*Texto escrito em 2015 e revisado com informações atualizadas durante minha segunda visita à Sérvia em Novembro de 2020.

Belgrado é uma capital vibrante, com muitos parques, restaurantes e bares modernos, vida noturna agitada, com pessoas amáveis e que falam inglês e ainda por cima ótimos preços. Não bastasse isso, ainda é cortada por dois rios, o Danúbio e o Sava, o que rende ótimos passeios ao ar livre.

E, como nesses tempos de pandemia muitos países estão com suas fronteiras fechadas, a Sérvia pode ser um ótimo destino para suas férias, já que o país está aberto ao Turismo e sem exigência de quarentena ao chegar.

Em minha primeira visita ao país, em 2015, eu cruzei a Sérvia de trem vindo da Romênia. Já na segunda vez, agora em 2020, peguei um vôo baratinho de Paris para Belgrado e fiquei dez dias na capital. Portanto prepare-se para um artigo bem completinho e com dicas atualizadíssimas!

Por que a Sérvia?

Desde que morei na Croácia em 2015, tive uma maior curiosidade em estudar e entender um pouco mais dos países que fizeram parte da antiga Iugoslávia. E fiz isso não apenas lendo artigos na internet, mas conversando com pessoas daqui, perguntando sobre a guerra, sobre a separação, sobre sentimentos e perdas, sobre o lado bom de tudo isso, se eles preferem como é agora ou como era antes, se há alguma rivalidade, se ainda se sentem uma mesma nação.

Inclusive passei por uma situação que, para mim, foi curiosa. Tenho um amigo croata que, sempre que a mãe dele preparava alguma comida especial, ele fazia uma quentinha e levava para mim. Aí um dia comentei que eu iria viajar para a Bósnia e ele falou “Ah, as comidas de lá então não serão tanta surpresa para você, minha mãe é de lá”. Meu primeiro comentário: “Juraaaa? Mas você nunca me falou isso!”. E ele: “Ué, e por que eu deveria falar? É tudo a mesma coisa, tudo ex Iugoslávia. Pra gente não faz diferença”.

Foi interessante ouvir isso, porque enquanto muita gente fala em rivalidades por causa das guerras que levaram à independência desses países, de perto a gente também pode perceber, de alguma forma, uma união, como se as fronteiras fossem apenas físicas. Ainda que a Iugoslávia fosse um país com sete fronteiras, seis repúblicas regionais (Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia, Montenegro e Sérvia), cinco etnias, quatro idiomas, três religiões, dois alfabetos e um líder.

iugoslavia

Belgrado respira história

Desde 1929 Belgrado foi a capital da então Iugoslávia, país que se desagregou em 2003. Com essa separação, Belgrado passou a ser a capital da Confederação da Sérvia e Montenegro. Só que essa também foi extinta em 2006, e aí Belgrado se manteve, então, como capital da República da Sérvia, como é até hoje.

Essa cidade, que fica no encontro dos enormes rios Danúbio e Sava, hoje respira cultura, história e tem lugares lindos a serem percorridos. Belgrado é, informalmente, separada entre os lados antigo e novo, um de cada lado dos dois rios. O lado antigo foi o que viveu toda essa história de conflitos que contei acima.

Mas conforme a cidade cresceu, acabou se expandindo para o outro lado dos rios e atingindo as cidades de Nova Belgrado e Zemun, que acabaram sendo incorporadas a Belgrado e hoje formam um único município. Não é difícil perceber essa diferença entre a arquitetura dos dois lados, um mais moderno, o outro mais histórico.

O que fazer em Belgrado

Como tive duas experiências diferentes em Belgrado, vou separar essa parte em duas para vocês. Na primeira vez em que visitei a cidade, fiquei apenas dois dias e fui sozinha. Já na segunda eu fiquei dez dias e fui com meu namorado.

Primeira vez em Belgrado

Eu cheguei a Belgrado em 2015 já no fim do dia de um domingo depois de uma viagem looooonga vindo da Transylvania, na Romênia, de trem (leiam essa aventura aqui!). E mortinha de fome. Então antes mesmo de fazer check in no meu hostel, fui direto jantar num restaurante de comida local super elogiado, o Manufaktura.

E acertei em cheio! O lugar é bem legal, com música, comida boa, cerveja geladinha, bem localizado e precinho Ok. E hoje em dia é um verdadeiro ponto turístico, já que tem vários guarda-chuvas vermelhos pendurados do lado de fora, formando como se fosse um toldo. Super fotogênico! Eu pedi uma Jelen, cerveja sérvia, e uma berinjela recheada com queijo que estava uma cooooisa de boa (eu tinha lido que lá eles comiam muito essas berinjelas recheadas). Uma cestinha de pães veio para acompanhar. Minha conta no total deu 550 rsd na época.

belgrado sérvia_

belgrado sérvia_-2

Essa região onde fica o Manufaktura, próximo à Republic Square e à rua Knez Mihailova, é ótima para um reconhecimento de área. A Knez Mihailova, uma rua fechada para pedestres, fica cheia a qualquer hora do dia e da noite, tem vááários bares, restaurantes, lojas, barraquinhas de comida e de souvenir, e ali perto ficam o Museu Nacional, o Teatro Nacional e o monumento a Prince Mihailo. É bem turístico mesmo. Rodei por ali à noite antes de ir pro meu hostel descansar e foi uma ótima apresentação a Belgrado.

belgrado sérvia_-3

belgrado sérvia_-4

Belgrado sérvia_-5

Conhecendo o lado moderno de Belgrado

No dia seguinte, saí cedinho e fui andando em direção ao Rio Danúbio. Minha ideia era alugar uma bicicleta para atravessar a ponte e ir ao lado novo da cidade, que tem uns parques bem bonitos e uns cafés dentro de barcos à beira do Danúbio. No caminho parei em uma lanchonete qualquer para comer um Burek – é um salgado de massa folheada que se come muito por esses lados aqui da Europa. O mais tradicional é o de carne, mas eu sempre como o de queijo, meu preferido!

belgrado sérvia_-8

Belgrado sérvia_-9

belgrado sérvia_-11

belgrado sérvia_-13

Chegando à beira do Danúbio, aluguei uma bicicleta na Markoni Sports (preços de 2020: 1h = 260 rsd; 1h30 = 390 rsd; 2h = 520 rsd; dia todo = 1300 rsd). Só vale a pena alugar sua bike para andar por essa região à beira do Danúbio, não dá para conhecer o lado antigo de Belgrado de bike, por exemplo. Não há ciclovias, os carros não respeitam muito, não é tranquilo. Eu aluguei por duas horas e consegui ir até o outro lado do rio, tirar umas fotos e voltar.

Mas se o meu tempo na cidade não estivesse tão corrido, eu com certeza curtiria com mais calma o lado novo de Belgrado e teria ido, por exemplo, à Ilha Ada Ciganlija (ouvi dizer que é tipo a “praia” deles, com muitas áreas para praticar esportes) ou teria parado em algum café nos barcos. É um passeio muito gostoso para começar o dia.

belgrado sérvia_-12

belgrado sérvia_-16

belgrado by bike

Belgrado sérvia_-18

belgrado sérvia_-19

A parte antiga de Belgrado

Depois de retornar minha bike, fui andando desde a Markoni Sports até Kalemegdan, onde fica o Forte de Belgrado (de costas para a Markoni, e de frente para o Danúbio, ande para a sua esquerda e em uns 5 minutos você já verá a construção antiga à sua esquerda). O lugar é enorme e maravilhoso, tem mais de 20 hectares e é tipo um museu a céu aberto, muito bonito e com vista para os rios Sava e Danúbio.

E ninguém diria que ele já foi destruído e reerguido tantas vezes, depois de ter sido palco de mais de uma centena de batalhas ao longo de seus mais de 2 mil anos de vida. Hoje Kalemegdan consiste em um parque enorme, é frequentado tanto por turistas, como por locais. Você verá casais, crianças, velhinhos jogando xadrez. Tem restaurante, exposições (de antigos tanques de guerra, de dinossauros, de instrumentos medievais de tortura – desse eu passei longe), uma capela. É um passeio pra curtir sem pressa e, olha que beleza, a entrada na fortaleza é gratuita!

belgrado sérvia_-21

belgrado sérvia_-23

belgrado sérvia_-25

Belgrado sérvia_-26

belgrado sérvia_-27

belgrado sérvia_-28

Dali, caí numa feirinha com diversos souvenirs. Comprei um ímã para a minha coleção e, como já eram umas 4h da tarde, segui andando sem rumo pela parte antiga da cidade, sem buscar necessariamente pontos turísticos específicos.

Belgrado sérvia_-31

belgrado sérvia_-32

belgrado sérvia_-34

Resquícios da guerra em Belgrado

E foi assim, andando perdida, que me deparei com um prédio meio detonado, parecia que iria cair a qualquer momento. Tirei uma foto pra registrar e segui caminhando. Era um dos prédios bombardeados pela OTAN durante a intervenção militar na Iugoslávia em 1999 durante a Guerra do Kosovo e que ainda está de pé.

Tais ataques aéreos, feitos sem a aprovação do Conselho de Segurança das Nações Unidas e com apoio do governo dos Estados Unidos, duraram quase três meses e teriam deixado mais de 1000 civis mortos. E parte dessa história está ali, escancarada a quem passe pela rua. É difícil passar despercebido por esse prédio em ruínas, em meio a tantos outros bonitos e bem conservados.

Belgrado servia

E ao fim do dia, pode acreditar que todo esse rolé de bike + andanças eternas foi cansativo, viu! Mas valeu a pena. Era Outono na época em que fui e os parques e ruas estavam em cores lindas. Outra coisa que curti demais observar foram as street arts. Por todo lado havia grafites incríveis em Belgrado, até nos ônibus!

belgrado sérvia_-35

belgrado sérvia_-36

belgrado sérvia_-53

O melhor sorvete de Belgrado

Antes de voltar para o meu hostel, parei numa sorveteria que me foi indicada como a melhor da cidade. Se é mesmo a melhor eu não sei, mas a Crna Ovca tem uns sabores de sorvetes super diferentes, tipo gorgonzola ou canela, e você pode ver a produção dessas delícias ao vivo por uma porta de vidro, ou seja, é tudo fresquinho.

Depois de experimentar de tudo um pouco, eu fui no de Creme Brulée, com pedacinhos de castanhas caramelizadas. Huuuuuuuuuuum. Delícia! E o lugar muito fofo. Preços de 2015: 80g de sorvete custam 160 rsd, 140g custam 250 rsd, 200g custam 350 rsd. A unidade que fui fica na rua Kralja Petra, 58, mas também há duas outras nas ruas Njegoševa e Katolička Porta.

belgrado sérvia_-44

A rua mais fofa de Belgrado

À noite fui conhecer a famosa rua Skadarlija. E caí de amores por ela! É uma rua fechada para pedestres, curtinha (apenas 500m de comprimento), mas que respira arte (por ser bem próxima ao Teatro Nacional) e com diversos restaurantes e barzinhos. Muito fofa!
A Skadarlija foi toda revitalizada em 1968 (ela data da primeira metade do século 19, ou seja, lá pra 1800 e alguma coisa!) e é chamada de a Montmartre sérvia, devido ao seu passado artístico e seu estilo romântico e boêmio (eheheh, acho curiosas essas comparações). Dentro dos restaurantes sempre há músicos tocando de mesa em mesa, todos com roupas típicas. Muitos casais e famílias frequentando esse lugar.
Pensei muito em me sentar em um dos restaurantes, mas eu estava sozinha e o clima era tão familiar que eu confesso que fiquei sem graça – e olha que isso não é normal, sempre me sento em restaurantes e bares sozinha. Mas, sei lá, ali não rolou. Acho que eu curtiria mais com uma companhia. Que pena! Mas só de ir lá passear, já valeu. Olhem só nas fotos de lá!
belgrado sérvia_-47
belgrado sérvia_-48
belgrado sérvia_-50

Minha segunda vez em Belgrado

Como eu já havia estado em Belgrado antes, e dessa vez vim para passear sem a menor pressa, me permiti ter bastante tempo livre na cidade. Fui na Fortaleza de Belgrado, por exemplo, três vezes! É com certeza um lugar que você não pode deixar de ir, principalmente durante o pôr do sol.

O que mais visitar em Belgrado

Um lugar diferente que conheci dessa vez foi Gardoš Tower, que fica na parte nova da capital. Excelente para combinar com o passeio à beira do rio Danúbio – melhor ainda se conseguir pegar um fim de tarde lá também. Evite ir de carro, pois as ruas para chegar à torre são bem estreitas e facilmente ficam congestionadas (se estiver de carro, deixe na parte baixa e suba a pé). O entorno é bem fofinho, com cafés e lojas com decoração linda. Vale o passeio e a vista lá de cima!

Outro lugar que conheci foi o Museu Nikola Tesla, que conta um pouco da história e das descobertas desse conhecido cientista (que nasceu na antiga Iugoslávia). Esse museu existe desde 1955, o tour guiado dura mais ou menos uma hora e pode ser feito em inglês ou em sérvio (confira os horários antes no site oficial do museu). A entrada custa 250 rsd e é um passeio bem interativo.

E você sabia que em Belgrado há um estádio chamado Marakana, em homenagem ao nosso Maracanã? Aliás, foi aqui que o jogador Petkovic fez seu estágio antes de se tornar famoso no Brasil (sim, ele é sérvio!). Pode ser interessante visitar se você é fã de futebol.

Também há muitas Igrejas e catedrais bonitas em Belgrado. Recomendo conhecer o Templo de São Sava, Church of the Holy Mother of God (chama atenção por ser toda com plantas decorativas na parede externa), a Igreja de São Marcos e Saint Petka’s Chapel.

Dica extra

Algo que tentei incluir no meu roteiro, mas que acabou não rolando, foi o Free Belgrade Walking Tour, que tem duas modalidades. Uma delas visita a parte antiga da cidade e acontece toda segunda, quarta e sexta-feira às 10h30 com ponto de encontro na Republic Square. Já a outra visita a parte moderna e acontece aos sábados às 15h.

Eles também têm outras opções de passeios pagos, como o que leva para conhecer os segredos da cidade ou a que conta a história do comunismo por aqui. Eles custam 15 euros cada e devem ser super interessantes para se aprofundar em tudo que rola por aqui.

O que não deixar de comer e beber em Belgrado

  • Burek: como comentei, é o salgado mais tradicional de toda essa região. Alimenta bem e é barato. Geralmente é recheado de carne, queijo, espinafre ou champignon.
  • Sarma: basicamente folhas de repolho recheadas com carne
  • Ćevapi: sanduíche onde o ponto alto é uma espécie de linguiça feita de carne moída muito bem temperada, acompanhado de pão, cebola e uma espécie de cream cheese local. Muito saboroso!
  • Šopska salad: lembra uma salada grega e leva pepino, tomate, cebola e queijo branco.
  • Rakija: é o destilado nacional, feito da uva, e que está presente em qualquer cardápio e mesa de mar. O mais saboroso, e de sabor menos forte, é o com mel (honey rakija), mas o mais tradicional no país é o com ameixa, de sabor marcante (plum rakija).

Onde ficar em Belgrado

Ficar na parte antiga de Belgrado te permite fazer muitas coisas a pé. Muitos dos pontos turísticos ficam desse lado, e, dependendo de onde você estiver, não precisa de transporte público ou taxi para nada. A Republic Square é ótima referência para buscar hospedagens bem localizadas na capital.

Na primeira vez que visitei Belgrado, eu fiquei no Yolostel Hostel Design que tem localização excelente, porém alguns leitores se hospedaram lá um tempo depois e contaram que o hostel já não continua tão bom. Falo mais sobre ele nesse post aqui.

Já na minha segunda visita, eu dividi meus dias entre alugar um apartamento no AirBnb e ficar de couchsurfing (que sempre rende ótimas experiências). O apartamento que aluguei era super central, contava com cozinha e até uma pequena varanda. Atende bem um casal. Pequenos defeitos: tem poucos utensílios para quem vai cozinhar e o box para tomar banho é bem aprtadinho.

O Airbnb costuma ser ótima opção para quem quer uma experiência mais local quando está viajando e eu uso bastante em meus mochilões. O fato de poder alugar casas ou apartamentos completos com cozinha te permite economizar, já que vai poder cozinhar e não vai depender apenas de restaurantes.

Se você ainda não é cadastrado nessa plataforma, se inscreva através do meu link para ganhar até 56 euros de desconto na sua primeira reserva. Vai valer muito a pena!

Outras opções de hospedagem em Belgrado

Se você gosta de se hospedar em hostels, dê uma olhadinha no Good People Design Hostel (estive lá e amei a vibe, e também conheci duas pessoas que se hospedaram lá e super recomendaram) e no Balkan Soul Hostel – ambos estão no centro histórico. Já se você quer se hospedar na parte moderna de Belgrado, o San Art Floating Hostel & Apartments e o Green House Hostel podem ser ótimas experiências, já que ambos ficam em barcos à beira do rio Danúbio.

Para algo intermediário, dê uma olhadinha no Maison Royale (localização impecável), no Smokvica Dorćol B&B (charmoso em cada detalhe) e no ArkaBarka 2- Floating Dream Apartments (para uma experiência inesquecível a bordo de um barco à beira do rio Danúbio).

Já as grandes redes 5 estrelas de Belgrado são o Hilton Belgrade, o Hyatt Regency Belgrade e o Radisson Collection Hotel.

Para pesquisar mais acomodações em Belgrado, clique aqui.

Para pesquisar acomodações na Sérvia, clique aqui.

Como se locomover por Belgrado

A cidade é muito bem conectada por transporte público – recomendo usar o Google Maps para saber que ônibus pegar para o destino que você quer ir.

Em Belgrado não existe Uber, mas você pode baixar o aplicativo Pink Taxi, que funciona da mesma maneira e aceita tanto pagamento em dinheiro como no cartão.

Como sair do aeroporto de transporte público

Se você chegar de avião a Belgrado, certamente vai pousar no Aeroporto Internacional Nikola Tesla. Para ir para o centro da cidade em transporte público, você pode pegar o ônibus 72, que custa 150 rsd e para na porta do aeroporto.

Quanto custa viajar para Belgrado

Belgrado não é uma capital cara. Além disso, muitos dos pontos turísticos são gratuitos. Em novembro de 2020, 1 euro = 117 rsd. Aí vão alguns valores para ajudar no seu planejamento:

  • diária em hostel em quarto compartilhado: 10 euros
  • transporte público: 90 rsd (e o ticket é válido para viagens ilimitadas dentro da cidade pelo período de até 1h30)
  • cerveja no supermercado: 60 rsd
  • cerveja em bar/restaurante: 200 rsd
  • burek numa lanchonete: 120 rsd
  • dose de rakija em um bar: 120 rsd

É seguro visitar Belgrado?

É bem seguro, minha gente. Em especial se você rodar apenas pelas partes mais turísticas. Eu estava sozinha em minha primeira visita e andei tudo o que se pode imaginar sem ter problema algum, tanto durante o dia como à noite. Encontrei pessoas super receptivas, lugares tranquilos, me senti muito bem. Tenha apenas os cuidados de sempre em qualquer cidade grande e conheça Belgrado sem grandes dores de cabeça.

Tem dicas de Belgrado? Compartilhe aqui nos comentários e ajude também outros viajantes 😀

37 Comentários

  1. Boa tarde, Carla.
    Este foi o melhor site sobre Belgrado que vi até agora.
    Estou organizando minha próxima viagem e ela começará lá (em maio/junho de 2017). Quantos dias acha que seria ideal para conhecer a cidade? Os 3 dias que ficou foram suficientes ou restou aquele gostinho de “poderia ficar mais um ou dois”?
    Obrigado.

