Essa semana a série Diários da Pandemia traz o primeiro relato do continente europeu. A Itália, que comoveu o Brasil e o mundo no início do ano ao se aproximar da marca dos mil mortos diários por Covid-19, agora vive período de maior controle do vírus e inclusive já retomou o Turismo interno e começa a receber turistas de fora da União Européia.

No entanto, as medidas de abertura de fronteiras estão sendo feitas com grande cautela. Essa semana, por exemplo, houve leve alta no número de infectados no país. Ainda não dá para relaxar 100%. Mas, ao que tudo indica, os dias de Zona Vermelha estão no passado.

O governo italiano foi o primeiro a decretar quarentena nacional para conter a pandemia do novo coronavírus. E a Manuela nos conta, em um relato tocante, como têm sido os últimos quatro meses na Itália.

Quem é a Manuela

Eu sou Manuela Tadini, tenho 42 anos, sou da Itália, e moro perto de Veneza. Sou Campeã Mundial de Judô Veterana Categoria -52kg 2015 e também coach nessa disciplina.

Quarentena na Itália

Depois da China, a Itália foi um dos primeiros países onde o vírus se espalhou, e na Europa nem todos estavam prontos para isso. No começo, pensávamos que as medidas restritivas eram exageradas, então continuamos nossa vida habitual.

Até que um fim de semana fantástico estava chegando ao fim, estávamos nas montanhas esquiando, havia muita neve, o tempo estava lindamente ensolarado, tudo tinha sido perfeito! Mas, no caminho de volta para casa, recebemos notícias impressionantes: nossa cidade havia entrado na Zona Vermelha! Parecia impossível, inacreditável, inaceitável.

Tudo parecia tão normal, sabíamos que os hospitais estavam enfrentando grandes problemas, mas o mundo lá fora parecia igual… não era possível.

A Zona Vermelha na Itália

A Zona Vermelha foi imposta nas regiões com mais casos de Covid-19 no início de Março e as restrições se mantiveram pelo menos até 03/04. Qualquer pessoa que vive na região do Vêneto e outras 14 províncias do centro e norte do país precisava de uma autorização especial para se locomover. O não cumprimento das regras poderia resultar em multa e inclusive prisão de até três meses.

O decreto atingiu por volta de 16 milhões de pessoas na Itália, que deveriam ficar dentro de casa o máximo possível. Todos os espaços públicos, como por exemplo museus, centros de lazer, boates e escolas, foram obrigados a encerrar suas atividades. Casamentos e funerais foram suspensos.

Trabalhar em casa e fazer teleconferências, em vez de reuniões presenciais, foi aconselhado “em todos os casos possíveis”. Escolas e universidades em toda a Itália permaneceram fechadas.

Leia mais sobre a Zona Vermelha nesse artigo (em inglês)

Governo pouco comprometido

A quarentena em si durou três meses, do início de Março até o final de Maio. No começo, aceitamos isso como um esforço necessário. Mas, com o passar das semanas, o governo italiano seguia esperando, nenhuma decisão era tomada, ninguém queria assumir responsabilidades.

E eu comecei a ficar irritada. Felizmente nossa região, Veneza, é presidida por Zaia, um homem muito prático e decisivo, que fez todo o possível para reabrir gradualmente lojas, restaurantes, hotéis, esportes, praias. Aos poucos todas as atividades de trabalho foram reabertas. Um sucesso total.

A pandemia teve seu lado, digamos, positivo. Imagens aéreas mostram como a pausa no Turismo devido ao coronavírus mudou os icônicos canais de Veneza – pra melhor

De volta à vida “normal”

Então agora quase voltamos à vida normal, apenas com poucas regras de segurança. Devemos, por exemplo, usar máscara em espaços abertos, não devemos estar perto de outras pessoas (é necessário um metro de distância), quando praticamos esportes devemos registrar todas as pessoas participantes, e no judô você só pode treinar com o mesmo parceiro.

Todos nós, especialmente crianças e adolescentes, sofremos com essa quarentena, fisica e psicologicamente. As escolas ainda são as únicas que estão fechadas e serão reabertas somente em Setembro (na Europa as férias escolares acontecem no meio do ano, acompanhando o calendário de Verão local).

Dia 20/05 a Veja Rio publicou que Veneza dizia ter vencido a Covid-19 e estar pronta para receber turistas

Turismo na Itália

O Turismo está completamente ativo novamente. As pessoas também vêm do exterior e os hostels estão abertos. Algumas pessoas ainda têm medo, mas eu pessoalmente acho que esse vírus faz parte da nossa vida agora. Temos que lidar com isso, precisamos ter alguns cuidados, claro, mas também temos o direito de viver.

Para o mês de Agosto já tínhamos planejado uma viagem para o Chile, mas é claro que é impossível irmos para lá nesse momento. Teríamos que ficar em quarentena novamente quando chegássemos. Então cancelamos nossa jornada e mudamos de planos. Vamos para a Sicília, na parte sul da Itália.

A quarentena foi um período muito difícil. Mas quando você volta à vida, é um dos sentimentos mais bonitos que você pode ter. É como respirar novamente!

Coronavírus na Itália hoje

Hoje, dia 07/07, a Itália tem 241.819 casos confirmados de Covid-19, dos quais 192.241 estão curados, e 34.869 mortes. O número de casos ativos do novo coronavírus, que descarta pacientes mortos ou curados, subiu pelo segundo dia seguido, após uma sequência de 69 quedas consecutivas entre 26 de abril e 4 de julho. Leia mais nesse artigo do Terra.

Entenda a proposta da série de artigos Diários da Pandemia

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui