Tudo que você precisa saber para visitar Rio Branco, capital do Acre #oAcreExisteSim

7

Já faz uns dois anos que eu vinha namorando uma visitinha ao Acre. Pesquisava passagens, lia roteiros, via fotos. Mas, pela distância, logística e custo envolvidos, acabava adiando minha vinda nesse estado tão, mas tão lindo e que injustamente é foco de piadas – e pior, piadas vindas de bando de gente que NUNCA esteve aqui.

E quanto mais eu ouço uma pessoa perguntar “mas o que é que você vai fazer lá?”, aí é que me dá mais vontade ainda de conhecer o tal lugar. E foi assim que eu consegui planejar minha viagem pro Acre. Eu iria continuar viagem pela América do Sul, começando pelo Peru, depois de um mês matando a saudade da família no Rio. E aí dei uma namoradinha no mapa, vi o Acre ali coladinho, calculei a distância entre Rio Branco e Cusco e, opaaaa!, achei uma passagem apenas de ida com milhas pelo Smiles que achei que estava valendo a pena (minha passagem pra cá custou 14 mil milhas + R$28 de taxas).

Com planejamento, é possível encontrar passagem para cá por preços não tão astronômicos, e duas ótimas opções são combinar o Acre com uma viagem ao Peru ou ao Amazonas.

Eu vim pra cá sabendo apenas que chegaria a Rio Branco no dia 8 de Abril. Não sabia quanto tempo ficaria, nem exatamente quais lugares visitaria. Quem me ajudou a organizar toda a viagem foi a Secretaria de Turismo do Acre, que há tempos já fazia o convite para que eu viesse conhecer melhor esse estado (Obrigada Raquel e Rita por ajudarem a tornar esse sonho antigo em realidade, e também Oziel, Renato, Dayana, Anitta, Jenildo, Kennedy, Kessia, João, Jaqueson e toooodos os parceiros que nos receberam. Cada um de vocês foi importante nessa viagem! <3).

E o que já posso adiantar para vocês sobre Rio Branco é que aqui existe um povo MUITO hospitaleiro e orgulhoso de toda a sua história; uma culinária riquíssima e muito diferente de tudo que estou acostumada; muitos lugares para visitar; um Turismo se desenvolvendo cada vez mais; bons hotéis e restaurantes.

Nesse post quero dar um geralzão para vocês sobre Rio Branco, com dicas do que fazer, onde se hospedar, onde comer, o que comer, clima, preços, como sair do aeroporto, como se locomover aqui. A ideia é fazer um artigo bem completinho com dicas da capital, para te incentivar a vir pra cá e te ajudar a planejar toda a sua viagem.

O QUE FAZER EM RIO BRANCO

Muitos dos pontos turísticos de Rio Branco giram em torno da história do Acre, que é muito rica e também muito recente. O Acre se tornou estado há apenas 115 anos atrás, possui 800.000 habitantes, 16 diferentes etnias, abriga boa parte da Amazônia e já foi um dos maiores produtores de borracha do mundo. Aliás, você sabia que Acre deriva da palavra indígena “aquiri”, que significa “rio dos jacarés” na língua da etnia Apurinã?

Para conhecer toda a sua história mais a fundo, visite:

  • Parque Chico Mendes (entrada gratuita)
  • Palácio Rio Branco (entrada gratuita)
  • Biblioteca da Floresta (entrada gratuita)
  • Biblioteca Pública Estadual (entrada gratuita e uma da smais modernas do Norte do país)
  • Quixadá (cidade cinematográfica onde foi filmada parte da minissérie Amazônia, da Glória Perez, hoje com museu aberto gratuitamente ao público e também com pousada e restaurante)
  • calçadão da Gameleira
  • mercado velho
  • parque da maternidade

O que me faltou fazer, mas que adoraria ter conhecido:

  • geoglifos
  • passeio de balão

O QUE COMER EM RIO BRANCO

Viiiiixi, dava pra fazer um post só sobre a culinária daqui! Olha, comi bem demais em Rio Branco. E mais abaixo vou escrever sobre os lugares onde provei essas delícias, e falar mais sobre alguns de nomes curiosos.

Veja o que você não pode deixar de experimentar:

  • Rabada no tucupi
  • Pato no tucupi
  • Tacacá
  • Peixes como tambaqui e pirarucu
  • Mingau de banana
  • Mingau de tapioca
  • Tapioca (a daqui é diferente!)
  • Quibe de arroz ou de macaxeira
  • Saltenha
  • Baixaria
  • Suco de graviola, cajá, cupuaçu
  • Açaí
  • Copo sujo (sim! hahaha)

ONDE COMER EM RIO BRANCO

Ahhh agora, sim, vamos dar nomes aos bois! Conheci ótimos restaurantes aqui. Tome nota:

  • Restaurante e pesqueiro Monte Verde – abre de sexta a domingo e tem sido sucesso na capital! O ambiente é uma delícia, com açudes para pescaria, aluguel de barco e de prancha de SUP, cerveja geladinha e uma moqueca de comer rezando (uns 130 reais o prato pra dois, que serve até três pessoas). Fica um pouco afastado (uns 15 minutos de carro do centro), mas definitivamente vale a visita (olha essa foto aí em cima)!
  • Café da Toinha – é quase um ponto turístico em Rio Branco, bem ali no Mercado do Bosque! Foi a dona Toinha que criou o prato “baixaria”, que há mais de 30 anos foi incorporado ao dia-a-dia do povo daqui. Consiste em cuscuz, carne moída, ovo e vinagrete – e geral come até no café da manhã! Tem que provar! Ahhhhh, e não deixe também de experimentar o mingau de banana misturado com mingau de tapioca (5 reais a porção) que ela oferece. Se-nhor! Apenas quero isso pro resto da vida!
  • Afa Bistrô – é um self service mais requintado, com culinária local e um tempero delicioso. Não deixe de experimentar o carpaccio de pirarucu! O quilo custa cerca de 50 reais.
  • Tambaqui & Cia – é um restaurante que fica no Mercado do Bosque e a ideia é ser um fast food de peixe. Eu pedi a costelinha de tambaqui, com purê de batata, vinagrete, farofa e baião de dois. Precinho ótimo (16 reais) e muito gostoso. Aproveite pra tomar sucos fresquinhos de graviola ou cupuaçu.
  • Tacacá da Base – o nome já diz tudo. Vá até lá comer o melhor tacacá da cidade! Pode pedir com muita, pouca ou média goma de tapioca. Se você é iniciante no prato, vá no máximo de média (R$16 o prato).
  • Calçadão do Mercado Velho – na verdade aqui há diversos barzinhos, que ficam bem cheios nos fins-de-semana e rola até música ao vivo. Foi aqui que eu conheci a tal da cerveja no copo sujo: copo com cerveja com um pouco de suco de limão, gelo e sal na borda (tipo a michelada, do México). Ótimo pra combinar com uma visita ao…
  • Mercado Velho – ali há diversos restaurantezinhos simples chamados pensões, com seus menus no quadro de giz. Acabei escolhendo a Pensão da Mãezinha, onde pedi um filé de pirarucu que veio acompanhado de arroz, feijão, macarrão, macaxeira (mandioca) e uma saladinha (custa R$18, era o prato mais caro do cardápio e é muuuuuito bem servido). Prove também o suco de graviola deles.

ONDE FICAR EM RIO BRANCO

Eu conheci três opções de hospedagem em Rio Branco excelentes para atender a diferentes estilos de viajantes.

A primeira foi o Holiday Inn Express, hotel excelente com a qualidade de uma marca reconhecida. Quarto de casal muito espaçoso, banheiro ótimo, piscina na cobertura, boa localização (diárias a partir de R$220).

Mas o super destaque vai para o café da manhã, de comer de joelhos. Muito variado, não deixe de experimentar os sucos, o pão de queijo (sério, é muito bom!), a tapioca com manteiga, os bolos. E tem ainda batata doce, banana frita, baixaria, cuscuz com ovo mexido, muitas frutas, iogurtes, cereais, frios, pães. Top!!!

Confira os preços e disponibilidade do Holiday Inn Express aqui!

O segundo lugar onde fiquei foi um dos únicos hostels do Acre. Me hospedei no Hostel Vivacre, que possui quartos compartilhados femininos, masculinos e mistos (camas a partir de 60 reais com café da manhã). A dona é a Teresa, uma simpatia de pessoa que nos recebeu com café, suco de cupuaçu e bolo (era aniversário do marido dela).

Amei a ousadia de abrir o primeiro hostel de todo o estado, e a localização é impecável,  a poucos passos de pontos turísticos e dos barzinhos do calçadão da Gameleira. Tem cozinha compartilhada e uma varanda de frente para o rio Acre.

Confira os preços e disponibilidade do Vivacre aqui!

O terceiro lugar onde me hospedei em Rio Branco foi o Villa Rio Branco Hotel Concept. É noviiinho e lindo. Fiquei num quarto excelente e ainda me lembro na sensação de deitar naquela cama confortável com um travesseiro do jeitinho que eu gosto: macio e na altura perfeita, nem alto demais, nem baixo demais (diárias a partir de R$140). Outro detalhe que gostei, é que o hotel conta a história do Acre em suas paredes, com quadros e falas de personagens importantes.

E o café da manhã merece aqueeeele capítulo à parte. Está competindo de pertinho com o do Holliday Inn, viu (só faltou ter aquele pão de queijo especial! hehe). Mas tem muitas frutas, mingau de banana, mingau de tapioca, cuscuz, ovo mexido, tapioca feita na hora com o rechei o que você pede. Delícia demais! Ah, a localização também é muito boa, pertinho do calçadão da Gameleira. Pena que minha estadia lá foi tão curtinha, não tive tempo de ir nem na piscina.

Pra fazer a sua reserva no Villa Rio Branco Hotel Concept, clique aqui.

COMO SE LOCOMOVER EM RIO BRANCO

Durante a minha viagem, tive um motorista da Secretaria de Turismo que me levou a todos os lugares (obrigada, Renato!). Mas andei perguntando e me informaram que é bem fácil utilizar transporte público. O Uber ainda não chegou por aqui e táxi é bem caro. Outra opção é alugar carro (há uma Localiza bem ao lado do Holiday Inn Express).

COMO SAIR DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE RIO BRANCO

O táxi até o centro custa cerca de 80 reais. Uber ainda não chegou a Rio Branco quando estive lá (abril/17). Há também um ônibus que passa no aeroporto e leva até o terminal, no centro da cidade. A passagem custa apenas R$3,50 e o último passa meia noite (o ponto onde ele pára fica, saindo do desembarque, do lado esquerdo. Vá andando pelo estacionamento e você dará de frente com o ponto).

CLIMA EM RIO BRANCO

Oh lugarzinho quente, viu! Estive aqui em Abril, Outono no Brasil, porém Inverno Amazônico no Acre. É um período de muitas chuvas, mas nem por isso menos quente. Pela proximidade com a Amazônia, o clima lá é sempre quente úmido. Então se prepare pra suar a camisa em qualquer época!

QUANTO TEMPO FICAR EM RIO BRANCO

Olha, uns 3 dias seriam suficientes para ver tudo com calma na capital. Mas fica a dica: já que você veio até aqui (é longe, viu!), por que não conhecer mais do estado acreano? Aqui há várias aldeias indígenas abertas ao Turismo e bastante seguras, além do rio Croa, do Seringal Cachoeira, da Serra do Divisor (onde está a maior biodiversidade DO MUNDO) e bem mais. Eu devo ficar por aqui pelo menos umas duas semanas. E em breve vou contar para vocês tudo o que conheci no Acre! Vem pra cá, gente! Isso aqui é lindo <3 Busquem pela hashtag #oAcreExisteSim no Instagram para ver todos os meus relatos daqui. E aguardem pelos próximos posts 😉

Quem me acompanhou em to-dos os passeios que fiz em Rio Branco foi o Oziel, guia de Turismo credenciado pelo Ministério do Turismo. Ele conhece muito bem a história do Acre. Podem entrar em contato com ele pelo (68)999728924 ou adventure.viagensereceptivos@gmail.com.

Para terminar esse post, queria contar que existe um ditado popular que diz que quem bebe água do Rio Acre, sempre volta à cidade. Como eu estou sonhando em voltar pra conhecer os festivais indígenas, enfiei o pé na lama e já garanti os meus goles 😉 #PartiuAcreDeNovooooo

Leia mais sobre minhas viagens pelo mundo:

Pronta pra mais uma aventura: só com passagem de ida pela América do Sul

Roteiro de 18 dias na Bolívia

Hoje faz 15 meses que eu não tenho casa

28 dias na África: roteiro completo com preços

Verão Europeu: roteiro completo Grécia x Albânia x Montenegro x Croácia

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação – e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Discussion7 Comentários

  1. Fran Restelatto Barbosa

    Carol faltou citar a maravilhosa culinária do Café da Carol, café da manhã típico acreano;
    As quartas tem uma deliciosa costela assada no fogo de chão do Cabanas Bar.

    E de passeio, um passeio pelo Rio Acre e conhecer Xapuri, cidade natal de Chico Mendes.

    • Eiii Fran!
      Poxa, faltaram esses na minha lista – menos Xapuri, que acabei indo no final da viagem.
      Mas vou deixar suas dicas aqui nos comentários para quem for aí.
      Obrigada pela visita!

  2. Pingback: Cruzeiro do Sul, Acre – vale a pena uma paradinha antes de seguir pra Serra do Divisor | Fui, gostei, contei | por Carla Boechat

  3. Estou eu aqui pesquisando sobre o Acre e encontrei seu post. Adorei!!! espero logo logo aproveitar suas dicas e ir conferir de perto se o Acre existe mesmo 🙂

Leave A Reply