Dicas de onde comer bem em Niterói

6

Que Niterói tem praias lindíssimas, muita gente sabe – e já já sai roteiro por aqui falando desses paraísos. Mas, por não ser um destino reconhecidamente turístico (ainda!), e tantas vezes acabar ofuscado pela Cidade Maravilhosa (até entendo, vai…), ainda há dúvidas de onde comer bem por aqui. Niterói tem restaurantes estreladíssimos, e alguns são mesmo um achado! Eu ainda precisaria de muitos posts mais para dar todas as dicas que essa cidade, que já me acolhe há onze anos, merece. Mas hoje, para começar, trago três dicas bacanas para ninguém cair em furada e levar uma má impressão de Nikity – como os mais íntimos chamam.

aDSC_0527

Para começar, vou logo destacando aquele que ganhou esse ano como o melhor restaurante português de todo o Rio de Janeiro (pela Revista Época) e que, pasmem!, ainda tem morador que não conhece: a Gruta de Santo Antônio. Conceituadíssima lá no TripAdvisor, onde ela aparece como o restaurante número 1 da cidade, e somando diversos prêmios, entre eles o de 4 vezes campeão na categoria Melhor Restaurante de Frutos do Mar de Niterói pelo jornal O Globo, a Gruta é comandada pela querida Dona Henriqueta e seu filho, o chef Alexandre Henriques, que juntos criam pratos incríveis, inspirados em suas diversas viagens a Portugal.

aDSC_0264

aDSC_0296

aDSC_0298

IMG_4805

A Gruta de Santo Antônio não fica em nenhum ponto badalado de Niterói. E sua localização é perfeita para quem vem do Rio, pois está há uns dez minutinhos de carro da descida da ponte. Ela está localizada, desde 1970, no bucólico bairro Ponta Da Areia, pertinho, pertinho do Mercado de Peixe de Niterói. E, sim, esse é um dos grandes trunfos do restaurante: ingredientes fresquíssimos ali, ao lado de casa. Quem chega na Gruta já percebe o tom familiar da decoração, com fotos da infância dos donos e objetos trazidos de diversas regiões de Portugal, como os pratos de cerâmica que ornamentam as paredes.

aDSC_0333

aDSC_0334

aDSC_0306

aDSC_0312

O bolinho de bacalhau, bem como o Bacalhau do Chef, prato principal famooooso entre os frequentadores da casa, se destacam. Mas indico, a quem queira se deliciar com um pouquinho de tudo que a Gruta tem a oferecer, o Menu Degustação da casa. São cinco saborosos passos, a começar pelas entradinhas: pastel de nata de bacalhau (uma massa folhada que se desfez na boca e bacalhau desfiado no recheio), camarão a bulhão pato (acompanhado de um molho de azeite e alho irresistível) e panelinha de lagostins.

aDSC_0272

aDSC_0273

aDSC_0282

Como prato principal, já extasiada, experimentei, claro!, o famoso Bacalhau do Chef, numa porção diminuta para dar conta de todas aquelas delícias. Trata-se de um lombo extra do peixe, levemente assado no forno com sua própria gordura, numa redução de cebolas e batatas ao murro. Taí, entendi porque a Gruta tem tantos prêmios assim!

aDSC_0284

Para finalizar a noite maravilhosa, chegou à minha mesa uma prova dos três melhores doces da casa, intitulada Pijaminha de Doces Portugueses: o tradicional pastel de nata, um rocambole de laranja com amêndoas moídas e um toucinho do céu. Juro, salivo só de lembrar.

aDSC_0292

O menu degustação custa R$98 por pessoa, sem bebidas. A casa possui ainda uma adega climatizada com 320 rótulos selecionadíssimos e mais de 3 mil garrafas, entre eles os melhores vinhos portugueses.

aDSC_0315

aDSC_0324

aDSC_0327

Já para os carnívoros, selecionei uma dica especial: a churrascaria Mocellín, de frente para a praia de São Francisco. Você pode optar por uma mesa com vista para a orla, ou, se estiver num grupo grande, nessa mesa redonda onde me sentei e que achei o máximo. Olha nessa foto abaixo como é o teto dela. Ah, até a decoração do banheiro é fofa!

aDSC_0399

aDSC_0432

Decorações e penduricalhos à parte, vamos falar de coisa séria. A Mocellín traz mais de 20 especialidades em carnes bovinas, suínas, cordeiro, aves, exóticas, além de peixes e um buffet muito farto, incluindo um especial de comida japonesa de altíssima qualidade. Tudo isso incluído no valor do rodízio, de R$93 por pessoa. Dentre as carnes, recomendo muito a prime rib, a picanha e a costela barbecue. Peça também para trazerem à mesa os risotos do dia, quentinhos. O de funghi é delicioso, assim como o de tomate seco. Ah, não deixe de experimentar ainda a mandioca frita da casa, que vem num formato diferente e é super macia por dentro.

aDSC_0396

aDSC_0446

aDSC_0417

aDSC_0427

Para acompanhar, pedi as caipirinhas, super caprichosas e preparadas na frente do cliente. Segui a recomendação do nosso barman e experimentei uma de morango com lichia. Pode pedir, hein!!! Saborosíssima. Os chopps da casa também são bem cremosos e geladinhos. Para quem não opta pela bebida alcoólica, sugiro a água de coco ou os sucos naturais.

aDSC_0410

E, vamos lá, é impossível, numa churrascaria, ignorar o carrinho de sobremesas! Finalize toda essa orgia gastronômica com um docinho. Eu fui de petit gateau e adorei! Mas, atenção, ele é enorme. Há ainda banana flambada, brownie, tortas diversas, mousses e sorvete.

aDSC_0454

aDSC_0472

Continuando as dicas de restaurantes em Niterói, eu não poderia deixar de citar aquele que é ótima pedida para um almoço de família no domingo (ou qualquer outro dia, claro): o Jambeiro, no Ingá. É que ele tem aquela carinha de almoço de domingo, sabe! Tradicional na cidade e localizado num casarão antigo de 325 metros quadrados, o Jambeiro traz um cardápio bem diversificado de comida contemporânea. Na parte interna, há o salão com ar condicionado. Já na externa, dividimos espaço com uma praça com muitas árvores e, inclusive, um parque infantil. Gosto em especial de ficar nessas mesas de fora.

aDSC_0063

aDSC_0075

aDSC_0078

aDSC_0084

O prato típico de domingo no Jambeiro é o cozido. Mas gosto bastante do Namorado al Mares, acompanhado de frutos do mar, arroz com brócolis e batata soute. Os risotos, feitos com arroz arbóreo, também são ótimas pedidas.

aDSC_0065

aDSC_0070

aDSC_0092

Para finalizar, dou destaque ao restaurante da Cervejaria Noi em São Francisco, pertíssimo da Mocellín e também de frente para a praia. A Noi, cujo slogan é “a cerveja concebida sem pecados” é uma cerveja artesanal fabricada em Itaipu, na região oceânica de Niterói. Claro que a atração principal do restaurante é degustar as sete versões da bebida: Noi Bionda (pilsen), Noi Avena (com notas maltadas de mel, elaborada com 4 maltes de cevada e flocos de aveia), Noi Nera (um misto de chocolate e café no sabor), Noi Bianca (de trigo, com notas de banana e cravo), Noi Bionda Light (uma pilsen com teor alcoólico reduzido em 25%), Noi Rossa (produzida com 5 maltes de cevada, 2 variedades de lúpulos e com notas de toffee e caramelo), e Noi Bionda Oro (pilsen premium, não filtrada). Para acompanhar todo esse tour etílico, há petiscos e pratos principais, todos indicados com a melhor Noi para harmonizar. Dica: ouço falar muito do camarão na moranga e do polvo grelhado!

aDSC_0474

aDSC_0479

aDSC_0491

aDSC_0499

Aos poucos estou organizando mais posts dando dicas de onde comer bem em Niterói. São muitos restaurantes a revisitar para trazer as informações fresquinhas para vocês. Se quiser indicar algum especial, pode me contar nos comentários, que eu coloco na lista 😉

Para reservar seu hotel em Niterói, clique aqui.

Obs.: Estive na Gruta de Santo Antônio e na Mocellín através de convite junto às blogueiras Lily Pestana, do Apaixonados por Viagens, Mônica Barros, do Le Touriste Blog, Cris Stilben, do Cris pelo Mundo, Diana Schrok, do Histórias da Di, e Fabrícia Beltrão, do Necessaire na Mala. Não aceito propostas que não tenham o perfil do meu blog e sou 100% transparente com meus leitores com relação a qualquer parceria realizada e minhas impressões sobre o local.

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!