Dicas de restaurantes em Vancouver, Canadá

1

Uma cidade em que mais da metade dos moradores são estrangeiros – cenário perfeito para um intercâmbio, certo? Conhecer gente do mundo todo, misturar culturas, provar pratos nunca antes imaginados, aprender a xingar em francês, alemão ou koreano (pois é, aprende-se dessas coisas em um intercâmbio…). E se esta cidade ainda estiver entre as três com a melhor qualidade de vida do mundo? E contar com a maior pista de ski das Américas? Animou? Então pega o guarda-chuva, calça uma galocha e vem curtir Vancouver.

Foto: caseyyee
Foto: caseyyee

Carinhosamente apelidada como “Raincouver” entre meus amigos, essa chuvosa cidade do Canadá é uma das que mais atrai estudantes nas agências de intercâmbio. É segura, linda e acolhedora. Morei lá por três meses e trago algumas dicas rápidas para cair de amores pela variedade gastronômica da melhor cidade de British Columbia. Lugares baratinhos que cabem no bolso de estudantes? Tem aqui! Comida brasileira de verdade? Dou a dica certeira! E uma culinária diferente? Tem também. Confere aí:- Stepho´s Souvlaki Greek Taverna – Está localizado na principal rua gay de Van, a Davie Street, em Downtown, onde até as lixeiras e pontos de ônibus são cor-de-rosa. Impossível esquecer o sabor daquela lasanha de carneiro… Vá com muita fome! Tudo é tentador. Se a fome não for muita, aconselho pedir um prato para dois. E não se assuste com a fila na porta! Vale a pena esperar um pouquinho por uma mesa. Sem falar na satisfação final: a conta costuma dar cerca de dez dólares por pessoa. O melhor custo benefício da cidade, sem dúvidas!

 181617_10150135286981830_4037429_n
foto

Shabusen Yakiniku House – Mais um ótimo custo benefício, com comida japonesa, na Burrard Street, também em Downtown. Sem falar que no centro de cada mesa há uma grelha, para aqueles que não são chegados em peixe cru. O rodízio no horário do almoço custa cerca de 15 dólares e há bastante variedade – a opção BBQ, com direito a usar a grelha, custa uns dois dólares a mais. Também se pode optar por sentar no balcão, onde o atendimento é mais pessoal e a comida chega rapidinho.
http://www.shabusenyakiniku.com/

216424_10150218949886830_6861945_n

– Brasil Stone Grill – Esse restaurante é puro amor! Bem compacto, de donos brasileiros, fica na Powel Street, em Gastown. Serve estrogonofe, coxinha, risole, frango à passarinho, brigadeiro, torta de palmito, pão de queijo, pudim de leite, guaraná antártica. O coração palpita só de lembrar! Os preços são amigáveis e no som muito Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz. Quando fui, eles ainda estavam tentando permissão do governo para vender cerveja brasileira, mas nem senti tanta falta. Era ali que eu matava a saudade de verdade do Brasil, pois a comida tem aquela carinha de caseira mesmo, feita com carinho. O brigadeiro custa um dólar e o estrogonofe oito dólares, por exemplo. O cardápio é outra atração à parte! Olha só:
https://www.facebook.com/BrasilStoneGrill

196389_10150210875521830_3297426_n
206416_10150220903871830_2569720_n

Samba Brazilian Steak House – Atendimento em português, Vítor e Leo na caixa de som, picanha, feijão. As opções de carne estão longe de ser como nas churrascarias daqui, mas vale a intenção. No horário do almoço custa uns 16 dólares, no jantar é mais caro. Fica na Alberni Street, em Downtown.
http://www.thaihouse.com/samba/

200309_10150160103746830_3803645_n
Red Robin – Uau, a torre de cebola à milanesa é sensacional – põe a do Outback no chinelo. Os sanduíches também são de outro mundo. Lanchonete moderninha com o chopp mais gelado da cidade! Fica na Robson Street, rua badalada com várias lojas grifadas em Downtown.
http://www.redrobin.com/Great Wall Mongolian BBQ – Nunca tinha imaginado que pudesse gostar de comida mongoliana. E me surpreendi! O restaurante é bem simples e o prato é preparado na hora, na sua frente. Pode-se escolher entre carne de porco, frango, boi, além dos acompanhamentos e temperos. Há a refeição única ou o famoso “all you can eat”. Ambos não passam de 15 dólares por pessoa. Fica na Denman Street, também em Downtown.

190092_10150172879031830_2636767_n

Marble Slab Creamery – Melhor sorvete de Van! No verão dá fila na calçada. E vale a experiência diferente.. Você escolhe os sabores e a atendente coloca todos numa chapa de gelo e ali arruma tudo para depois colocar na casquinha/copinho. Eu sempre ia na Marble Slab da Denman Street, já na região da English Bay, a praia de lá.
http://www.marbleslab.ca/

Cafe Crepe – No coração de Downtown, na Granville Street, tem os mais deliciosos crepes recheados. O de nutella com morangos frescos é inesquecível. Se for para se lambuzar, pode pedir para ser servido em formato de cone, para comer com as mãos. Muito, muito, muito bom! Serve também cafés, sanduíches, cerveja, café da manhã. Mas o destaque, como o próprio nome mostra, é o crepe, cujo preço varia de 5 a 12 dólares.
http://www.cafecrepe.com/

Granville Island – Tem que ir várias vezes para conseguir experimentar tudo. Você encontra diversas frutas típicas e fresquinhas, além de pães, tortas e várias opções de lanchonetes e restaurantes típicos. É passeio para uma tarde toda.
http://granvilleisland.com/

196700_10150167112016830_7666438_n

OBS.: Vale lembrar que estes são registros do meu intercâmbio em 2011. Alguns restaurantes podem ter sido fechados e/ou preços alterados.

Quer ver dicas de hospedagem em Vancouver? Pesquise aqui por preço, localização, avaliação ou número de estrelas.
Atenção, leitor: ao fazer sua reserva a partir deste link indicado, o Fui, Gostei, Contei receberá uma pequena comissão sem você pagar nenhuma taxa a mais por isso. O Booking.com é um dos parceiros do
Blog e líder mundial em reservas de acomodações. Obrigada pela preferência! 🙂

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion

  1. Pingback: Uma semana em Vancouver: pequena lista de desejos | Contos da Mochila

Leave A Reply