    • Oi, Sergio!
      Poxa, que legal que curtiu. Realmente não há tanta informação de lá online. Olha, eu fiquei com gostinho de querer mais, principalmente porque perdi o primeiro dia quase inteiro na viagem de trem, e no terceiro eu viajei logo pela manhã, então na verdade só tive um dia inteiro de verdade. Acho que três dias cheios seriam suficientes para conhecer bem a cidade, alugar uma bike, dar uma volta na beira do Danúbio, conhecer os barzinhos, parques. Belgrado me surpreendeu 😉

  2. Oi Carla tudo bem
    Estou pensando em ir passar ferias na croacia e Gostaria de saber se vc permanece por ai para trocarmos informations
    Amei sua ideia de Explorar estes paises principalmemte porque nao fazem parte do acordo Shengen
    Poderiamos manter contato? Inicio minha jornal em alguns,meses
    Acho que meu email aparecera para ti
    Se puder me envie um email
    Grata

  3. Olá!!
    No primeiro momento pensei em conhecer Romênia/Croácia, depois, vi que é inviável pela distância. Então estou refazendo o roteiro. Sairei de Belgrado para zagreb para conhecer os lagos e a Ljubljana(lago Bled) , Zadar e Dubrovnik. O que você acha do roteiro? Tenho 20 dias. Seria melho ir de Zagreb para os lagos ou ir direto para Liubliana?
    Obrigado
    Maria Medeiros

    • Eii Maria!
      Tenha em mente que a Croácia é bem comprida, e para ir de uma ponta à outra como você está planejando, são uns 800km.
      O que acha do roteiro assim:
      3 dias em Belgrado
      2 dias em Zagreb
      3 dias em Liubliana – com um bate-volta a Bled (há vááários posts sobre a Liubliana aqui no blog!), também recomendo conhecer Postojna Cave, e, se for verão, o Triglav National Park (nesse caso precisaria de uns 5 dias na Eslovênia)
      1 dia para os Lagos Plitvice
      2 dias para Zadar
      3 dias para Dubrovnik
      E ainda caberia tempo para incluir Hvar (tem post auqi no blog!) ou Krka, ambos na Croácia.
      Espero ter ajudado.
      Beijos

  4. Oi Carla
    Adorei teus comentários. Os melhores que achei até agora.
    Vou a Belgrado final de janeiro, por uma semana. Vai estar bem frio, mas espero poder aproveitar.
    Depois passo pela Bosnia (Banja Luka) e Croacia (zagreb).
    Será que este walking tour também tem no inverno?
    abraço
    Gaby

    • Olá! Vi seu roteiro passando pela Bosnia e Croácia… Pretendo fazer o mesmo. Estou em dúvida sobre transporte entre esses países. Sabe me dizer se consigo fazer todos eles de carro? Alugando na Sérvia para devolver na Croácia?

      Abraço,

      Maísa.

  5. Nossa! Estou encantada com seus relatos, amo viajar e em 2018 estou planejando uma superviajem sem hora pra voltar. Volta ??? Voltar pra onde? Desde que fiquei viúva não tenho mais casa, só tenho fome, fome de conhecer lá fora e escrever sobre isso, como você. Parabéns! Você já conhece o Marajó? Se não conhece te convido pra uma linda aventura por lá, onde dormir já temos, o que comer podemos pescar…. o Norte do Brasil é lindo. No Pará também tem a Ilha de Algodoal que é fantástica, é só me dizer que dia quer ir e nós vamos. Sou escritora e artesã, hoje moro em Brasília. Me escreva ficarei esperando. Mil beijos e obrigada pelas dicas, viajei junto com suas palavras. Se der dê uma passarinha pelo Facebook na página “Minhas Marés”.

    • Eiii Ana!
      Essa sede de conhecer o mundo é o que nos move. Quero muuuuuito conhecer o Norte do Brasil! Até pensei em ir subindo a América do Sul e atravessar a fronteira pro Brasil pra poder conhecer o Norte. Quem sabe te visito por aí?!! Eu ia adorar!! Obrigada pelo convite ❤️
      E fico feliz que tenha gostado da minha história. Tento ao máximo inspirar as pessoas para que realizem seus sonhos, seja qual for!
      Espero ainda nos encontrarmos por aí!!!

  6. Ola

    Vou Iara Belgrado em julho para um congresso. Já conhece croacia Montenegro e Bosnia. O que. C acharia interessante incluir no roteiro por lá… tenho quinze dias só três de congresso.
    Obrigada
    Bjs Tania

    • Oi, Tania!
      Na Sérvia eu conheci apenas Belgrado, mas há outros lugares no país para conhecer também. Eu conjuguei minha visita à Sérvia com uma viagem à Romênia. A Albânia também está ali pertinho e super vale a visita.
      Tanto Romênia como Albânia são países bem baratos e com muito o que ver.
      Beijos e aproveite sua viagem!

  7. Muito bom! |Curti… estou indo de Malta para Zagreb e iria para Berlim… porém não tem como ir sem realizar conexão em Belgrado, por conta disso inclui 2 dias inteiros neste pequeno paraíso! se tiver dicar de Zagreb eu adoraria receber!

  8. Oi Carla, estou planejando uma viagem para Belgrado e como a passagem para lá estava absurdamente cara eu encontrei uma para Nis na Servia. O problema é que eu não acho transporte para Belgrado em nenhum lugar… você poderia ajudar? Sabe algum site? Obrigada!! 🙂

    • Ei, Rafaela!
      Olha, tenta pelo site rome2rio.com ou pelo goeuero.com . Eram os que eu mais usava para tentar descobrir como me deslocar de um lugar pro outro na Europa. Os horários nele podem estar desatualizados, mas pelo menos eles dão uma luz sobre as companhias que fazem o trajeto e tal . Espero que ajude!!!!

  9. Olá!
    Fiquei neste hostel há menos de duas semanas.
    Perto do que está escrito e vi pelas fotos aqui, parece que passou um furacão pelo hostel.
    Um dos piores em que fiquei em toda minha vida.
    A administração dele ou mudou ou relaxou demais quanto à qualidade.
    Não há controle nenhum sobre o barulho de hóspedes folgados.
    Havia um grupo que entrava e saía do quarto de madrugada batendo a porta, rindo e falando alto como se estivesse na sala às duas da tarde.
    NINGUÉM no hostel pra chamar a atenção quanto a isso.
    Banheiros estavam nojentos.
    A cozinha praticamente tomada por um grupo que não parava de ouvir música árabe a toda altura.
    Turma fumando na sala (inclusive com o responsável pelo hostel à noite) e o cheiro indo forte pros quartos.
    Realmente aqui nas fotos está bem bonito. Mas a realidade lá é outra. Eu não recomendo a ninguém. Dormi em 10 cidades nesta minha viagem e, sem dúvida, a pior estadia foi no Yolostel.
    Não é crítica ao post, que foi muito bom e detalhado. Apenas aviso aos novos viajantes.
    ABS.

    • Oi, Vinicius! Puxa, que chato! Adorei minha estadia no Yolo em 2015, que pena que deixaram degradar assim. Mas obrigada por compartilhar aqui com a gente sua visao mais atualizada sobre o hostel. Vai ajudar muita gente!

  10. Amei td que vc postou. Irei a Belgrado em Dezembro e espero poder conhecer bem os poucos dois ou três dias que ficarei lá. Ah também passarei na Croácia e se vc tiver dicas da Croácia mas específico de Zagrebe te agradeço muito.

  11. Olá!

    Muito legal o seu post sobre Belgrado, sou doido para conhecer esta cidade e um pouco da história da antiga Jugoslávia. Como é o relacionamentos dos Sérvios com os Croatas ?
    Eles são receptivos com os turistas ? Falam inglês ou somente a língua local ?
    Quando for, penso em fazer Belgrado, Budapeste e mais outra cidade, principalmente que fique em uma rota favorável.

    • Oi, Marcus!
      Pela minha experiência, eles têm um bom relacionamento. E para muitos é como se ainda fossem um só, dizem que é estranho hoje em dia estarem divididos.
      No geral falam inglês, e sao muito receptivos.
      Legal essa rota! Aqui no blog tem dicas desses lugares, espero que ajude!

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui