Sobre esse vício em pegar a estrada… {Croácia: meu próximo lar}

17

Acabo de voltar de uma viagem rápida de fim-de-semana com minha mãe e meu irmão a Penedo, RJ, e na volta vim direto para Itaperuna, RJ, cidade onde nasci e minha família vive. Eu amo pegar a estrada com eles, e dessa vez meu pai fez uma falta danada, com suas histórias no volante e na mesa do bar. Ele sempre nos arranca um monte de gargalhadas, mesmo quando as histórias se repetem e quando estamos ouvindo o rotineiro CD do Tim Maia na estrada, com ele elogiando a banda Vitória Régia e cada entrada irreverente do Tim. Como ele fez falta – meu pai bem mais que o Tim, rsrs!

Fizemos essa viagem como uma “despedida” antes da minha viagem sozinha. Para nós, viajar em família é tipo horário de verão: tem que atualizar nosso relógio ao menos duas vezes ao ano. Amo viajar em família, e foi assim que aprendi a ter essa paixão por pegar a estrada.

Desde novinha me lembro das longas viagens de carro, sem 3G, sem Waze ou Google Maps, sem Booking ou TripAdvisor, só com um mapa e um Guia 4 Rodas na mão. Sempre sabíamos nossa cidade de destino – tipo o Natal Luz de Gramado, que deixa qualquer criança maluca com a coleção de Papai Noel pelas ruas. Mas a verdade é que o roteiro tomava forma conforme íamos avançando.

natal luz em gramado

Lembro até hoje das estradas que meu pai decidiu pegar “para conhecer”. E de uma delas que nos levou por uma estrada de chão, que a certa altura estava fechada para obras. Ficamos lá por horas, no meio do nada, eu e meu irmão novinhos, só tínhamos biscoito no carro pra comer. Meu irmão fazendo amizade com os caminhoneiros, se pendurando nos caminhões para tirar fotos. Um caminho novo nunca era ruim, era só estar aberto às surpresas que qualquer viagem pode trazer.

viajando na estrada

Minha mãe parava nas pousadas e pedia para “dar uma olhadinha” nas suítes para ver se eram Ok. Não havia fotos e resenhas na internet. Era tudo de porta em porta mesmo. Às vezes chegávamos à noite, exaustos, depois de um dia inteiro dirigindo na estrada – meu pai, né, porque eu e meu irmão ficávamos jogando adedanha e tudo mais que se pode imaginar no banco de trás, às vezes fazíamos até piquenique naquele espacinho apertado. Não tinha iPhone ou iPad. Brincávamos de contar quantos carros brancos passavam por nós para não enjoar na estrada.

viagem em família

E com o tempo fui morar longe… Surgiram os compromissos, o trabalho, e as viagens precisaram ser para lugares mais perto e mais curtas. Mas nunca acabaram! Se não atualizamos nosso reloginho a cada nova estação, parece que ficamos fora de compasso.

viagem em familia 3

E com esse tempo aprendi também a pegar a estrada sozinha. Assim deixo um pouco (bastante) do que amo para atrás e levo comigo tanta saudade e aprendizado.

Ninguém mandou me ensinar tão cedo como era bom sair por aí… Agora vivemos de visitas, eu indo até eles, eles vindo até mim. Uma ótima desculpa para continuarmos com o pé na estrada? Talvez, só sei que quando nos encontramos de novo é tão bom que parece que cada dia longe serve pra multiplicar o sentimento de cada minuto perto.

viagem em família 2

Ontem nós pegamos a estrada de novo… E foi para vir passar meus últimos dias de Brasil grudadinha com eles, na cidade deles, na cidade que é minha. Não vinha aqui há três meses, então reservei minhas últimas três semanas para não fazer mais nada além de colo e dengo. E depois é a vez deles irem até mim na Croácia. Mal podemos esperar por mais uma estrada juntos…

*Sim! Já contei nas minhas redes sociais, mas ainda não tinha “oficializado” aqui no blog. Em agosto me mudo para Zagreb, capital da Croácia. Mas antes vou passar uns 15 dias viajando desde a Grécia, passando pela Albânia, Montenegro e chegando às ilhas croatas. Ainda vou compartilhar aqui com vocês o roteiro e adoraria receber dicas de quem já esteve por esses lugares – em especial a Albânia, porque está difííícil achar dicas de lá!

Vou passar cinco meses em Zagreb como parte do meu programa de mestrado no Instituto Coppead, escola de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Na Croácia vou estudar na Zagreb School of Economics and Management, parceira da minha universidade. Estou super feliz e ansiosa ao mesmo tempo, pois não conheço nada do Leste Europeu e tenho ouvido milhares de elogios! Além disso tem todo aquele frio na barriga de me mudar mais uma vez para outro país desconhecido, passar um tempo longe de casa, com novos amigos, perrengues, descobertas…

E por isso eu quis trazer para cá uns pensamentos soltos que iniciei no Instagram (@fuigostecontei), mas que o espaço restrito por lá me fez querer expandi-lo aqui 😀 Então já sabem, né… Vemmuito mais dica por aí! Para acompanhar em tempo real, sigam o blog nas redes sociais. Estou no Facebook, no Instagram e no Twitter. Mas se quiser ver os bastidores das minhas viagens, o lugar certo é o Snapchat. Me procura lá pra curtir comigo: fuigosteicontei

Nos vemos por aí 😉

Croácia , aí vou eu! Lagos Plitvice - Foto: Blog Mirelle Tome
Croácia , aí vou eu! Lagos Plitvice – Foto: Blog Mirelle Tome

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion17 Comentários

  1. Nossa, viajei nesse seu post, eu fui criado em Volta Redonda e ia a Penedo nos anos …70, provavelmente bem antes do seu pai conhecer a sua mãe, rsrsrs…lembro que tinha um camping de um alemão lá no final da estrada das cachoeiras, ele fazia o ‘smorgasbord’, um prato escandinavo, chamava-se Hans e era casado com uma brasileira (Lígia), não sei se eles são vivos ainda, o camping não existe mais…nos fds o pessoal de VR, Barra Mansa e Resende ia no baile do Clube Finlandês, com danças típicas.
    Na Grécia, me lembro de ter gostado muito da Ilha de Rhodes!
    abs

    • Uau, Marcelo! Quantas lembranças o post te trouxe…
      Ainda existe um camping por ali, não sei se é o mesmo! Mas que memória, hein! Um dia quero ser assim, hehehe…
      Obrigada pela dica da Grécia! Meu tempo por lá vai ser curto – senão não chego a tempo das minhas aulas em Zagreb, rs – mas estou vendo como encaixar as ilhas no roteiro! Cada uma mais incrível que a outra….
      Bjs!

      • É, trouxe sim, fui muito a Penedo.
        Acho que dificilmente será o mesmo camping…
        Ah, não precisa agradecer. Na realidade a Grécia tem muitas ilhas, mas muitas são mínimas e desabitadas, acho que a maioria – nem um pouco ‘incríveis’ portanto – o fato é que algumas poucas ilhas é que deram fama às ilhas gregas…
        Eu tenho boa memória mesmo, mas me lembro do nome do alemão pq. era o nome do Camping tb, HANS CAMPING!;)
        Aproveite!
        bj

  2. Tainá Faria Albuquerque

    Carla que lindo esse post!!!!
    Você não mudou nadaaa.
    Espero que essa nova jornada te traga uma bagagem de tudo de melhor que a vida tem a nos oferecer,
    viajar é algo sublime, são sensações jamais esquecidas, marcam nossas vidas, e eu espero que a sua marca seja doce e feliz.
    Good trip!!!!

    • Tata, amei suas palavras!
      Viajar é algo realmente sublime, levamos cada lembrança pro resto da vida!
      Vou aproveitar e colocar aqui as dicas q vc me deu por whatsapp, assim elas nunca se perdem: o vinho com mel e o presunto de parma de Montenegro! É isso mesmo? Kkkk.. Não vejo a hora de chegar lá.
      Vou ficar com saudades, mas logo logo eu tô aí!
      Beijão!

  3. Elba Boechat leme

    Quem sabe agora terei que dizer: até a Croácia?? Farei de tudo para ir. Essa sua última postagem sobre as viagens com a família me emocionaram…ver fotos suas e de seu irmão pequeninos. Como vcs gostavam dessas viagens. Continue assim. Viajar é o que há de melhor, mesmo que seja para ali, em um canto qualquer. Sempre encontraremos algo para ver e contar.
    Mais uma boa viagem…
    e aproveita esses seus últimos dias na santa terrinha para mostrar que Itaperuna, além e apesar de ser uma das cidades mais quentes do Brasil, também tem coisas boas para se ver.
    bjs e até…

    • Ei, tia Elbinha!
      Foi literalmente uma viagem no tempo rever essas fotos e escolher quais viriam pra cá. Muita lembrança boa dessas andanças!
      E vc disse tudo.. dá pra viajar até dentro da nossa cidade, descobrindo coisas novas a cada dia. Meu desafio agora é mostrar esse lado de Itaperuna! Rsrsrs…
      Te espero na Croácia! 😀
      Beijos já com saudades

  4. Nossa so hoje que eu vi minha foto aqui, fiquei muito feliz. E espero que aproveite bastante a Croácia, um país que me identifiquei bastante, comida deliciosa, as pessoas super amáveis, muito seguro, e barato, além de toda aquela beleza natural…bju lindona, espero nos encontrar por aí.

    • Oi, Mirelle! Lindíssimaaaa a sua foto, não vejo a hora de conhecer os lagos!
      E adorei seus posts.
      Estou bem ansiosa para chegar aí logo, todo mundo elogia muito o país! Quem sabe não nos encontramos mesmo!!!
      Um beijo e sucesso por aí! 😀

  5. Pingback: Contos de viagem – Quando morar fora aperta… | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  6. Pingback: Hoje faz quinze meses que eu não tenho casa | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

Leave A Reply