O que levar para o Salar de Uyuni, na Bolívia – lista completa

0

Se fazer as malas para o Atacama já é difícil, saber o que levar para o Salar de Uyuni então pode ser um belo de um desafio. A grande variação de temperatura, o itinerário por lugares radicalmente distintos e a infraestrutura um tanto básica dos alojamentos na região exigem um cuidado extra ao arrumar a mala.

A primeira dica é desencanar das super produções e levar peças de roupa confortáveis e práticas em sua mala para o Salar de Uyuni. Quando você estiver há três horas na mesma posição dentro de um carro sacolejando no meio do nada na Bolívia, você vai estar bem mais preocupado com a sua comodidade do que com o look perfeito.

O que levar de bagagem?

É importante ser econômico no tamanho da sua bagagem.

O melhor, inclusive, é deixar uma parte das suas coisas em San Pedro. Por exemplo, um casal pode levar uma única mala para os dois e deixar a outra pra trás. Quase todos os hotéis oferecem essa possibilidade aos seus hóspedes, geralmente sem cobrar taxas extras.

O motivo para essa recomendação é a disposição do equipamento no carro: a bagagem é amarrada lá fora, na parte superior do jeep, e assim segue ao longo de toda a viagem. Você a retira somente à noite ao chegar no alojamento.

Por isso, uma mochila de ataque, menor, também é indispensável: é nela que você deve levar todos os itens que serão necessários durante o dia.

Itens essenciais

Independente do seu estilo de viagem – a Fui Gostei Trips oferece as versões Clássica, Semi VIP e VIP -, alguns itens devem sempre estar à mão na sua mochila do dia a dia:

Água
Para a travessia do deserto, o recomendado é levar seis litros de água por pessoa (um garrafão). É claro que você também precisa ter uma garrafa menor, que dê para levar sempre consigo.

Protetor solar
Apesar dos ventos constantes, o sol é fortíssimo e inclusive é refletido pelo manto de sal. Mantenha o protetor na mochila para passar várias vezes durante o dia.

Hidratante
Use e abuse de hidratantes para o corpo e para o rosto. Para a boca, vale a pena levar manteiga de cacau ou um protetor labial com FPS 30 para o dia e Bepantol para a noite.

Soro fisiológico para o nariz e colírio umidificante
A secura é tanta que olho, nariz, garganta, tudo sente. O soro e o colírio vão hidratar essas vias e te ajudar a respirar com mais facilidade.

Óculos de sol
Importante para proteger os olhos da radiação solar.

Papel higiênico
Você vai andar quilômetros e quilômetros sem avistar qualquer construção que seja. Na hora das necessidades, o jeito é encarar a natureza e apreciar o banheiro com vista. Leve papel higiênico e uma sacolinha para levar o lixo embora.

Remédio para dor de cabeça
Um dos primeiros sintomas do mal de altitude é justamente a dor de cabeça. Mesmo que você não o tome, é importante ter algum tipo de analgésico.

Roupas

Por causa do clima desértico em altitude elevada, a amplitude térmica é bem grande. Ou seja: calor de dia e muito frio à noite. A variação de temperatura pode ser de mais de 20 graus em um único dia!

Aí, o único jeito é se vestir em camadas – o famoso efeito cebola. Assim, você pode retirar as peças superiores quando estiver quente e voltar a colocá-las quando a temperatura novamente cair.

Primeira camada:
No verão, até dá pra se virar com camisetas ou blusas finas. Nas estações intermediárias e nos meses mais frios do ano, uma segunda pele térmica, felpada por dentro, é indispensável.

Camada intermediária:
É a blusa que você vai usar sobre a segunda pele e por baixo da jaqueta. Pode ser um moletom, uma blusa de lã ou um fleece (um tipo de flanela de tecido sintético). Tudo vai depender do seu nível de frio.

Jaqueta de pluma ou corta vento
A camada mais externa é a que mais vai te proteger das intempéries climáticas. É essencial que seja corta-vento e idealmente de um material bem quentinho, como a pluma, que pode ser de diferentes gramaturas dependendo do frio.

Luvas, gorro e cachecol
Esses acessórios vão te proteger do vento incessante. No inverno, são obrigatórios!

Roupa de banho e toalha
Sim, leve roupa de banho! Eu sei que pelo o que nós falamos até agora você não deve estar com muita vontade de ficar de biquíni ou sunga, mas uma das paradas mais legais da travessia para o Salar de Uyuni é a piscina termal na Laguna Polques, com águas quentinhas. Esse local é visitado no primeiro dia para quem começa o passeio em San Pedro de Atacama, então lembre-se de levar o seu traje de banho, toalha e chinelo na sua bolsa de mão.

Sapato confortável
Você vai caminhar muuuito e em um solo bastante irregular. Leve um sapato fechado confortável. Botas de trekking são uma boa alternativa, mas não obrigatórias. Se você for na época das chuvas, lembre-se que há uma grande possibilidade do seu sapato voltar destruído – o sal é impiedoso! Nesses casos, tenha um chinelo (ou uma galocha).

 

Higiene

A higiene pessoal é um dos sacrifícios durante a travessia. Considerando a estrutura bastante simples dos alojamentos na região, água quente é um luxo. Mas um luxo que você pode encontrar em qualquer das categorias de passeio ao salar oferecidos pela Fui Gostei Trips. De qualquer maneira, como as paradas nos abrigos ou hotéis são à noite ou de manhã bem cedo, horários em que o clima é bastante frio, pode ser difícil encarar uma ducha (apenas a categoria VIP de nosso passeio ao Salar de Uyuni, por exemplo, tem calefação nos quartos). Portanto, lencinhos umedecidos podem ser úteis. Além disso, leve o seu kit básico de higiene pessoal: escova e pasta de dente, desodorante, sabonete, shampoo, condicionador e o que mais precisar.

Itens adicionais

Saco de dormir
Quem vai no esquema clássico durante o Inverno, pode levar seu próprio saco de dormir. Os alojamentos no geral têm roupa de cama e cobertores suficientes, mas há pessoas que preferem garantir o seu antecipadamente para não correr o risco de passar frio. Quem vai desembolsar um pouquinho mais para ficar em hotéis, nos pacotes Semi VIP e VIP, não precisa se preocupar. As hospedagens da categoria Semi VIP têm uma estrutura melhor para combater o frio, e a VIP é a única com aquecedor dentro dos quartos.

Toalha de banho
É necessário levar sua própria toalha (mesmo que você venha a enforcar o banho algum dia). Dê preferência às de secagem rápida, de maior absorção.

Carregadores portáteis e baterias extras
O único lugar onde você vai ter tomada é no alojamento – e, no caso do tour Clássico, disputada a tapas entre todos os viajantes. Tenha seu celular e câmera carregados ao máximo e, para garantir, leve bateria extra e um powerbank.

Comidinhas
O café da manhã, almoço e jantar estão incluídos no pacote, mas quem é que recusa um lanchinho extra, né?
São muitas horas no carro e às vezes o preparo da comida pode demorar um pouco, então é bom ter algo para enganar a fome. Biscoito, chocolate, salgadinho, amendoim, qualquer coisa tá valendo!

Documentos e dinheiro

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Bolívia, basta apresentar um RG em boas condições (não se recomenda levar um documento com mais de 10 anos de emissão).

Você deve ter a Tarjeta Migratória Única, aquele papelzinho da PDI (Polícia de Investigaciones, o mesmo que a nossa Polícia Federal) que você recebeu ao entrar no país. A sua saída pode ser recusada se você não apresentá-lo!

A moeda na Bolívia é o peso boliviano. Leve todo o dinheiro que você vai precisar já trocado, você pode não encontrar câmbio no caminho (e se encontrar, dificilmente será a uma cotação favorável).

Você precisa pelo menos 180 pesos bolivianos para pagar as entradas em parques nacionais e nos atrativos visitados. O melhor é levar 300 pesos bolivianos; se a ideia é comprar muitas lembrancinhas, leve mais.

Por fim, leve seu Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) contra a Febre Amarela. Apesar de muitas vezes os oficiais não pedirem esse documento na fronteira, eles têm esse direito e é melhor evitar qualquer dor de cabeça.

E aí, anotou tudo? Qualquer dúvida é só perguntar aqui pra gente, e será um prazer te ajudar.

A Fui Gostei Trips é uma Agência de Experiências que oferece passeios no Deserto do Atacama e Salar de Uyuni desde 2017. Nosso atendimento é personalizado e em português. Cuidamos com bastante carinho de cada um de nossos clientes! Você pode solicitar um orçamento conosco respondendo esse formulário (é só clicar) ou nos escrevendo no contato@fuigosteitrips.com.br.

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply