Pronta pra mais uma aventura: só com passagem de ida pela América do Sul

6
Nesse um mês que passei no Brasil matando as saudades e organizando o blog antes de partir pra mais uma viagem, me peguei muitas vezes revendo fotos das minhas viagens nos últimos dois anos e às vezes ficava tão pensativa…
Sabe quando você revê fotos “antigas” e é até difícil de acreditar que é você ali mesmo? Que é você pertinho de elefantes, girafas, hipopótamos, todos em seu habitat natural. Convivendo com pessoas de uma cultura tão diferente, e ao mesmo tempo me recebendo como se eu não tivesse saído da minha casa. Cruzando uma fronteira entre dois países a pé. Pegando um táxi sozinha à noite num país dito “perigoso”. Chegando a uma cidade sem saber onde vou dormir ou o que tem para fazer ali. Viajando de caminhão, acampando em meio à floresta, pernoitando em trens noturnos, conhecendo gente do mundo todo nos hostels mais irados, dormindo numa casa na árvore, curtindo os destinos mais bombados do verão europeu, pegando temperaturas abaixo de -30 graus. Escalando vulcões, fazendo trekkings arrasadores, andando de bike à noite em meio ao deserto, nadando com tartarugas gigantes, dormindo ouvindo hienas. Viajando só com passagem de ida e um mochilão nas costas. 
Sempre sonhei em conhecer o mundo, e às vezes eu paro e relembro os lugares onde eu já estive (já foram 43 países até agora!), e parece que estou vendo a vida de outra pessoa – as pessoas que eu sempre acompanhei na internet e admirei! Sabe quando você acompanha cada passo de um viajante, sonha com as fotos que ele posta, fica imaginando o dia em que você também vai viver assim… Quem diria que, de sonhadora por trás da tela do celular, hoje eu seria essa pessoa que largou tudo e foi atrás de um sonho? Se há 5 anos atrás você me dissesse que eu iria me transformar numa mochileira, iria largar meu emprego fixo, entregar as chaves do meu apartamento, parar de usar o look do dia da moda, abandonar aquelas idas sagradas ao salão 2 vezes por semana, que iria viajar por aí até mesmo sem dinheiro… Sério, eu iria rir.
 
Eu vivia numa realidade tão distante da que vivo hoje – e nem por isso menos feliz. Mas hoje sou TÃO apaixonada pelo estilo de vida que eu escolhi para mim. De desapego, de liberdade, de coragem, de independência, de curiosidade pelo novo, de me jogar sem fazer planos, de ter amigos em todas as partes do mundo, de me sentir em casa em qualquer lugar novo que eu chegue, de compartilhar isso tudo com vocês aqui (num blog que nunca imaginei ter e, mais ainda, que não fazia ideia de onde chegaria), de ser uma pessoa DO MUNDO e dona do meu próprio destino.
 
Eu realmente não esperava que minha vida fosse dar essa reviravolta que, quando eu me dei conta, já tinha acontecido. Hoje estou embarcando pra mais  uma viagem, de novo apenas com passagem de ida e sem data de retorno – a única coisa que eu sei é que chego pelo Acre. O que vem depois, só Deus sabe (e não só sabe, como sempre me reserva surpresas maravilhosas pelo caminho).
E a ansiedade de mostrar tudo isso para vocês aqui é tão grande, que às vezes me pego mais pensando “acho que o pessoal vai ficar louco com isso aqui quando eu mostrar no blog” do que “faz sentido eu viajar 20 horas pra chegar nesse parque, e mais 20 horas pra voltar, só pra passar 3 dias lá?”.
 
Sim, faz sentido. Faz sentido porque eu sei que quando eu voltar, vou ter vocês esperando pra saber de tudo. Faz sentido porque eu sei que, em algum momento, alguém vai pesquisar por aquele lugar no Google e eu vou poder ajudar essa pessoa a chegar lá. Faz sentido porque eu me emociono com cada comentário de vocês agradecendo por eu ter ido lá antes, por ter tirado fotos, por ter perguntado os preços, por ter escrito um relato completinho, por ter vivido o perrengue antes que vocês chegassem lá desavisados. Por tudo isso faz sentido viajar com e para vocês.
Um monte de gente me escreve para dizer que admira minhas viagens e tanta coragem, mas vocês mal sabem o potencial que vocês também têm para realizar os sonhos de vocês e também fazerem acontecer. Essa semana li uma frase em inglês, que, traduzida, dizia algo como “Seu sonho é único no mundo e pertence somente a você. Ninguém mais tem capacidade para realizá-lo”.
 
Sim, hoje embarco para mais uma aventura com um frio na barriga que vocês não imaginam. Vou começar pelo Acre, atravessarei por terra pro Peru, quero subir pro Equador, tentarei desesperadamente uma passagem aérea pagável para Galápagos, pretendo continuar pela Colômbia e, quem sabe, chegar até a Venezuela? 
Às vezes me perguntam se eu não tenho medo de viajar assim por aí. Tenho sim, claro. Mas não deixo que esse medo me paralise. Tem uma coisa que eu sempre repito: existem muito mais pessoas boas no mundo que más. Seja uma delas, e você as atrairá.
Me desejem sorte em mais essa viagem, enviem muita energia positiva pra que seja linda e orem pela minha mãe pro coraçãozinho dela aguentar tanta adrenalina durante minhas andanças rsrs. Mãe, pai, irmão e Luninha, logo logo eu estou de volta ansiosa pelo abraço e o amor de vocês!
E bora conhecer o estado brasileiro que quase ninguém acredita que existe… <3 Tem dicas do Acre? Me ajuda aí 😀
Conheça mais do sobre meu estilo de vida:

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion6 Comentários

  1. Carla, lindo o seu texto! Escrita exemplar e e exposições claras de seus pensamentos! Pode ter certeza de que sou uma pessoa que também sonha com a vida de outros viajantes pela tela do computador kkkkkkk
    Carla, me responda uma coisa, como você viaja tanto? o Blog sustenta suas viagens ou você trabalha para realiza-las?

    • Ei Iza!
      Obrigadaaaaaa <3
      Olha, eu faço um dinheirinho com o blog sim. Mas quando necessário, também paro e trabalho, como aconteceu no Atacama (contei aqui no blog) ou quando trabalhei nas Olimpíadas do Rio. Vou dando meu jeito pra conseguir manter esse estilo de vida e estar sempre viajando 😉

  2. Oi Carla, parabéns pelo blog!
    Que legal que vai (ou já foi) pro Acre, eu tive a oportunidade de ir e amei. Foi uma pena não ter explorado mais pois esse estado tem muita coisa pra ver.
    Em Rio Branco vi a maioria das coisas que estão no TripAdvisor. Aproveita pra falar com o pessoal de lá (principalmente os guias dos museus, em especial do Palácio) e pegar dicas de onde viajar e o que visitar. Como vc provavelmente vai começar pela capital é o melhor a fazer, eles são super atenciosos, adoram e se orgulham em compartilhar a história do estado.
    Chegamos lá pelo Peru (caminho inverso do seu) e foi tudo tranquilo.
    Boas viagens!

    • Ei, Renata!
      PAssei 14 dias lá e amei. Realmente é um estado incrivel, e as pessoas são receptivas demais!
      Outra coisa que AMEI foi a culinária. Nooooossa, me acabei! A Serra do Divisor é um tesouro guardado no Acre.
      Ainda espero voltar lá.
      Beijão e obrigada pela visita

  3. Pingback: Tudo que você precisa saber para visitar Rio Branco, capital do Acre #oAcreExisteSim | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  4. Pingback: Cruzeiro do Sul, Acre – vale a pena uma paradinha antes de seguir pra Serra do Divisor | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

Leave A Reply