Em Abril desse ano fiz uma viagem de dez dias pelo Amazonas e, claro, reservei alguns dias para conhecer um hotel de selva na Floresta Amazônica. Na verdade, o que inicialmente motivou a minha viagem foi justamente a indicação de uma seguidora para conhecer o hotel onde ela havia se hospedado. Como já fazia tempo que eu queria voltar na Amazônia (estive no Acre em 2017), decidi que era o momento perfeito para essa viagem.

Meu principal objetivo era montar um roteiro viável financeiramente. Viajando o mundo inteiro, é super comum escutar dos gringos “você já foi na floresta amazônica?” – você já ouviu isso depois de dizer que é brasileiro? Eu dizia que sim, mas sempre complementava dizendo que infelizmente a maioria dos brasileiros não, pois somos um país de dimensões continentais e uma viagem dessa pode acabar saindo com um custo bem alto. Tem que quebrar a cabeça pra encontrar passagens aéreas mais baratas e os hotéis de selva que eu já tinha ouvido falar eram caríssimos.

Quando recebi a dica do Amazon Tupana e dei uma olhadinha nos preços e tudo que estava incluído, achei que valeria super a pena conhecer para trazer a dica para vocês. No Instagram gerou tanta repercussão, que achei melhor escrever esse artigo mais completo com todas as informações necessárias para te ajudar a decidir sobre essa experiência que foi única! Vamos lá?

Como é o hotel de selva Amazon Tupana?

O Amazon Tupana Jungle Lodge é um hotel de selva de pequeno porte com 18 acomodações,  localizado às margens do rio Tupana, distante 178 km de Manaus. Está encravado no meio da floresta, sem cidades muito próximas e o único meio de locomoção utilizado por lá é via fluvial. Aliás, vale comentar aqui o espelho que se forma diariamente no rio Tupana! É um dos cenários mais lindos que já vi na vida!

Construído em uma arquitetura rústica com as mesmas técnicas e matérias primas usada pelos ribeirinhos, o Tupana visa oferecer o conforto básico durante sua estada na selva. Eles ressaltam que o grande diferencial não é oferecer luxo em acomodação, mas o luxo da floresta que os rodeia.

Como chegar lá?

São quatro horas de travessia de Manaus até chegar no Tupana, onde se utilizam dois carros e dois barcos como transporte. O deslocamento até o Tupana inicia com uma van que busca na porta da hospedagem em Manaus e leva até o Porto da Ceasa, de onde tomamos um barco para cruzar o Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões – os dois maiores rios da Amazônia que formam o grandioso Rio Amazonas.

Leia aqui o meu roteiro completo por Manaus

Em poucos minutos desembarcamos, então, na Vila do Careiro e dali seguimos o percurso rodoviário de 178 quilômetros na BR 319 que liga a famosa Transamazônica (primeira estrada que ligava o estado do Amazonas ao restante do país que hoje se encontra parcialmente desativada). É um trecho de estrada bastante esburacado, e feito com cautela. Ao chegar no rio Tupana, são mais 20 minutos em canoa motorizada até o Tupana Lodge.

Hotel de selva no Amazonas: o que inclui?

A maioria dos hotéis de selva que eu vi incluem tudo, desde hospedagem a transporte pra chegar e alimentação. Como ficam isolados na floresta, precisam prover tudo que o hóspede vai precisar durante a sua estadia. O Amazon Tupana oferece diferentes pacotes que vão desde 2 diárias até uma semana inteira. Eu escolhi o pacote Papagaio, com 5 dias e 4 noites.

Todos os pacotes do Tupana incluem:

  • transfer desde e para Manaus (mais ou menos 4 horas de viagem pegando 2 barcos e 2 carros para chegar)
  • café da manhã, almoço e jantar (comidinha caseira, regional, bem gostosa e variada, sempre com saladas, pratos quentes, sobremesa e suco natural)
  • hospedagem
  • passeios acompanhados de guia
  • lazer como caiaques, sinuca, totó, baralho, livros

As diárias são a partir de R$1.040 para o casal incluindo tudo que mencionei acima.

Tem energia elétrica?

Não há eletricidade no Amazon Tupana. Diariamente um gerador é ligado das 12h às 15h e das 19h às 7h (mais que suficiente para recarregar os eletrônicos e se refrescar durante o dia com o ventilador). E não tem Wi-Fi, viu? A ideia ali é se desconectar mesmo. Mas, se precisar, tem um celular na recepção e você pode usar rapidinho para mandar uma mensagem, por exemplo.

Também visitei Presidente Figueiredo, o paraíso das cachoeiras no Amazonas! Leia todas as dicas aqui

Como são os quartos?

Eu me hospedei duas noites na cabana mais simples do Amazon Tupana e outras duas noites na cabana mais sofisticada e que foi construída recentemente, que é a Cabana Oca. Claro que essa última era mais charmosa, pois ficava à beira do rio Tupana e oferecia vista panorâmica (mas com tela para proteção dos bichinhos). Mas em ambas eu amei a experiência de estar numa palafita, sabe?

Fotos da cabana mais simples:

Fotos da Cabana Oca:

Os quartos têm ventilador, tomadas, cama confortável, um pequeno armário, varal para secar as roupas (na época de chuvas foi súper útil!). Toalhas branquinhas e ammenities estão incluídos. A água do chuveiro é fria, mas isso não foi um problema para mim visto o calor que fazia. Há que se ter em conta que estamos no meio da floresta a base de gerador e o impacto deve ser o mínimo possível.

Havia serviço de arrumação do quarto diariamente.

O que o hotel oferece?

Algo que particularmente gostei bastante foram as áreas comuns do Tupana. Havia sala de jogos, com sinuca e totó. Redário. Diversos livros que os hóspedes podiam pegar emprestado e até baralho. Instrumentos musicais à disposição. E caiaques sem custo extra.

Se quiser beber uma cervejinha, uma caipirinha ou até um vinho, não está incluído no preço. Mas está disponível e é só solicitar na recepção e pagar no checkout, assim como coisinhas para beliscar se quiser. Anotei alguns preços:

  • Long neck de cerveja R$7
  • Refrigerante R$8
  • Caipirinha R$15
  • Garrafa de vinho R$80
  • Tapioca R$15
  • Batata frita R$20
  • Suco natural R$12

Que passeios são oferecidos no hotel de selva?

Os passeios incluídos no Tupana variam de acordo com o pacote. Quanto mais dicas você ficar, maior a diversidade do que fazer. O meu pacote Papagaio tinha:

  • saída de canoa para reconhecimento da região
  • observação de animais noturnos e focagem de jacaré
  • caminhada na selva
  • pesca de piranhas com pôr do sol
  • observação do nascer do sol, pássaros e boto cor de rosa
  • visita a casa de família ribeirinha
  • canoagem pelos igapós (somente no período da cheia)
  • pernoite na selva dormindo em redes

E como era o acampamento?

A área onde pernoitamos na floresta era bem básica. Caminhamos cerca de 1km a partir do hotel adentrando a floresta até chegar a uma parte preparada para os hóspedes dormirem em redes. À noite o jantar foi um frango assado na fogueira, acompanhado de arroz, farinha e abacaxi. Basiquinho, mas suficiente. Cada um comprou a bebida que queria tomar no hotel antes de ir, mas nossa festinha foi interrompida pelo temporal que caiu.

Sorte que uma parte da área de acampamento é coberta, preparada justamente para essas chuvas repentinas. Nos mudamos para lá a tempo de não nos molharmos – 5 minutos antes da água cair o nosso guia avisou que iria chover, então recolhemos tudo e ficamos a salvo na parte coberta.

Estávamos em 6 pessoas acompanhadas do guia, porém apenas eu e meu namorado ficamos para pernoitar na floresta, já que os outros dois casais desistiram da aventura. Não vou negar que tive bastante medo durante a noite. Mil coisas passam pela nossa cabeça. E se uma onça aparecer? Se uma cobra subir na minha rede? E se uma aranha me picar?

Claro que poderia acontecer – apesar de bem improvável. As onças, por exemplo, não se aproximam de humanos (funcionários do hotel que moram ali há anos contaram nunca ter visto uma). Foi uma experiência diferente. Não foi confortável, dormimos em rede, fez calor, sentimos insetos. Mas, sinceramente?, vou levar essa memória pro resto da vida! Não me arrependo de nada!

Tá, mas tem muito bicho?

Vi cobra, aranha, jacaré, macacos, tucanos, araras, anta, boto. Não vi onça. Diariamente uma arara nos visitava no hotel, uma anta vez ou outra aparecia também.

Como eu já comentei no meu artigo sobre o roteiro completo no Amazonas, me incomodou a interação com alguns animais durante a minha estadia, apesar de ter percebido que isso é uma atitude ainda recorrente por lá. Na focagem de jacarés, por exemplo, o guia pegou o jacaré bebê nas mãos e o passou para outros turistas pegarem, enquanto a mãe nos observava de longe (mas não tanto). Eu prefiro priorizar a observação sem stress e danos ao animal.

Também era constante ver funcionários do hotel dando comida para atrair os botos-cor-de-rosa para perto para turistas tirarem foto. Absolutamente desnecessário, já que eu vi vários nadando e pulando livremente sem essa interação.

Com relação a mosquitos e outros insetos, não senti muito. Claro que tinha, estávamos na selva. Mas para você ter ideia, levei repelente e usei apenas na noite que acampei. O alto pH das águas negras espelhadas do rio Tupana inibe a proliferação de insetos, fazendo com que os mosquitos tenham maior dificuldade de reprodução.

E o calor?

Eu viajei para o Amazonas durante o Inverno Amazônico. Durante o dia fazia calor, mas à noite ficava mais fresco e o ventilador no quarto dava conta de boa! O único dia que senti um pouquinho mais de frio foi quando acordamos para ver o nascer do sol no barco, mas um casaco leve deu conta.

O que não deixar de levar?

  • Casaco impermeável
  • Roupas leves e que sequem rápido
  • Repelente
  • Protetor solar
  • Livro (não é imprescindível, mas é ótimo companheiro)

Vale a pena se hospedar em um hotel de selva?

Eu amei a experiência de me hospedar em um hotel de selva! Estava imersa no coração da maior floresta tropical do mundo. O pacote de 2 noites já vale pra sentir um pouco dessa experiência e tem bom custo benefício. Se conseguir esticar mais um pouquinho, com 3 noites dá para viver uma imersão que só mesmo a floresta amazônica vai te proporcionar.

Ainda ficou alguma dúvida? Me conta nos comentários! E recomendo assistir esse vídeo abaixo para sentir a vibe de acordar num hotel de selva e ir “direto” mergulhar no rio!

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui