Você sabia que a única maneira de se locomover do Sul pro Norte da Patagônia chilena sem atravessar pra Argentina é por catamarã em uma viagem que pode durar no mínimo 30 horas? É um serviço mais recente provido pelo governo para conectar todas as regiões do Chile por terra, mas que também pode ser utilizado por turistas.

Eu viajei no catamarã da Austral Broom de Puerto Natales até Caleta Tortel. A viagem durou 50 horas. Aqui conto minha experiência e os valores para você analisar se vale a pena! Eu já adianto que amei utilizar essa opção tão pouco conhecida.

Esse é o catamarã que leva carros e passageiros de Puerto Natales a Caleta Tortel em 50 horas de viagem!

Essa viagem de catamarã foi parte da minha viagem de 4 meses sozinha pelo Chile indo por terra do Deserto do Atacama até a Patagônia.

Como é o catamarã de Puerto Natales a Caleta Tortel?

Eu brinquei que o catamarã parece uma mistura de trem russo com Autoviação 1001, porém em alto mar hahahaha Mas, falando sério, vamos entender como funciona essa viagem.

Apesar de ser uma viagem longa de mais de 40 horas, o catamarã não conta com cama, mas com poltronas reclináveis (daí veio a comparação à 1001) no segundo andar, que tem também televisões, tomadas, banheiros, duchas e uma pequena lanchonete que vende desde chocolates e ceviche a bebidas quentes.

Já no primeiro piso está o restaurante, onde são servidas as refeições. Tem uma linda vista e é ótimo lugar para ficar durante o dia, já que ficar só na poltrona cansa a coluna de qualquer um. Importante ressaltar que todos os compartimentos são compactos e têm aquecedor (tem até no banheiro!). Então ninguém passa frio.

A capacidade máxima é para uns 100 passageiros. Fiz meu trajeto em alta temporada (véspera de ano novo) e havia vários assentos vazios. Ah! Não deixe de ir à varanda que está no segundo andar. Respirar um pouco de ar fresco, admirar a paisagem, tirar fotos. 

O restante do catamarã é destinado para transporte de veículos. Quem faz o trajeto é a Austral Broom. 

Funciona tipo um tour?

Não. O objetivo principal desse catamarã é servir como ponto de conexão para os chilenos poderem se locomover por terra dentro do Chile sem ter que cruzar para a Argentina.

Mas, como eu disse anteriormente, é um serviço aberto a turistas. Conheci americanos, espanhóis, um húngaro entre outros turistas chilenos na minha viagem – e conheci poucos moradores locais. 

Desde a embarcação você pode avistar orcas, cisnes, baleias, um glacial (lembrando que são possibilidades, ninguém vai combinar com a baleia pra ela saltar quando estivermos passando). Eu particularmente não vi nenhum desses animais (mas tampouco fiquei ligada o tempo todo). E mesmo que não aconteça de ver nada, a viagem por si só parece uma volta no tempo. 

Também fizemos uma parada de uma horinha em Puerto Edén, excelente pra esticar as pernas. É um povoado onde vivem menos de 200 pessoas e vale a descida pra conhecer um pouco desse lugar pitoresco.

Rota do catamarão que sai de Puerto Natales a Puerto Yungay

Quanto custa e o que está incluído no catamarã?

Existe uma tabela de preços diferentes caso você seja morador da região, morador do Chile ou estrangeiro, por exemplo. Preços de Dezembro de 2019 para o trajeto que eu fiz: 

  • tarifa geral (aplicada para estrangeiros): 128.450 pesos chilenos
  • adulto residente na região: 22.480 pesos chilenos
  • adulto residente no Chile, mas não na região: 42.820 pesos chilenos

Eu paguei a última tarifa, já que vivo no Chile e minha residência está registrada no Norte do país e não aqui no Sul. 

Esses valores incluem assento reclinável, ducha, banheiro, água à vontade e todas as refeições (café da manhã, almoço e jantar). 

Como são as refeições oferecidas?

Caso você seja vegetariano, avise no momento da compra da passagem (foi o que fiz). O café da manhã todos os dois dias foi pão com queijo, um bolinho tipo ana maria e você pode optar por tomar água, suco, café ou chá (pode se servir mais de uma vez). 

Sugestão: você pode levar algo pra passar no pão, tipo um queijo cremoso, já que ele vem seco. Também levei saquinhos individuais de capuccino em pó, que era só misturar com água quente (também à vontade dentro do catamarã).

O almoço e o jantar variaram todos os dias e eram estilo bandejão, sempre acompanhados de uma sopa e uma fruta. Tivemos sopa de frango, de milho e de aspargo. Já de prato principal teve desde lentilha cremosa, arroz com refogado de legumes, macarrão com molho. Lembrando que não como carne e solicitei a opção vegetariana.

De extra comprei na lanchonete um biscoito doce (1.500 pesos), uma batata tipo Pringles (2.000 pesos), um ceviche (3.000 pesos) e uma tostada com palta (2.000 pesos). Você também pode levar coisinhas extras pra beliscar e ajudar a passar o tempo, pois no supermercado vai pagar um pouco mais barato. 

Uma curiosidade: o ceviche é servido com um pouco de maionese e molho picante. Diferente, né? Tive que provar.

O que levar no catamarã

Aqui é importante ressaltar que a bagagem grande fica no porão e você leva consigo somente a bagagem de mão. Então já leve tudo separadinho dessa maneira para ganhar tempo quando chegar lá. 

Minhas dicas do que levar na bolsa de mão:

  • Escova e pasta de dente
  • Toalha
  • Chinelo
  • Roupa extra para depois do banho
  • Lenço umedecido
  • Garrafa (você pode encher à vontade com água filtrada)
  • Casaco corta-vento (para quando for na varanda)
  • Carregadores
  • Celular, computador, câmera
  • Comidinhas (sai mais barato levar que comprar lá essas coisas pra beliscar entre refeições)

Mas não se preocupe, você pode acessar sua bagagem grande caso precise de algo que está nela.

O que fazer pra passar o tempo nessa viagem longa?

Acredito que depois de ler a descrição dessa viagem você deve estar se perguntando “Tá, legal, mas e o que eu faço nessas 50 horas dentro de um barco sem internet?”. Bom, você pode aproveitar pra refletir sobre a vida. Hahaha brincadeira. Aqui vão algumas dicas:

  • fazer download de filmes no Netflix para assistir offline
  • ter músicas offline no Spotify
  • ler um livro
  • levar um caderno, uma caneta e fazer anotações da sua viagem ou planejar os próximos destinos
  • levar um baralho
  • acessar o wifi pago oferecido na embarcação (caso ele funcione – mas melhor não contar com isso)
  • ter jogos offline no celular (caso você não queira mesmo largar um pouco o celular)
  • conversar com as demais pessoas que estão no barco
  • conversar com a tripulação (foram super simpáticos)

Nossa! Consigo pensar em tantas coisas que gosto de fazer na minha própria companhia e sem precisar de internet. Ando amando fazer uns detox digitais rsrs E como eu posso fazer meu trabalho de qualquer lugar, aproveitei muito o espaço do restaurante com vista para colocar algumas coisas em dia.

Ah! E nas televisões do barco ficam passando o dia todo uns filmes e uns documentários. Mas com áudio ou legenda em espanhol.

Fazer amizade é o melhor pra passar o tempo no catamarã de Puerto Natales a Caleta Tortel! E uma longa viagem

Atenção ao check in

Vale ressaltar aqui como curiosidade e para você se preparar que, mesmo o catamarã zarpando às 5 da manhã, o horário de checkin será na noite anterior. O meu foi entre 22h e 0h. Então você dorme duas noites no catamarã, apesar de só passar uma em alto mar.

Nesse primeiro dia a refeição não está incluída, então jante antes de ir. Recalculando então: são 41 horas de viagem, porém umas 50 horas dentro da embarcação.

Tem internet a bordo?

Não pega celular durante grande parte do trajeto. Existe um Wifi que eles oferecem e que tem as instruções na parede ensinando como usar (tem que pagar). Eu tentei pra ver os preços e colocar aqui, mas não consegui conectar. Então acho melhor considerar que você vai ficar mais offline nesse período.

Se você tem um chip chileno também vai ter sinal na parada em Puerto Éden (que acontece no último dia por volta de 10h da manhã).

Minha experiência no catamarã de Puerto Natales a Coleta Tortel

Me chame pra viver algo diferente e minha resposta será SIM. Então eu acho essa viagem de catamarã uma super opção para quem quer conhecer bem o Chile, não está com pressa de chegar correndo no próximo destino e de quebra quer fazer algo diferente – porque a verdade é que a GRANDE maioria das pessoas faz o mesmo trajeto batido que cruza pra Argentina.

Considere o conforto (duas noites dormindo em uma poltrona reclinável), o preço (para estrangeiros sai caro), a duração (para algumas pessoas pode ser muito monótono) e viaje a Patagônia por seus canais. Se você também faz o tipo aventureiro, não tem como não gostar.

1 Comentário

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui