Um dia em Santa Teresa, RJ: roteiro do que fazer no bairro

48

Bairro queridinho carioca, especialmente por sua localização privilegiada e pelos casarões antigos, Santa Teresa é um programa acertado para curtir uma tarde deliciosa no Rio de Janeiro. Gosto de lá porque lembra um Rio de antigamente, com seu ar bucólico, uma vida cultural rica e os trilhos de um bondinho que não passa mais (e que deixou saudade!). -> Opa, atualizando: o bondinho voltou a operar sim e ao final desse texto dou todas as informações de seu novo funcionamento 😀 Obaaaaaaaa!

aDSC_0573

Colada na Glória, no Centro e na Lapa, Santa (como os mais íntimos chamam o bairro) fica bem no alto de uma serra, e por isso nos presenteia com vistas deslumbrantes do nosso Rio. Ali vivem muitos intelectuais, acadêmicos, artistas, militares e políticos, atraídos pelas características históricas, culturais e pela qualidade de vida do bairro. Para se ter uma ideia, Santa é conhecida como a “montmartre carioca”, devido ao grande número de ateliês por lá. Olha que privilégio! Por isso que passar um dia ali (e quem sabe até mesmo um fim-de-semana!) é um dos programas turísticos mais procurados no Rio.

aDSC_0785

aDSC_0846

aDSC_1024

Santa Teresa recebeu esse nome devido ao Convento de Santa Teresa de Jesus, construído ali em 1750, destinado a abrigar a ordem das Teresianas e das Carmelitas Descalças e onde ainda vivem freiras (existe até um bloco de carnaval super famoso chamado Carmelitas, e que, reza a lenda, tem esse nome devido a uma freira que teria pulado o muro do convento e se misturado aos foliões). Sim, Santa é pura história! Hehehe…

ENTÃO… O QUE FAZER EM SANTA TERESA?

Já começo com uma dica básica: prepare as canelas! Sim, Santa tem ladeiras sem fim. A boa notícia é que tudo é bem pertinho. Para começar seu dia em Santa Teresa, indico ir a um dos principais pontos do bairro, a famosa e linda Escadaria Selarón. Seu nome original, na verdade, era Escadaria do Convento de Santa Teresa, porém foi um pintor e ceramista chileno radicado no Rio, chamado Jorge Selarón, que tornou o local um dos pontos turísticos mais procurados. Selarón iniciou sozinho a obra em 1994 e antes do ano 2000 concluiu os 215 degraus e 125 metros da escadaria, com dinheiro obtido pela ajuda de moradores e venda de seus quadros. Ele contou também com a ajuda de fãs do mundo inteiro, chegando a ter mais de 2000 azulejos diferentes, provenientes de mais de sessenta países.

aDSC_0564

aDSC_0605

Minha dica é começar seu tour em Santa pela Selarón justamente porque já ouvi que à noite o clima ali não é dos mais amigáveis – ainda que as escadas atraiam turistas a qualquer hora do dia ou da noite. Vá cedo e curta sem preocupação (claro, apenas estando um pouco alerta, como se deve estar em qualquer canto do Rio de Janeiro). E suba as escadas. São 215 degraus, mas você vai tirando fotos, lendo os azulejos e parando para dar umas respiradas. Vai por mim, você aguenta.

aDSC_0588

aDSC_0595

Em 2005 a Selarón foi tombada pela prefeitura e o artista recebeu o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro. A escadaria liga a Ladeira de Santa Teresa à Rua Joaquim Silva, na Lapa. Portanto, uma boa dica para chegar lá é ir de metrô até a estação Cinelândia e ir andando até a base da escadaria, que fica na Rua Manuel Carneiro (são 750m de distância desde o metrô), ou pegar um táxi até lá. A estação Cinelândia fica no Centro do Rio, que nos fins-de-semana fica mais vazio. No entanto, já andei muito por ali em qualquer dia da semana e achei bem tranquilo. Se achar que está muito deserto, pegue o táxi, vai dar uns R$10.

aDSC_0587

Dali, ande uns 650 metros até chegar no Parque das Ruínas, casarão onde morou Laurinda dos Santos Lobo, grande personalidade da sociedade carioca, e onde aconteceram diversas festas e eventos concorridíssimos lá pelos anos 20 – um verdadeiro ponto de encontro do Modernismo do Rio de Janeiro. Tais festas eram frequentadas por nada menos que personalidades como Villa-Lobos e Tarsila do Amaral. O parque fica na Rua Murtinho Nobre, 169 e abre de terça a domingo, das 8h às 18h.

aDSC_0649

aDSC_0662

Depois de um tempo abandonado, saqueado e invadido, o palacete começou a ser restaurado em 1993 e foi transformado no espaço cultural Parque das Ruínas, mantendo parte de seus tijolos aparentes, estruturas metálicas e de vidro. E, acredite, ficou um espetáculo (e sua entrada é gratuita)! Se você curte fotografar, precisa ir até lá.

aDSC_0645

Do Parque das Ruínas se tem uma vista panorâmica para a Baía de Guanabara e para o centro da cidade, sendo um excelente local para entender melhor a geografia do Rio de Janeiro, com direito a apreciar o Pão de Açúcar, parte da Orla e os Arcos da Lapa. Ali acontecem exposições, há programação especial para crianças nos fins-de-semana e funciona também uma cafeteria (não indico ir em dias de sol quente, pois o local não é muito abrigado).

aDSC_0636

aDSC_0629

Do parque, vá caminhando para o Museu da Chácara do Céu, bem ao lado (mesmo, tipo uns 250 metros de distância, há uma pequena ponte que liga o interior do Parque das Ruínas à entrada da Chácara do céu – se não me engano, fica no segundo andar do parque). A entrada custa apenas R$2 e ali está a coleção particular do empresário Raymundo Ottoni de Castro Maya, que morava no local, redesenhado em 1954 em linhas modernistas integradas a um jardim de onde também se avista em 360 graus a Baía de Guanabara.

O acervo do museu se divide em três partes: Brasileira (com nomes como Guignard, Di Cavalcanti, Antônio Bandeira e ainda o considerado maior acervo público de Portinari), Européia (com obras de artistas consagrados como Matisse, Miró e Modigliani) e Brasiliana (com mapas antigos e outras ilustrações de artistas viajantes como Rugendas e Chamberlain e mais de 500 originais de Jean-Baptiste Debret, todos adquiridos em Paris).

aDSC_0664

aDSC_0669

O Museu Chácara do Céu está aberto a visitações diariamente (menos às terças-feiras), das 12h às 17h – e tem entrada gratuita às quartas-feiras. Fica na Rua Murtinho Nobre, 93.

Depois desses passeios, imagino que vai te bater uma fominha. Minha dica é você seguir para o Largo dos Guimarães, na Rua Almirante Alexandrino, onde estão excelentes opções de restaurantes. Indico muito o Portella, o Espírito Santa e a feijoada do Bar do Mineiro.

aDSC_0766

aDSC_1610

O legal dessa região é que também dá para passear pelos ateliês locais e ver/comprar lembrancinhas, roupas, acessórios, quadros, artigos de decoração. Com sorte, você ainda poderá dar de cara com algum artista produzindo seu quadro ali ao vivo. É cena comum no bairro.

aDSC_1038

aDSC_1041

aDSC_1042

aDSC_1609
Para ir embora, você pode descer de volta para a Lapa nos ônibus 006, 007 ou 014, que passam na porta desses restaurantes, ou pegar um táxi – sempre tem algum passando por ali, já que o Largo dos Guimarães é point gastronômico do bairro. Tendo alguma dificuldade em encontrar táxi, recorra aos aplicativos para celular EasyTaxi ou TaxiBeat, que encontram um carro que esteja próximo a você. Sempre uso aqui no Rio!

Para facilitar, montei um mapinha com o trajeto que eu sugeri (amo carregar mapas para me achar com mais facilidade e ter ideia do quanto vou me deslocar, acho uma mão na roda). No total, dá uns 2km andando, mas lembre-se que você vai fazer diversas paradas, então o passeio será mais leve.

 Update: Os famosos bondinhos de Santa Teresa voltaram a circular após quatro anos parados! Êêêêê! O trecho percorrido vai do Largo da Carioca (coladinho na estação de metrô da Carioca) ao Largo do Curvelo e vai operar de segunda a sábado, das 11h às 16h, em intervalos de 20 minutos. Não são mais permitidos passageiros em pé e a capacidade máxima de cada bondinho é de 32 passageiros. O valor da passagem ainda não foi divulgado (mas costuma ser bem baratinho), pois será gratuito nesse início das operações. Para um passeio turístico completo em Santa, tem que ter o passeio de bondinho!

*** Para pesquisar mais hotéis e pousadas no Rio de Janeiro através do Booking, clique aqui.

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion48 Comentários

  1. Pingback: 77 dicas do que fazer no Rio de Janeiro – pra ninguém ficar em casa! | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  2. Achei super útil, adorei! Vou receber um gringo aqui em casa mês que vem e queria leva-lo a Santa. Já conheço todos esses lugares, mas nunca tinha pensado em subir pela Selaron. Na verdade, não tinha ideia que era tão perto do Parque das Ruinas! Mt obrigada

    • Ei Gabriela! É pertinho sim! Se quiser um trajeto ainda mais tranquilo (sem o esforço de subir as escadas), da pra fazer o contrário: começar pelo parque das ruínas e terminar descendo a Selaron ?? beijao e obrigada pela visita!

  3. Carla, que guia maravilhoso!
    Mas não consigo visualizar o mapa que você montou… sou eu ou não está disponível?
    Obrigado 🙂

    • Ei Viviane! Poxa.. não sei o que aconteceu, pode ter sido quando migrei o meu blog. Assim que conseguir parar vou refazer o mapa.
      Mas se precisar de alguma ajuda específica quando for, pode me escrever por e-mail também que ajudo no que puder.
      Obrigada por me avisar!!! 😀

  4. adorei o roteiro! Estou indo para o Rio dia 30/12 e volto dia 04/01/16. Nesse período o bondinho irá funcionar? Quanto? Também não consegui ver o mapa

  5. Olá Carla.
    Parabéns pelo blog.
    Não consegui achar seu mapa do percurso de santa teresa.
    Estaremos no rio dias 04-06/12.
    Obrigado pelas dicas

    Andreas

    • Ei, Andreas. Obrigada!!!
      Pois é, esse mapa está dando problema e preciso parar um tempinho para refazê-lo.
      Mas se tiver alguma dúvida, me fale, que terei o maior prazer em ajudar.
      Espero que curta muito o Rio, é uma cidade maravilhosa.
      Abraços

  6. Olá, Carla

    Amei seu blog, estarei no Rio no Carnaval, gostaria de saber se é possível você me enviar o mapa por e-mail, adoraria segui-lo para visitar o Bairro de Santa Teresa.

  7. Oi Carla!

    Farei um Bate-Volta De GRU-GIG. Chegarei no Galeão às 07:30 e meu voo de volta está previsto para 21:50.

    Gostaria muito de aproveitar Santa Teresa, e também apreciar um pouco de praia rs.

    O Que me sugere? Sabe me informar também sobre as linhas de ônibus?

    Muito obrigado!☺

    • Ei, Igor!

      Aqui nesse site tem as opções de ônibus saindo do Galeão: http://www.riogaleao.com/transportes-e-estacionamento/onibus/
      Vejo duas alternativas para você:

      1- Se quiser começar por Santa Teresa: há duas opções de ônibus saindo do Galeão que te atendem – o que vai até o Santos Dumont ou o Alvorada que passa pela orla. Eu vi que eles têm pontos de parada na Av. Rio Branco e na Cinelândia antes de chegar ao Santos Dumont – o melhor lugar para descer seria no ponto Cinelândia, e de lá dá para ir andando até a base da Escadaria Selarón, ou você pode tomar um taxi. Aí você curtiria Santa e de lá poderia tomar um taxi ou um ônibus para ir para alguma praia da Zona Sul (indico Ipanema ou Leblon). E de lá procurar saber onde é o ponto onde passa o ônibus que vai para o aeroporto.

      2- Se quiser começar seu dia na praia e deixar Santa Teresa mais para o fim do dia, pegue o ônibus Galeão x Alvorada que passa pela orla. Vi que ele tem pontos de parada em Copacabana, Ipanema e Leblon. Depois da praia, dá para ir para Santa Teresa de ônibus, taxi ou metrô (dependendo de onde você estiver). No fim do dia, você pode pegar o ônibus que passa no ponto Cinelândia para voltar para o aeroporto. Procure saber direitinho aonde é esse ponto também.

      Esse blog aqui também dá dicas bem detalhadinhas sobre os ônibus que atendem o Galeão: https://quatrocantosdomundo.wordpress.com/2015/04/19/como-chegarsair-do-aeroporto-do-galeao-rio-de-janeiro/

      Uma dica: muita atenção com o trânsito do Rio! Se isso for em dia de semana, volte com uma boa antecedência para o aeroporto a fim de garantir que você não vai perder seu voo. E mesmo em fins de semana, vale se precaver. Uma dica é você sempre dar uma conferida no Google Maps como está o trânsito até lá, assim você tem uma ideia de quanto tempo levaria até o aeroporto – considerando que em transporte público sempre se leva mais tempo.

      De qualquer maneira, você terá um bom tempinho pra curtir o Rio. Aproveite! E leia também esse post: 77 Dicas do que fazer no Rio de Janeiro – pra ninguém ficar em casa

      Boa viagem! 😀 Beijos

  8. Boa tarde Carla! Moro em Santa desde que nasci e este guia que postou é maravilhoso! Muito informativo e atual sobre nosso bairro!! Pretendo receber turistas à partir deste ano e queria traduzir este guia e imprimir. Gostaria de saber se autoriza? Desde já agradeço, pela narrativa do bairro!

  9. Carla, você recomenda alguma hospedagem em Santa teresa? Quero ir ao Rio com meu esposo, já conhecemos os pontos turisticos basicos, mas quero ir ao museu do Amanha e curtir um passeio pela Orla. E ir a Santa teresa, claro. Vc acha complicado se descolar ficando em Santa? O que vc sugere em termos de hospedagem? É viagem de casal.

  10. Oi Carla…o q vc acha sobre levar crianças nesse tour de ST? Mais especificamente 3 rapazinhos 5, 7 e 10 anos. É cansativo pra criança? Agradeço. Adorei as dicas!

    • Ei, Patricia!
      Acho tranquilo sim. Na escadaria elas vão se divertir. No restante do passeio, a qualquer hora que bater um cansaço, você pode solicitar um taxi ou um Uber, ou mesmo pegar o bondinho de Snata Teresa, um clássico na cidade 😉
      Aproveitem o passeio de vocês!

  11. Olá Carla!
    Adorei seu roteiro de um dia em Santa Teresa.
    Vou turistar por lá, com algumas amigas aqui de Niterói, por isso anotei suas sugestões, e imprimir o mapinha.
    Grata,
    Rose Amaral
    .

  12. Boa noite, estamos com o projeto CORES EM SANTA TERESA 2107 , onde junto com 17 empresas pretendemos restaurar os Casarões antigos do bairro totalizando 150 casas e mais de 4 mil metros de muro que serão pintados obras de artistas famosos retratados por nossos artistas moradores do bairro. Gostaríamos de saber se podemos contar com seu apoio na divulgação de nosso projeto já pronto em seu site, pois dependemos dessas divulgações nos sites para poder conseguir a captação do material de pintura nas fabricas de tinta.

    Desde já agradeço.

    Marcio Barros

  13. Olá Carla! Qual um bairro para quem está indo estudar e pretende dividir apartamento? Se puder me responder, vai me ajudar muitão! Bj

    • Oi, Nirvana.
      O Rio é enorme! Há muitas opções. Muita gente vai para a Tijuca, porque é mais em conta. Na Barra também há muuuitas opções porque há muitos prédios novos.
      Um pouco menos caros também são Flamengo, Botafogo, Largo do Machado, Laranjeiras. Em Copacabana você também acha bons preços, mas normalmente em prédios muito antigos.
      Áreas mais nobres são Ipanema, Leblon, Lagoa.
      Espero ter ajudado.
      Beijos

  14. Carla seu post foi um achado! Minha prima que veio de Portugal estava louca para conhecer – mandei o post pra ela que vai fazer uma festa!!! Obrigada pelas dicas – só é pena que não consegui abrir o mapa, mas nada muito problemático! Bj

    • Ei, Lully!
      Q bom q esse post ajudou vocês ! Santa Teresa é um bairro lindo, e com muito o que se ver.
      Vou dar uma olhadinha no que pode ter acontecido com o mapa que não carregou para vcs.
      Beijos e obrigada pela visita!

  15. Oi Carla, tudo bem?

    Muito legal o relato! Sou afccionado por viagens também e penso em ter um blog um dia… Ainda em projeto.. rs

    Estou indo este fim de semana para o RJ levar um japonês que veio passar uns dias a trabalho.. a responsabilidade é grande, mas estou feliz por poder mostrar pra ele o Rio de Janeiro!

    Sabe me dizer quanto tempo leva em média para subir de bondinho até Santa Teresa? Estou pensando se vai valer a pena incluir o bonde, ou somente Parque das Ruinas e Selaron.

    E para ir andando do Parque das Ruinas até os bares da Lapa no fim da tarde, descendo pela Selarón é tranquilo né?

    Obrigado desde já!

    • Oie, Bruno!
      Que máximo esse rolé com o japonês por Santa. Acho que ele vai curtir.
      Olha, o bondinho sobe bem rápido as ladeiras de Santa. E eles passam a cada 20 min mais ou menos. Dê uma olhadinha aqui http://visit.rio/que_fazer/bondinho-de-santa-teresa/
      Sobre descer andando, aquela região é muito turística, então sempre está cheia. Tenha apenas as precauções que teria em qualquer lugar do Rio e vocês poderão ter um passeio fantástico.
      Espero que curtam muito!

  16. Michele Soares Corrêa Cerulli

    Oi Carla, parabéns pelo seu blog, achei tão interessante que quero conhecer o bairro. Quero ir de bondinho, mas gostaria de conhecer o Parque das Ruinas e Escada Selaron. Como fica o acesso, pego o Bondinho e desço aonde?

    Para pegar o Bondinho já entendi, quero saber como circular depois que eu descer do Bondinho

    Beijos

    Michele

    • Ei Michele!
      Vc vai amar Santa Teresa.
      Pede ao motorista do bondinho para te deixar no ponto mais próximo de lá. É a maneira mais fácil de vc não se perder 😀
      Andar de bondinho é uma delícia e um dos pontos turísticos do Rio!

  17. elena orge pimenta machado

    Oi, Carla!
    Que sorte a minha encontrar o seu blog! Iremos ao Rio em julho próximo e adorei o seu roteiro para Santa Teresa! Já falei com meu marido que quero um dia inteirinho para desfrutar dessas maravilhas que você nos revelou!

  18. Pingback: Barra da Tijuca {e arredores}: o novo destino queridinho do Rio | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  19. Olá, Carla. Dia de segunda feira as coisas funcionam em Santa Teresa? Porque muito lugares fecham na segunda aqui no Rio. Pretendo ir lá pra conhecer o máximo que tiver no bairro na segunda feira. Indo pela escadaria Selarón é só “seguir em frente”? Fui uma vez na escada somente. Não sabia que tinham tantas coisas perto. 😥 Obrigada pelas dicas.

    • Ei, Priscila.
      Putz, não sei te dizer com certeza. Mas acredito que sim!
      Te recomendaria dar uma ligadinha nos lugares que você quer visitar para confirmar.
      Olha, pela escadaria é mais ou menos só “seguir em frente” rsrs Mas recomendo dar uma olhadinha nesse mapa que eu compartilhei aqui no blog pra evitar errar o caminho.
      Espero ter ajudado!
      Beijão e aproveite!

  20. Olá, Carla.
    Bom, vou ao Rio agora dia 30/06 e ficarei em Santa Teresa. Meu vôo chega pela manhã no Santos Dumont e dando uma pesquisada vi que dá pra ir de VLT até a Cinelândia e de lá seguir a pé até Santa Teresa, mas estou com um pouco de receio nesse seguir a pé. Vou com minha irmã e teremos cada qual uma mala média e uma mochila, ficaremos no Convento de Santa Teresa, é tranquila a caminhada até lá com a bagagem? Caso sigamos a pé, qual o melhor percurso até o convento?

    De já agradeço

    • Ei, Naina!
      Olha, estando com a mochila e a mala, indico vocês pegarem um táxi ou Uber ou Cabify quando descerem do VLT. Sai baratinho (acho que uns 10 reais) e mais cômodo. As ruas do centro do Rio São horríveis, ainda mais pra andar com mala de rodinha.
      Beijos e boa viagem!

  21. Ola carla! Vou ficar em santa teresa um fds, na rua joaquim murtinho e estava olhando no maps é bem perto do parque das ruinas e da escadaria, voce sabe me dizer se de dia as ruas sao tranquilas pra amdar apé para ir ate esses locais? Ou é melhor pegar um taxi? Obrigada

    • Ei, Camila! Pode andar de dia sim, sem problemas. Fiz tudo a pe por ali, sem ter problemas. Claro, você está no Rio, então sempre é bom estar atento. Mas muitos turistas andam a pé por ali.
      Beijos!

  22. Acabei de fazer este passeio por Santa Tereza, seguindo todas as dicas dadas. Sensacional!!! Depois que saí do Museu da Chácara do Céu, peguei o bondinho para o Largo dos Guimarães, pois tem uma parada ali pertinho. O bondinho passa de 20 em 20 minutos e é gratuito!!! Vale muito a pena dedicar algumas horas do dia para curtir todos os lugares citados no artigo!! Valeu, Carla!!

    • Eiii juliana !! <3
      Puxa, obrigada por vir aqui compartilhar sua experiência com as dicas! Amo Santa Tereza, e acho esse guia aqui muito bom pra quem quer passar uma tarde lá.
      Que bom que curtiu! 😀

Leave A Reply