É difícil encontrar alguém que não tenha gostado de Pucon, aqui no Chile. Destino cada vez mais popular entre brasileiros, Pucon é uma cidade super charmosa mais pro Sul e que tem desde vulcão ativo, passando por ótimos trekkings, piscinas termais, bons restaurantes, muitos parques, e esportes de ventura.

Gosto de dizer que Pucon é um destino pra qualquer estilo de viagem de férias. Portanto não importa se você é mochileiro, se vai viajar de casal, com a família, se quer luxo. Aqui você encontra de tudo!

Pucon está a cerca de 800km ao sul de Santiago e merece estar em seu planejamento de uma viagem ao Chile. Essa foi minha segunda vez aqui, e com certeza já estou planejando a terceira. Essa parada em Pucon é parte da minha viagem de 4 meses sozinha indo por terra do Deserto do Ataama até a Patagônia. Então vamos às dicas desse lugar dos sonhos?

Que tal essa primeira impressão de Pucon, no sul do Chile?

Como chegar a Pucon

Conforme eu já comentei, Pucon fica a 800km ao sul de Santiago do Chile. As duas principais maneiras de chegar são de ônibus ou de avião.

Muita gente opta em pegar um ônibus noturno, que na chegada já te deixa no centro de Pucon – essa foi minha opção quando vim pela primeira vez em 2011. São cerca de dez horas de viagens, mas os ônibus no geral são bastante confortáveis. Indico buscar as opções de empresas e horários pelo site recorrido.cl.

Ou você pode pegar um voo até Temuco, que está a uma hora e meia de Pucon – foi o que fiz nessa segunda visita em 2019. Repito aqui a dica que sempre dou em meu Instagram: se você se planejar com antecedência, consegue achar passagem de avião mais barata que de ônibus aqui no Chile.

Essa foi minha companhia para a trilha Sendero Los Lagos no Parque Huerquehue! Fofo, né?!

Ir de avião ou de ônibus para Pucon?

Se você pretende viajar de avião, pesquise as passagens com ao menos um mês de antecedência da sua viagem. Agora em 2019 vi preços de avião entre Santiago e Temuco a partir de 7.000 pesos chilenos (50 reais) + taxas, enquanto o trajeto de ônibus mais barato a partir de Santiago até Pucon era desde 12.000 pesos chilenos (na poltrona menos confortável).

Vale considerar, ainda, o custo que você vai ter para ir de Temuco a Pucon caso opte por pegar um vôo – eu gastei 3.000 pesos chilenos pra pegar um ônibus do aeroporto até o centro de Temuco e mais 3.700 pesos para pegar outro ônibus de Temuco até Pucon. Se você pretende alugar um carro, alugue em Temuco antes de seguir para Pucon pois conseguirá melhores preços.

As principais companhias aéreas do Chile são Latam, Jetsmart e Skyairline. Mas atenção: o preço que falei acima não inclui marcação de assentos e nem bagagem despachada, apenas bagagem de mão (pequena e geralmente de no máximo 8kg). Se você quiser pagar à parte pra despachar, por exemplo, pode precisar desembolsar mais que o valor da própria passagem. Já de ônibus você não precisa pagar a mais pra despachar sua bagagem.

Se Pucon já está no seu planejamento de viagem pro Chile, leia com atenção esse artigo! Dicas valiosas 🙂

Qual a melhor época para visitar Pucon?

Saiba que Pucon pode ser visitada em qualquer época do ano! Mas, claro, o clima muda bastante ao longo das estações.

O Verão é de altíssima temporada em Pucon, com temperaturas mais elevadas e muitos chilenos na cidade. Mas é excelente para visitar os parques da região, ir nas termas à noite, fazer rafting.

Outono e Primavera em Pucon, por exemplo, têm temperaturas mais amenas, e são boas épocas para fazer qualquer passeio que quiser (agora em 2019 visitei durante a Primavera e amei).

Já o Inverno é de frio e bastante neve nas montanhas no entorno de Pucon (foi quando vim em 2011!). É a época perfeita pra quem quer aproveitar as estações de esqui, se esquentar nas termas e curtir muito a neve. No entanto, tenha em mente que alguns parques podem estar fechados devido à quantidade de neve que cair, e que há neve em alguns pontos perto de Pucon quase o ano todo – vou falar mais sobre isso aqui embaixo.

Playa Blanca no verão é incrível! Mas não se esqueça: é alta temporada e os preços podem estar mais elevados

O que fazer em Pucon e quantos dias ficar?

Muitas pessoas vêm a Pucon apenas passar o fim de semana, saindo de Santiago. Foi o que fiz em 2011, mas essa cidade definitivamente merece mais do seu tempo. Eu recomendaria no mínimo 4 dias aqui pra conhecer bem os principais atrativos. Agora em 2019 eu optei por ficar 9 dias, mas se quisesse teria passeios pra fazer todos os dias!

Já quando a pergunta é o que fazer, a lista parece interminável. Nunca vi tantas termas na minha vida, por exemplo! No entanto não vou citar todas aqui, somente as principais, ok? Outro detalhe é que em Pucon há muitos passeios que você pode fazer por conta própria (alugando carro ou de ônibus mesmo), no entanto há outros que indico fazer com agência.

Tirei essa foto dos Ojos del Carbugua com meu celular e não fiz edição nenhuma. A água é dessa cor mesmo.

Vamos às dicas do que fazer em Pucon!

  • Subir o vulcão Villarica: eu não poderia começar com outra dica que não fosse essa. Esse vulcão emblemático, que é plano de fundo em todas as fotos de Pucon e que é um dos mais ativos do Chile pode ser subido, mas é pros fortes. Considere umas 4 a 5 horas de ascensão até a cratera, com possibilidade de muita neve e vento. Não é fácil, mas é uma experiência pro resto da vida. Custa por volta de 80.000 pesos e não faça se não for com uma excelente agência ou guia.
  • Dar um role pela Av. Bernardo O´Higgins: é a rua principal da cidade onde tudo acontece. Tem supermercado, lojas, agências, restaurantes, bares. Mas não deixe de descer até o final dessa rua (até La Poza), de onde você tem uma vista espetacular do lago e do vulcão. Lugar excelente pra tirar fotos!
  • Playa Grande: é mais um role bem fácil e perto do centro da cidade. É basicamente uma “praia” de areia negra. No Verão costuma ficar cheia! No entanto é linda em qualquer época do ano.
  • Lago Caburgua: que lugar mais lindo, que vibe, que cenários! Tirando o Inverno, claro, dá pra curtir como uma praia e a água do lago é menos gelada que a média no Chile. Se você for de ônibus (como eu), desça em Playa Blanca, vá andando até Playa Negra e de lá pegue um ônibus até Ojos del Caburgua (peça pra descer na segunda entrada, que tem que andar menos pra chegar). Na volta pra Pucon você pode pegar outro ônibus ou até voltar de carona (é bem fácil). Mas se quiser fazer esse passeio com agência, procure pelo passeio Tour por la Zona, que visita também outros pontos perto de Pucon.
  • Saltos del Claro: pensa numa cachoeira enorme? E pertinho de Pucon! Tão perto que eu fui andando – mas só recomendo se você tiver algum preparo físico. Ida e volta deu uns 15km, com descidas e subidas. Também dá pra ir de carro e vi até pessoas indo de táxi e a cavalo.
  • Termas Geométricas: são as mais famosas! E realmente lindas. Mas fica a dica: não vale a pena ir por conta própria. Eles cobram uma entrada mais cara pra quem vai sozinho, que sai quase nada mais barato que ir com agência. Mas no final das contas sai mais caro quando você considera o gasto pra ir e voltar. O preço com agência fica em torno de 30.000 pesos chilenos.
  • Termas Los Pozones: é a mais barata pra ir por conta própria, não só porque a entrada é baratinha, mas porque você pode ir e voltar de ônibus.
  • Termas Pucon Indomito: uma brasileira que mora em Pucon me disse que essas termas têm uma super infra tipo de spa, e que é mais de luxo. Anota essa dica aí!
  • Parque Huerquehue: esse parque é enorme e possui diferentes rotas de caminhadas, desde algumas mais rápidas até outras bem longas. O trajeto mais popular é o Sendero Los Lagos, que dá uns 15km ida e volta. Eu fiz e não achei puxado, mas o ideal é ter algum preparo físico. Achei esse parque lindíssimo! Fui por conta própria de ônibus. Dica muito importante: quando comprar sua passagem de ida, já compre a de volta. Há poucos ônibus saindo de lá na parte da tarde, e a preferência é pra quem já tem o ticket. Leve comidinhas, mas caso te falte algo, no começo do parque há uma lanchonete.
  • Rafting: esse foi um passeio que não conheci ainda em Pucon, mas que deve ser muitoooo irado (vou ter que voltar! haha). Se puder, faça! As agências vendem duas opções: rafting bajo e rafting alto, no entanto o primeiro é mais barato (custa uns 25.000 pesos) e, pelo que entendi, é mais fácil.
  • Subir o vulcão Quetrupillan: é uma alternativa ao vulcão Villarica pra quem quer um passeio menos popular e também menos puxado.

Deixo aqui os horários de ônibus para ir aos parques e às termas. O endereço do terminal é rua Uruguay, 540.

Apesar de eu ter mostrado já várias opções, Pucon tem ainda outros passeios de aventura, como hydrospeed, salto de paraquedas, canopy, entre outros. Como eu disse, você precisa de muitos dias pra conhecer bem a região.

Com os guias que me acompanharam na subida até a cratera do Villarica: Cristian, Diego e Richard. Foi foda!

Onde ficar e dicas de hospedagem em Pucon

A referência pra você estar bem localizado na cidade e fazer muita coisa a pé é a Av. Bernardo O´Higgins, a principal da cidade. O hostel que eu me hospedei em Pucon da primeira vez já não existe mais. Da segunda vez fiquei na casa do Richard através do Couchsurfing. Ele tem dois hostels, e eu fiquei no que está mais próximo do centro (1km) e se chama Terra Volcano Hostel.

Outro hostel que conheci e que é irado é o Chili Kiwi, de frente pro lago Villarica (e não tinha uma vez que eu passava por lá e num tava rolando uma música, ou churrasco, ou qualquer bagunça). Eles têm hospedagem até mesmo dentro de kombis! Vale conferir.

Para algo intermediário, dê uma olhada nos bem localizados Lounge Brasil Hostería Boutique e Hotel Cumbres del Sur. Já os 5 estrelas da cidade são o Enjoy Park Lake, que tem estrutura de resort, e o Hotel Antumalal, charmosíssimo e incrustado no meio da montanha.

Por fim, não posso deixar de falar nesse tópico do Magma Lodge, que conta com domos à beira do lago Villarica.

Dá pra ser muito feliz em Pucon <3

Onde comer e dicas de restaurantes em Pucon

São muitas as opções! Claro que não conheci todos, mas aí vão alguns de meus preferidos:

  • ecole!: não poderia começar com outra dica. Restaurante vegetariano super fofo e comida muito boa. Experimente o burrito e peça pra trocar o arroz pela quinoa!
  • La Cova: pizzaria pequena, simples, muito boa e barata. Pizzas individuais a partir de 2.000 pesos chilenos e sucos também com ótimos preços.
  • El Castillo: é o número 1 do TripAdvisor e também super aprovado entre meus amigos locais. Mais afastado do centro, mas ótima parada a caminho ou voltando do vulcão Villarica.
  • Café Luthier: fica pertinho dos terminais de ônibus. Tomei um café da manhã delicioso e que daria facilmente pra dividir pra duas pessoas. Alguns seguidores no insta também elogiaram o ceviche de lá!
  • Mercadinho El Canello: dica boba, mas que achei legal colocar aqui pois esse mercadinho vende um picolé artesanal super gostoso! Fica na rua Colo Colo quase em frente ao restaurante Quiero Sushi.
Sério, o La Cova é um lugar que vende uma pizza e um suco tão gostosos e baratos que merece uma visitinha.

A noite e as festas de Pucon

Pucon, por exemplo, não é uma cidade super agitada e cheia de festas. Mas claro que sempre rola algo animado, né?

  • Mamas y tapas: é a pedida de sábado em Pucon. Ambiente grande, do lado de fora é mais barzinho e lá dentro rola boate e agito. A galera vai bem arrumada, viu? Acho que é o lugar mais animado da cidade.
  • Vieja Escuela: é uma segunda opção que às vezes fica mais bombadinho. Já que ambas ficam perto uma da outra, vale dar aquela passadinha pra ver qual está melhor.
  • Chili Kiwi: é apenas um hostel, mas é animado! Estando ali, com certeza você vai saber as demais boas do dia.
Quanto mais próximo do verão, mais chances de pegar uma noite mais animada em Pucon!

E aí? O que achou dessas dicas? Faltou alguma coisa? Ainda ficou alguma dúvida? Manda aí nos comentários!

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui