indico na região)

Sítio Roberto Burle Marx

Esse é um lugar que eu sempre quis conhecer! Foi residência de Burle Marx de 1973 até 1994, ano de sua morte, e hoje é uma unidade especial vinculada ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Detém um acervo botânico e paisagístico que inclui cerca de 3.500 espécies cultivadas e é reconhecido como uma das mais importantes coleções de plantas vivas existentes no mundo.

Me chamou a atenção ali como Burle Marx era um artista completo. Pintava, fazia esculturas, tapeçaria, era paisagista (executou mais de dois mil projetos, dentre os quais o Parque do Flamengo e o Calçadão de Copacabana). E um grande colecionador! Além das plantas, tinha um importante acervo museológico e bibliográfico, coleções de arte sacra, pinturas e esculturas do próprio e de artistas contemporâneos, arte pré-colombiana, obras de arte popular brasileira em cerâmica do Vale do Jequitinhonha, objetos de decoração e até coleção de conchas!

O sítio até hoje está conservado como na época em que ele morava ali (o quarto dele tem até mesmo o sapato à beira da cama e o óculos sobre a mesa, exatamente como ele deixou antes de falecer).

É necessário reservar sua visita com antecedência (eles não abrem aos domingos, e aos sábados me disseram que é melhor reservar com um mês de antecedência para garantir vaga) pelo telefone 21-2410-1412 ou pelo e-mail srbm@iphan.gov.br.

Museu Casa do Pontal

Taí um lugar que me surpreendeu absurdamente! Eu tinha lido que este era considerado o maior e mais significativo museu de arte popular do país. Mas a visita musicada que é feita lá me encantou e me fez ter vontade de sair pelo Brasil, conhecendo seu interior e suas peculiaridades. Há a visita normal (12 reais o ingresso, ou 6 reais meia entrada) e há a visita musicada (ingresso + um valor de 135 reais para um grupo que pode ter até 20 pessoas). Sério, junte os amigos ou a família e vá, porque vale a pena. Ah, tem também a visita teatralizada, que é mais voltada para crianças e que eu achei um “programaço” carioca pra quem quer ir lá com os pequenos. Tenho certeza que será uma tarde bem divertida e de muito aprendizado.

Bom… Vamos ao museu. Seu acervo – resultado de quarenta anos de pesquisas e viagens do designer francês Jacques Van de Beuque por todo país  – é composto por cerca de 8.500 peças de 300 artistas brasileiros, produzidas a partir do século XX. A exposição permanente do museu reúne obras representativas das variadas culturas rurais e urbanas do Brasil. Mostradas tematicamente, abrangem as atividades cotidianas, festivas, imaginárias e religiosas.

O lugar é lindo, de uma natureza incrível! E fica num sítio de 5 mil m² no Recreio dos Bandeirantes. Seus amplos jardins foram especialmente desenhados para promover uma perfeita integração entre a vegetação, as galerias do museu e a reserva ecológica que se estende em torno. O museu é certificado pela Unesco pela atuação relevante em prol da cultura brasileira.

Reserve sua visita antes de ir pelo site ou compre na hora – atenção: as visitas musicadas precisam ser reservadas com antecedência pelos números 2490-4013 e 2490-2429 ou pelos e-mails atendimento@museucasadopontal.com.br e atendimentopontal@gmail.com. A Casa do Pontal não abre às segundas. E há entrada franca para brasileiros todas as terças-feiras do ano de 2017.

Dica: faça a visita musicada da Casa do Pontal antes de ir ao sítio Burle Marx. É que as duas visitas casam muito entre si, e, ao chegar ao sítio, você reconhecerá diversas referências que vai ter conhecido antes na Casa do Pontal. Eu me achava A entendida de arte popular lá na casa do Burle Marx rsrs

SPA Atiaia, no Hotel Grand Hyatt

O 5 estrelas Grand Hyatt Rio de Janeiro foi inaugurado há pouquíssimo tempo de frente para a praia da Reserva e é um verdadeiro resort urbano. O lugar é incrível e ainda abriga um spa maravilhoso, o Atiaia. Se você quer um dia de diva, não deixe de fazer uma de suas massagens.

Mas vá com tempo tranquilo! Pois quando você contrata um serviço de massagem no Atiaia, tem direito a utilizar suas saunas a vapor e seca para relaxar antes ou após os tratamentos. São ideais para complementar o dia e relaxar em tratamentos hidroterápicos perfeitos para liberar toxinas do organismo e proporcionar uma melhora no funcionamento biológico. Veja as opções de massagens e tratamentos aqui.

Eu fiz a massagem que leva o nome do spa com duração de 60 minutos. Idealizada para agradar a todos os tipos de pessoas, a massagem Atiaia Signature combina uma variação de técnicas e óleos essenciais que ajudam no relaxamento de diferentes áreas de cada corpo, auxiliando na recuperação do equilíbrio emocional. Começou com um escalda pés, passando para uma massagem desde o meu dedo mindinho do pé, subindo até chegar à minha nuca. Eu saí de lá uma outra pessoa! Era tudo o que eu estava precisando.

E já que você está por ali, aproveite para almoçar ou jantar num dos 3 restaurantes do Grand Hyatt, o Tano Cucina Italiana, o Shiso (de culinária japonesa) e o Cantô (com um clima carioca e culinária brasileira). Eu jantei neste último. Tem um estilo mais informal, mas ao mesmo tempo super requintado.

As caipirinhas são deliciosas! Pedi uma sugestão de Vitor Souza, idealizador da carta de drinks da casa, e ele preparou uma com kiwi, tangerina e pimenta biquinho. Recomendo! De entrada, comi o carpaccio de pupunha. Como prato principal, pedi a caldeirada de frutos do mar (que vinha com purê de banana!). De sobremesa, não deixe de experimentar a Maria Mole, com calda de coco tostado e crocante de coco. Uau! Nem preciso dizer que tudo estava delicioso. Ótima indicação de restaurante na Barra da Tijuca.

Confira os preços aqui.

Alambique Maxicana

Já até falei sobre esse lugar aqui no blog. Você sabia que há um único alambique de cachaça na cidade do Rio de Janeiro, e que ele produz a única cachaça do mundo que não dá ressaca? E que esse alambique não só está aberto a visitação, como fica num lindo sítio em Guaratiba com piscina, cachoeira, restaurante e degustação das várias cachaças produzidas ali. Um lugar pra curtir um dia inteiro!

Leia tudinho sobre a Maxi Cana aqui nesse post!

Rio Ecoesporte

Essa dica é para quem gosta de natureza, aventura, tours personalizados, conforto. Eu conheci os meninos da Rio Ecoesporte e simplesmente me apaixonei pelo trabalho que eles realizam. Eles vão além de levar o turista apenas nos pontos turísticos: querem mostrar um Rio que poucos conhecem. O foco deles é a Zona Oeste – Barra, Recreio, Guaratiba, as Vargens. Eles oferecem desde trilhas, a salto de asa-delta, a SUP, a visita a museus. São versáteis, te buscam no seu hotel e conhecem o Rio como ninguém.

O tour que fiz com eles começava com uma visita ao Sítio Roberto Burle Marx (que contei lá em cima) e depois continuava com uma trilha que eu ainda não conhecia: no Parque Natural Municipal da Prainha. É uma trilha leve e que te leva pra um visual INCRÍVEL! Eles me deram um kit com camisa, boné e garrafa térmica, levaram água geladinha, fizeram alongamento conosco, contaram diversas histórias e curiosidades do Rio. Essa é uma agência que não indico apenas pra turistas, mas para moradores do Rio também. Nossa cidade é tão grande e maravilhosa, que ainda há muitos segredinhos que nós não conhecemos.

Eles têm agências dentro dos principais hotéis de luxo da Zona Oeste (no Grand Hyatt, no Blue Tree, e outros). Então pode confiar que eles vão te oferecer um serviço de primeira!

Pesquise aqui os preços dos melhores hotéis do Rio de Janeiro!

Eu já comentei aqui no blog. Para mim, a Barra da Tijuca (e seus arredores!) é o novo destino de fim-de-semana do carioca. E é o novo pedacinho do Rio que o turista está gostando de desbravar. Os preços são atrativos, é seguro, as praias são maravilhosas, há museus, ótimos restaurantes, hotéis de luxo. Acho que ainda posso voltar muitas vezes, e não vou me cansar nem esgotar tudo que ainda quero ver!

Atenção, leitor, fiz esta viagem maravilhosa a convite da Associação de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro e do Rio Convention & Visitors Bureau.

Leia mais:

Barra da Tijuca e arredores: o novo destino queridinho do Rio!

Onde ficar na Barra: no luxuoso Hilton Rio

Onde ficar no Recreio: no impecável Blue Tree Premium Design

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply