Uma dúvida comum entre brasileiros com viagem marcada para o Chile é o que levar na mala e como se vestir para encarar a estação mais fria do ano. Para quem vive em um país tropical, o clima de inverno no Chile, especialmente em zonas montanhosas, pode parecer extremo.

Se esse é o seu caso, não se preocupe! Algumas dicas básicas e peças essenciais vão garantir que você permaneça quentinho até nas temperaturas mais baixas. Moro no Chile há quase 3 anos e é um prazer te ajudar nisso!

Quer ajuda no seu roteiro pelo Chile? Temos passeios em Santiago e no Deserto do Atacama! Solicite um orçamento clicando aqui ou nos escreva no contato@fuigosteitrips.com.br

Como é o inverno no Chile?

O inverno no hemisfério sul vai do dia 21 de junho a 21 de setembro. Como o Chile é um país longo e estreito, cobrindo uma extensa latitude, seu clima é bastante diverso. Por isso, o inverno tem características diferentes dependendo da zona do país na qual você se encontra.

Uma coisa, no entanto, é certa. A altitude influencia dramaticamente o clima — para você ter uma ideia, a temperatura cai aproximadamente 1º C a cada 200 metros acima do nível do mar. E como os principais destinos turísticos do Chile envolvem uma ida a regiões de altitude elevada, é bom estar preparado.

Neve no Chile

Normalmente, o período de neve é entre meados de junho a meados de setembro. É claro que também pode começar a nevar antes e/ou continuar nevando depois. Tudo depende das condições climáticas.

Dificilmente neva na cidade de Santiago, apenas nas estações de esqui nos arredores da capital. Em lugares mais ao sul, como Pucón ou Puerto Varas, você terá uma chance maior de ver a neve cair nas ruas da cidade. De qualquer forma, para ver a paisagem dominada pelo branco, basta subir alguns metros cordilheira acima.

Inverno em Santiago

No inverno, a capital chilena costuma ter mínimas de 2-3ºC e máximas de 15-16ºC, com uma temperatura média em torno de 8-9ºC. É muito raro presenciar temperaturas negativas. Essa é também a época chuvosa, especialmente os meses de junho e julho.

Inverno na Patagônia

Na Patagônia, os invernos são rigorosos, com bastante precipitação e nevascas constantes. O norte da Patagônia, na região dos lagos andinos, próximo a Puerto Varas e Puerto Montt, tem temperaturas mais toleráveis, com máximas de 11-12ºC e mínimas de 3-4ºC.

Mais ao sul, em Punta Arenas e no Parque Nacional Torres del Paine, a temperatura mínima cai para -1º e a máxima para 5-6ºC. Apesar do frio intenso, é a época em que os fortes ventos costumam dar uma folga. A paisagem é toda tomada pela neve e, apesar da beleza, nem todos os passeios são possíveis. Muitos hotéis inclusive ficam fechados neste período.

Inverno no Atacama

O inverno no Atacama acentua uma característica do deserto: a amplitude térmica. De dia, você pode andar até de camiseta pelo povoado de San Pedro de Atacama, com temperaturas em torno de 18-20ºC. À noite, prepare-se para madrugadas frias, com temperaturas de até -1ºC. É também a época mais seca (ao contrário das chuvas de verão do Inverno Altiplânico).

Os passeios dessa região, em altitudes que vão de 2.500 a 4.500 metros sobre o nível do mar, podem registrar temperaturas de até -20º. Ou seja, um frio extremo, para o qual você deve estar muito bem preparado. O viento blanco, como chamam as nevascas na região, pode fechar algumas estradas e suspender alguns passeios. Veja mais sobre a melhor época para visitar o Deserto do Atacama

Como se vestir para o frio

Existem alguns truques básicos para se proteger do frio. Confira a seguir três dicas indispensáveis do que fazer e como se vestir no inverno no Chile.

Vista-se em camadas

A melhor forma de se vestir para o frio extremo é o isolamento térmico em três camadas, garantindo que o frio não entre, o calor se mantenha e o suor seja eliminado. Vale adotar essa essa técnica principalmente em casos de oscilação de temperatura, em lugares como o Deserto do Atacama ou durante a prática de esportes na neve.

1. Camada interna: segunda pele

Como o próprio nome já diz, essa camada está em contato direto com o corpo. Deve ser leve e ter caimento justo. O ideal é que o tecido seja feito com uma tecnologia que permita à pele respirar e maximize a evaporação do suor, mantendo você sempre seco. A segunda pele pode ser aveludada por dentro, mais quentinha, ou não.

2. Camada intermediária: aquecimento

A segunda camada deve te aquecer, mantendo a temperatura do corpo. Uma sugestão é usar um fleece, tipo uma flanela feita de tecido sintético com propriedades isolantes. Eles são leves, motivo pelos quais podem ser usado como camada externa quando os termômetros começam a subir. 

Outra opção são os casacos de pluma, que são ainda mais quentes e ocupam pouquíssimo espaço. Porém, não é um material muito transpirável e deve ser evitado para esportes muito intensos, pois eles podem ficar molhados e perder sua função de isolamento térmico.

Se você estiver na cidade e quiser montar looks para inverno no Chile, considerando temperaturas mais amenas, a camada intermediária pode ser um tricô ou uma blusa de lã charmosa. 

3. Camada externa: proteção

A última camada deve proteger do vento e da umidade. Para isso, é necessário um material impermeável e corta-vento, preferencialmente com capuz. Além de proteger do frio, da chuva e dos ventos da montanha, esta camada vai te deixar mais seguro em casos de queda na neve. 

Caso você não esteja na montanha, um casacão de lã ou mesmo uma parka, dependendo da temperatura, devem dar conta do recado. Escolha preferencialmente peças mais largas, para ficar confortável com as camadas inferiores. Casacos de nylon com forro encorpado também são uma opção. 

Essas regras valem tanto para a parte de cima quanto para a parte de baixo. Exceto no caso de praticar esportes na neve, a terceira camada para a calça é dispensável. Se você não quiser investir em peças específicas, é possível aproveitar uma legging para a primeira camada e uma calça normal para a segunda.

Proteja as extremidades

As extremidades do corpo recebem menos sangue e tendem a ficar mais frias com a mudança da temperatura. Por isso, é muito importante proteger bem os pés, as mãos e a cabeça. Algumas peças fundamentais são cachecol ou echarpe, gorros (com ou sem protetor de orelha), luvas, meias térmicas ou de lã e sapatos impermeáveis, como botas de trekking.

Esses itens vão cobrir a maioria das suas necessidades diárias. No caso de praticar esqui ou algumas trilhas na montanha, você precisará de botas específicas para a atividade.

Kit de higiene e cuidados pessoais

Além da roupa, é muito importante se preocupar com a pele, os lábios, o nariz e os olhos, expostos ao frio, ao vento e ao sol na maior parte do tempo. Por isso, leve hidratante, protetor labial, colírio umidificante e soro fisiológico. Em casos de ressecamento extremo, é bom ter também bepantol para prevenir rachaduras. 

Além disso, você deve usar protetor solar todos os dias, mesmo quando estiver nublado. Muitas vezes menosprezamos os efeitos nocivos dos raios solares em locais mais frios, mas é preciso redobrar os cuidados com a pele, principalmente na altitude.

Roupas de inverno no Chile

As dicas do tópico anterior vão te ajudar na hora de se proteger do frio. Mas e se você não tiver fleeces, casacos de pluma e jaquetas corta-vento? O que fazer? 

Vale a pena comprar roupa de inverno no Chile?

Depende. A maioria das roupas de inverno tem pouca utilidade para a gente no Brasil, mas podem ser úteis em outras viagens similares. Nesses casos, vale o investimento.

De modo geral, os preços no Chile costumam ser mais em conta, além de as lojas terem uma maior diversidade de produtos e modelos. Em algumas marcas outdoor como North Face e Columbia, o valor da etiqueta pode ser até 40% mais barato. Você também pode dar chance para outras lojas, como Marmot, Patagonia e Mountain Hardwear, além das chilenas Doite e Lippi, de ótima qualidade.

Mesmo lojas de departamento como Falabella, Ripley e Paris oferecem uma boa seleção de roupas de frio por preços bem convidativos. 

Mas caso você prefira desembarcar em terras chilenas já com as roupas de frio, vale dar uma olhadinha em lojas de roupas e artigos esportivos como Decathlon e Centauro. Ah, e tem uma Decathlon em Santiago também!

Vou esquiar ou subir montanhas. Melhor alugar ou comprar?

Para essas atividades, é importante ter todas as camadas mencionadas, tanto para a parte de cima quanto para a de baixo. Enquanto algumas peças, como a segunda pele e o fleece, têm seu uso facilmente adaptado para outras situações de frio, outras são bastante específicas, como a calça impermeável. 

Se você não costuma viajar para destinos de montanha, melhor alugar. De qualquer forma, você provavelmente teria que passar em uma loja para alugar outros equipamentos, como botas e bastões. 

Afinal, o que levar na mala de inverno para o Chile?

Roupas de inverno são mais densas e naturalmente ocupam mais espaço na mala. Não se preocupe em levar várias peças de cada tipo, seja objetivo na hora de escolher as roupas que realmente vão proteger você do frio. Para variar os looks de inverno no Chile, a dica é alternar os acessórios: leve diferentes lenços, cachecóis e gorros.

Segue uma sugestão de mala compacta para 7 dias de viagem:

  • Blusa térmica
  • Calça térmica
  • 1 legging
  • 1 fleece
  • 1 casaco impermeável e corta-vento
  • 1 casaco/parka/jaqueta de frio
  • 2 calças (uma preta e uma jeans)
  • 2 blusas de algodão de manga comprida
  • 2 camisetas
  • 2 blusas de lã/tricot
  • 4 lenços/cachecóis
  • 2 gorros
  • 4 pares de meia
  • 1 meia térmica ou de lã
  • 1 tênis/bota/sapato fechado
  • 1 bota de trekking
  • 1 chinelo
  • 1 pijama quente
  • roupa íntima
  • necessaire com produtos de higiene

Gostaram das dicas? Ficou alguma dúvida? Conta pra gente aqui nos comentários!

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui