Melhores passeios de Santiago: o que fazer na capital chilena e nos seus arredores

0

Santiago do Chile é uma cidade envolvente. Oferece aos seus visitantes pontos turísticos que refletem tanto a sua riqueza histórica quanto o cosmopolitismo de uma das principais metrópoles latino-americanas.

E, embora os seus atrativos já sejam um bom motivo para visitá-la, Santiago não faz sucesso sozinha. Um dos principais diferenciais da capital chilena é a sua localização, a meio caminho entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes, duas paisagens radicalmente distintas.

Isso significa que você, viajante, poderia perfeitamente esquiar montanha abaixo de manhã, almoçar em um excelente restaurante na capital (acompanhado de um vinho chileno, é claro!) e ainda ver o sol ir de encontro ao mar no horizonte durante o atardecer. Tem como um destino turístico oferecer mais diversidade?

Claro que, se você pesquisar direitinho e seguir as nossas dicas, vai ver que Santiago merece mais do que apenas 24h. Se em dois dias é possível conhecer os principais cartões-postais, somente com três ou quatro dias é que você faz jus à cidade e à beleza dos seus arredores.

E o melhor de tudo: nós ajudamos você a montar o seu roteiro, para encaixar direitinho todas as atividades nas quais você tem interesse. Entra em contato com a gente pelo contato@fuigosteitrips.com.br que será um prazer te ajudar com atendimento personalizado em português!

Os melhores passeios de Santiago

1. La Moneda, Mercado Central e Cerro San Cristóbal

Três pontos em particular são emblemáticos para entender a capital chilena: o Palácio La Moneda, sede presidencial, o Mercado Central, um complexo comercial gastronômico, e o Cerro San Cristóbal, um dos morros da cidade.

O palácio presidencial é um símbolo da história política chilena, desde os tempos coloniais, quando o edifício abrigava a produção de todas as moedas que circulavam pelo país, até os dias de hoje, como palco de diversas manifestações políticas. Visitá-lo é entender o controverso governo de Salvador Allende, o golpe e a ditadura militar e a redemocratização do Chile.

Da mesma forma, o Mercado Central nos possibilita compreender a rica gastronomia chilena. Percorrer seus corredores externos, avistando frutos do mar e outros ingredientes desconhecidos para nós, e sentar-se à mesa de um dos tradicionais restaurantes é uma das experiências imperdíveis de Santiago.

Já o imponente Cerro San Cristóbal é o lugar de onde melhor se pode observar o skyline santiaguino. Subir até o topo cansa — por isso vale ir de teleférico, funicular ou mesmo de carro —, mas é garantia de uma belíssima vista da cidade, emoldurada pelos Andes.

Fazer esse roteiro a pé é possível, afinal, o centro de Santiago é razoavelmente compacto. Mas com um city tour você pode descobrir a cidade a partir da perspectiva de quem já a desvendou e conhece seus segredos. E, principalmente, você garante comodidade e economia de tempo tempo nessa primeira visão geral da cidade. Por isso, recomendamos fazê-lo já no primeiro dia do roteiro e reservar um tempinho extra para voltar aos pontos que mais te atraíram. Na Fui Gostei Trips nós oferecemos um City tour que leva a esses principais pontos, e ao final você pode subir o Cerro San Cristóbal pra fechar com chave de ouro!

2. Cajón del Maipo

O Cajón del Maipo é a dose de natureza no roteiro por Santiago. Situado na região metropolitana, a cerca de 110km da capital, essa região revela a cada curva  paisagens naturais de fazer cair o queixo. Não por acaso, é o passeio queridinho de 9 entre 10 brasileiros!

O grande destaque dessa zona é o Embalse el Yeso, uma represa a mais de 2.500 metros sobre o nível do mar. As águas de degelo da montanha têm uma impressionante cor turquesa. No verão, predominam os tons terrosos, enquanto o verão traz um manto de branco sobre as montanhas.

Um benefício de visitar essa região entre os meses de outubro a março é poder visitar também Baños Colina, um complexo de piscinas com águas termais em meio à cordilheira.

Ir por conta própria para Cajón del Maipo é complicado. O transporte público te leva somente até Baños Morales, e você vai gastar mais tempo dentro de um ônibus do que desfrutando da paisagem. É possível ir de carro alugado, mas pouco recomendado. Isso porque dirigir nas estradas sinuosas da cordilheira não é fácil: há trechos sem asfalto e com precipícios, além do passeio ser cansativo pela distância percorrida. Recomendamos fazer esse passeio com agência – aqui na Fui Gostei Trips a gente te leva com o maior cuidado e carinho!

Você pode solicitar um orçamento com a Fui Gostei Trips clicando aqui.

3. Vinícolas do Valle del Maipo (Concha y Toro, Undurraga, Santa Rita)

Você com certeza já conhece muitas dessas vinícolas chilenas da gôndola do supermercado mais próximo da sua casa! O Valle del Maipo, às margens do rio de mesmo nome, é a região que concentra o maior número de vinícolas do Chile, e também as mais antigas do país. Hoje, elas são as responsáveis pela maioria das garrafas exportadas, inclusive para o Brasil.

Os vinhedos aqui produzem vinhos Carmenere, Merlot, Syrah, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Semillón, entre outras. Vale saber que a uva Carmenere é praticamente a uva símbolo do Chile. De origem francesa, hoje uns 80 por cento de sua produção é no nosso país vizinho.

(Ó, a gente já deu a dica de qual vinho você não pode deixar de experimentar!)

Algumas das bodegas mais tradicionais são a Concha y Toro, a mais popular entre os brasileiros, a Undurraga e a Santa Rita. Cada vinícola tem as suas particularidades, mas você pode esperar um tour pelos vinhedos e pelas instalações onde são produzidos os vinhos e na sequência uma degustação com diferentes garrafas da casa. Ah, e de brinde ainda vai levar uma taça da vinícola para casa!

Na Fui Gostei Trips a gente leva a essas três vinícolas. E o melhor: não precisa se limitar a somente uma tacinha pela preocupação de voltar de carro ou de transporte público 🙂

4. Valpo & Viña

Situadas a 120km de Santiago, essas duas cidades litorâneas vizinhas são praticamente uma a antítese da outra. Valparaíso é uma cidade portuária que conquista pela efervescência cultural, pela boemia, pelos grafites e enormes murais de arte urbana, pelo harmônico caos urbano de casas enfileiradas e ruas irregulares morro acima.

Enquanto isso, Viña del Mar é um balneário chique, destino de veraneio de santiaguinos com maior poder aquisitivo. A elegante avenida à beira-mar reúne edifícios refinados, como o Cassino e o Teatro Municipal. Se na sua vizinha portuária o mar não é nada atraente, aqui ele são o grande destaque: no verão, as praias ficam lotadas! Colocar os pezinhos é fácil, mas quero ver ter coragem para mergulhar — as águas do Pacífico são gélidas!

Em um dia, é possível ter um vislumbre dessas duas cidades tão distintas e, ainda sim, perfeitamente complementares! E visitando Valpo & Viña com a Fui Gostei Trips, as horas que você perderia pegando ônibus intermunicipal e tentando se situar em zonas não turísticas é convertido em mais tempo para aproveitar esses dois destinos.

5. Estações de esqui, no inverno

Não é raro que o primeiro contato dos brasileiros com a neve seja aqui, nos Andes chilenos. Muitos inclusive programam a viagem ao Chile entre os meses de julho a setembro justamente por isso. O Valle Nevado é a estação de inverno mais alta e melhor estruturada nos arredores de Santiago. É possível praticar esportes de neve (ou pelo menos fazer aulas, se você for um iniciante), como esqui e snowboard, ou simplesmente curtir a neve e a paisagem.

No Valle Nevado, você pode subir de teleférico até a cafeteria Bajo Zero, aproveitando o voo panorâmico sobre a neve, ou pegar o carrinho até a zona hoteleira, onde estão os resorts de neve e os restaurantes mais elegantes.

Confira os nossos posts sobre hotéis e restaurantes do Valle Nevado.

Outra alternativa é permanecer em Farellones, uma zona um pouco mais baixa na montanha. Esse é grande parque de diversões na neve, com direito a tirolesa, descida de pranchas (para chilenos, trineo, para brazucas, esquibunda!!) e tubing, uma versão na neve de tobogãs com boias.

Dirigir a essa altitude na Cordilheira pode ser perigoso para quem não tem experiência. A estrada é estreita, as curvas são sinuosas e bastante fechadas e o uso de correntes nas rodas é obrigatório. Curta a montanha com a Fui Gostei Trips, sem risco e sem estresse!

Gostaram das nossas dicas? Tem alguma de Santiago para compartilhar? Escreve aqui nos comentários!

E achamos que esses assuntos também podem te interessar:

Como é se hospedar nos hotéis de Valle Nevado

Como chegar ao Deserto do Atacama

Qual a melhor época para esquiar em Valle Nevado

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply