Baz Bus, na Garden Route – 10 dicas para usar o único transporte de mochileiros da África do Sul!

1

Recentemente fiz um mochilão de 28 dias pela África, e meu segundo país a ser desbravado nesse continente foi a África do Sul {leia aqui o roteiro dessa viagem!}. Muita gente havia me dito que eu PRECISAVA fazer a Garden Route, ou Rota Jardim numa tradução para o português.

A Garden Route começa em Cape Town e vai até Port Elizabeth, se estendendo por cerca de 800km e passando por várias cidades da costa da África do Sul. Mas aí veio a dúvida: qual a melhor maneira de percorrer essa rota? Em primeiro lugar, eu não dirijo – muito menos em mão inglesa, haha. Em segundo, mesmo que eu dirigisse, estava viajando sozinha, e alugar um carro assim sairia muito caro. Terceiro, eu queria visitar as cidadezinhas menores da costa, como Wilderness e Stormsriver. Seria fácil ir de ônibus a todos esses lugares, descer no terminal, pegar um táxi, achar meu hostel?

Foi quando um amigo que morou na África do Sul me indicou o Baz Bus. Trata-se de um serviço de transporte que te busca na porta do seu hostel, e te deixa na porta do hostel seguinte. Você compra tickets válidos por 7, 14 ou 21 dias e pode usá-lo quantas maneiras quiser e em quais direções preferir. Ou então comprar um ticket de “mão única”, onde pode parar quantas vezes quiser e fazer esse trajeto em quanto tempo você preferir {sim, sem limite de tempo para usar o ticket!}. Confira as opções de tickets aqui.

baz bus

Decidi que essa seria a melhor opção para mim e adquiri um passe de 7 dias {infelizmente eu não tinha mais tempo disponível para percorrer essa rota! Queria ter feito esse percurso em ao menos 10 dias}.

O que eu curti é que no site tudo vem bem explicadinho, e é bem fácil se programar para viajar com a Baz Bus. Aqui vão 10 dicas para planejar uma viagem perfeita com eles:

  1. Há uma lista com muitos hostels de todas as cidades da Garden Route por onde o Baz Bus tem parada garantida. Você pode conferir essa lista aqui. Então a primeira dica é se hospedar em algum desses hostels. Não se preocupe, nessa lista você encontra os melhores hostels e de vários preços. baz bus.
  2. O Baz Bus para uma única vez por dia em cada uma das cidades da Garden Route. O bom disso é que, mesmo que você durma apenas uma noite em uma cidade, com certeza ficará lá ao menos 24 horas e terá tempo para conhecê-la melhor. Por exemplo, se você chegar a Hermanus às 10h da manhã, o próximo shuttle saindo de lá passará apenas no dia seguinte no mesmo horário. Confira a tabela de horários aqui.
  3. Fique atento aos dias em que o Baz Bus não funciona na hora de programar a sua viagem. Por exemplo, no sentido Cape Town -> Porto Elizabeth, ele não passa às quartas e domingos. Já no sentido contrário, ele não passa às segundas e quintas.  Fique bem atento a isso na hora de reservar seus hostels – e confirme no site se essas datas estão atualizadas.
  4. Assim que você pagar pelo seu ticket da Baz Bus, receberá um código de reserva (reference number). Ele é muito importante e você deve tê-lo consigo sempre que for embarcar ou que for reservar um assento. Confira as opções de tickets aqui.
  5. Para garantir seu lugar no shuttle no lugar e no dia que você quer, é só reservar por e-mail (info@bazbus.com), ligação  (0861229287 para chamadas internacionais ou 0214225202 para chamadas locais) ou SMS (0764273003). Você deverá enviar seu código de reserva, nome, data, local de embarque (com o nome do seu hostel) e local de destino. Por e-mail ou SMS as reservas são feitas de segunda a sexta, das 7h às 16h. Se estiver fora desses horários, faça sua reserva por telefone, que durante a semana atende até 21h e aos fins de semana até 20h. Tente reservar seu assento com, no mínimo, 72 horas de antecedência.
  6. Após fazer sua reserva, você receberá um número de confirmação do assento resevrado. Guarde esse número, pois o motorista que for te buscar perguntará por ele e ele é a prova de que você fez sua reserva.
  7. Mudanças na reserva podem ser feitas sem custo. Mas eles solicitam que essas mudanças sejam feitas ao menos com 72h de antecedência para que possam se programar, já que em alta temporada as vans podem estar cheias.
  8. Fique pronto no horário em que estiver agendado para seu shuttle chegar. Dificilmente eles atrasam, e algumas vezes podem até chegar uns minutinhos adiantados. Mas eles nunca te deixarão pra trás. Se você reservou um assento, eles entram no hostel e procuram por você – mas o ideal, claro, é já esperar na recepção, né! E se houver qualquer atraso, eles ligarão na recepção do seu hostel para avisar.
  9. Não há ar condicionado, independente do calor. E acostume-se com isso na África: eles não ligam o ar e andam com as janelas abertas. Por isso, se estiver calor, tente garantir seu assento ao lado de uma janela. baz bus.
  10. Prepare-se para fazer muitos amigos pelo caminho! Esse é um transfer utilizado por mochileiros fazendo uma rota de apenas 800km. Então será mais do que comum encontrar pessoas conhecidas, seja no seu hostel, seja no Baz Bus. É excleente para quem está viajando sozinho e quer fazer amizades.

Eu gostei e recomendo utilizar a Baz Bus em seu mochilão pela África do Sul pois é um meio de transporte confortável, prático, 100% seguro e sociável. Ele funciona em diversas regiões da África do Sul. Confira aqui.

DCIM105GOPROG0789145.

Em Wilderness, eu me hospedei no Wilderness Beach House. Leia tudo sobre minhas 24 horas nesse vilarejo inesquecível aqui.

Em Stormsriver, eu me hospedei no Dijembe Backpackers.

Em Jeffreys Bay, eu me hospedei no Island Vibes.

Conheça e reserve os melhores hostels do mundo clicando aqui!

Fiz todas as minhas reservas pelo Hostelworld, que apoiou o meu mochilão pela África.

Leia mais sobre essa trip na África:

28 dias na África: roteiro completo África do Sul, Suazilândia, Botsuana, Namíbia, Zimbábue

Primeiro dia na África – perdi minha mochila com tudo dentro

Um fim de semana na Suazilândia – o menor país do Hemisfério Sul

Wilderness – o vilarejo da África do Sul onde eu poderia viver para sempre

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion1 Comentário

  1. Pingback: Stormsriver, na Garden Route, África do Sul – onde uma cachoeira incrível deságua em frente ao mar | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

Leave A Reply