Search
Close this search box.

Roteiro de viagem a Israel e Palestina: 7, 10 e 20 dias

mulher no Muro de Separação em Belém, em uma viagem a Israel e Palestina

Roteiro de viagem a Israel e Palestina: 7, 10 e 20 dias

Se você está planejando uma viagem a Israel e Palestina e precisa de dicas sobre os destinos e sugestões de roteiro por esses países, então esse guia definitivamente vai te ajudar.

Recentemente passei cerca de um mês entre os dois países e tive uma experiência única e enriquecedora nestes destinos históricos, simbólicos e muito interessantes.

Agora, compartilho aqui todas as dicas que reuni para você criar um planejamento de viagem a Israel e Palestina adequado ao que você busca enquanto viajante, com sugestões de roteiros para 7, 10 ou 20 dias. 

Para ficar por dentro de tudo, então leia este guia completo!

Breve história sobre Israel e Palestina

Jerusalém - Israel e Palestina

Não poderíamos começar esse artigo sem uma breve introdução dessa história tão delicada. Israel e Palestina são dois Estados localizados no Oriente Médio, que carregam uma história importante para três grandes religiões monoteístas: islamismo, judaismo e cristianismo. 

Foi nestes territórios que, por exemplo, personagens da Bíblia, como Jesus Cristo, e do Alcorão, como Maomé, realizaram diversos feitos que marcaram a história dessas religiões. 

Isso faz com que Israel e Palestina atraiam turistas de todo o mundo que buscam ver de perto as maravilhas desses lugares.

E o conflito Israel x Palestina?

No entanto, Israel e Palestina também têm um passado recente marcado por grandes conflitos territoriais que acontecem até hoje nestas regiões.

As regiões dos territórios palestino e israelense foram por muito tempo ocupadas em sua maioria pelos povos árabes. 

Entretanto, com a diáspora judaica, o holocausto nazista que dizimou cerca de 6 milhões de judeus e outras questões, em 1948 a ONU declarou a criação do Estado de Israel.

Essa declaração, votada pela assembleia da ONU, não foi bem recebida pelos povos palestinos, nem pelos países árabes vizinhos como Jordânia, Síria e Egito, dando, então, início a guerras e conflitos entre os países árabes e Israel. 

Israel, com apoio bélico dos Estados Unidos, foi conquistando a maior parte do território palestino, que compreende a Faixa de Gaza e a região da Cisjordânia. Veja abaixo a mudança de território ao longo dos anos:

Além disso, até hoje os dois países reconhecem Jerusalém como sua capital, mas a ONU não a reconhece em nenhum dos Estados. 

Entenda a Palestina

A Palestina é basicamente formada pela Cisjordância (sem saída pro mar) e a Faixa de Gaza (pequenininho ali na fronteira com o Egito). É um território não contínuo dentro de Israel, como você pode entender um pouco melhor no mapa abaixo:

Eu achei que passaria por fronteiras entre Israel e Palestina, mas não foi o que aconteceu. Circulei livremente várias vezes e peguei uma única inspeção (saindo de ônibus de Belém em direção a Jerusalém). No entanto, cidadãos israelenses não tem autorização e não são bem-vindos para entrar nos territórios palestinos.

Israel quer a anexação do território da Palestina alegando sua importância histórica e religiosa e, portanto, isso gera um estado de guerra. O ano de 2022 foi um dos mais violentos entre os dois países, e teriam morrido 31 israelenses e 150 palestinos – além de outros 52 palestinos mortos (entre civis e militares) em 3 dias num conflito na Faixa de Gaza.

Em 1988 foi declarada a independência da Palestina, porém ainda há grande resistência do seu reconhecimento por muitos países. Já em 2012 a ONU aprovou a alteração da Palestina para “estado não membro observador”. E em 2013 o estado da Palestina já era reconhecido por 136 estados membros da ONU e por dois estados não membros – no entanto, não reconhecido por países importantes como EUA e Israel.

O que forma a Palestina

A Palestina conta com 16 territórios administrativos: Jenin, Tulkarem, Tubas, Nablus, Qalqilya, Jericó e Al Aghwar, Salfit, Ramallah e al-Bireh, Jerusalém, Belém, Hebron, Gaza do Norte, Gaza, Deir Al-Balah, Khan Yunis e Rafah. Eu estive em Jericó (veja os destaques dos meus stories aqui), Jerusalém e em Belém. No entanto, também tive muitas recomendações para conhecer Nablus e Hebrón.

O Estado da Palestina possui cerca de 5 milhões de habitantes, sendo a maior parte formada por árabes muçulmanos. Israel possui 9,3 milhões de habitantes, sendo mais de 80% judeus.

Tudo isso é um assunto longo, delicado e complexo. Que, portanto, eu jamais conseguiria me aprofundar muito em umas poucas linhas. Entretanto, acho importante trazer um panorama geral do que acontece nessas regiões, pois sei que muitas pessoas têm receio de viajar para esses destinos, principalmente para a Palestina, justamente por não saberem muito sobre os conflitos, sua história e as questões de segurança nestes locais. 

É seguro viajar por Israel e Palestina?

Apesar dos conflitos evidentes nesses territórios, Israel e Cisjordânia são considerados seguros para viajar. No entanto, a região de Gaza é recomendado evitar.

Tanto Israel quanto Palestina recebem muito bem os turistas e possuem muitas atrações interessantes que atraem os viajantes.

Inclusive, Israel é um dos países mais bem desenvolvidos do mundo, com excelente infraestrutura pública, onde tudo parece funcionar bem. Além disso, Tel Aviv já foi considerada a cidade com maior custo de vida do mundo, em 2021. Mas acostume-se a ver muitos jovens empunhando metralhadoras e fuzis pelas ruas – todos são obrigados a servir o exército quando completam 18 anos, tanto homens como mulheres, e andam armados até mesmo em seus dias de folga.

Já a diferença de infraestrutura e “modernidade” é muito evidente quando adentramos o território da Palestina. No entanto, tive acesso a acomodações confortáveis, bons restaurantes e transporte público eficiente. Lá eu não presenciei pessoas armadas nas ruas. E fui positivamente surpreendida pela simpatia e receptividade do povo local.

Na minha viagem por esses destinos não tive nenhum tipo de problema relacionado à segurança, inclusive eles têm uma cultura de caronas muito interessante. Acredito até que foram os países onde mais consegui carona com bastante facilidade nos meus últimos 8 anos viajando o mundo.

E os ataques terroristas na Palestina e em Israel?

Sei que essa é uma preocupação comum, e a verdade é que, sim, o conflito é real e rotineiro. Inclusive quando estive em Jerusalém houve, por exemplo, um ataque a uma sinagoga que deixou alguns mortos. Na mesma semana, Israel bombardeou Gaza e atacou um povoado da Cisjordânia.

É intrigante estar lá e ver essas notícias acontecendo a poucos kilômetros de distância. No entanto, apesar de muito triste, esse é um conflito que dificilmente atinge turistas – é algo direcionado apenas entre eles. Israel, por exemplo, tem o que chamam de domo de ferro, um poderoso escudo anti-bombas que literalmente destrói os foguetes ainda no ar antes que toquem o solo israelense.

Eu sei que você deve estar lendo esse capítulo e questionando a real segurança de visitar esses territórios. Mas, pela minha experiência pessoal de um mês cruzando Israel e Palestina de maneira independente, me senti 100% segura em todos os momentos.

Os conflitos continuam até hoje entre os dois territórios, mas definir com precisão o lado “certo” da história não é possível, pois é um assunto delicado que possui muitas nuances em torno desses conflitos.

Assim, considero seguro viajar tanto por Israel quanto pelo território da Cisjordânia na Palestina.

Qual é a moeda de Israel e Palestina?

A moeda utilizada tanto na Palestina quanto em Israel é o Novo Shekel Israelense (ILS). No entanto, essa é uma moeda bastante forte, até mais do que o Euro, o que faz com que esses países não sejam os mais econômicos para se viajar para quem ganha em Real. 

Quando fazer uma viagem a Israel e Palestina?

Decidir em qual época fazer uma viagem a Israel e Palestina depende de alguns fatores pessoais. 

O inverno (dezembro a fevereiro), que representa a baixa estação, não é tão severo quanto em outros países. 

Assim, pode ser uma boa opção caso você queira fugir da alta estação (julho e agosto), onde tudo é mais caro e os locais são mais cheios. Eu fui no período de inverno e achei o clima aceitável, apesar de ser também a época de chuvas.

Ainda, você pode escolher, por exemplo, viajar nas meias estações, nos meses de setembro a novembro e de março a junho, onde encontrará temperaturas mais amenas.

No entanto, essa decisão tem muito a ver com o seu planejamento de viagem, e leva em conta fatores como flexibilidade de datas, preferência por estação, se você não se importa em ir na estação das chuvas (janeiro e fevereiro), etc.

Como se locomover na Palestina e em Israel?

Em uma viagem a Israel e Palestina, se locomover é uma tarefa simples. Por saber que essas são regiões de conflitos, achei que seria mais complicado transitar pelos países por conta das fronteiras entre os Estados. 

Entretanto, Israel e Palestina foram um dos lugares de toda a minha vida viajante onde eu consegui pegar caronas com bastante facilidade, além de ter tido experiências com pessoas locais super amigáveis e dispostas a me ajudar. 

Dito isso, é possível se locomover por esses territórios de diversas formas, sendo trem, ônibus e carro as maneiras mais comuns.

Se você curte viajar de carro, esses países são ótimos para isso, pois oferecem uma boa infraestrutura de estradas com ótima sinalização.

Além disso, são países pequenos, o que te possibilita percorrê-los em um curto espaço de tempo e com bastante flexibilidade.

Outro fator que acredito ser relevante sobre o transporte, é que em Israel o sistema de transporte público é integrado e você precisa de um cartão chamado Rav Kav que pode ser recarregado e utilizado em ônibus ou trens para se locomover de maneira local ou intermunicipal. 

Fronteiras entre Israel e Palestina

Apesar dos conflitos evidentes entre os dois Estados, a questão não chega a afetar os turistas (pelo menos, essa foi a minha experiência).

Assim, fazer uma viagem a Israel e Palestina é bastante tranquilo em termos de fronteiras entre os dois países e geralmente não há controles militares. Porém, por lei, como já comentei, israelenses são proibidos de acessar o território palestino. 

Se acontecer de você ter que passar por controles militares, provavelmente eles avaliarão seus documentos e te deixarão seguir normalmente.

Quantos dias ficar em Israel e Palestina?

Palestina e Israel são Estados relativamente pequenos. Contudo, há muitas atrações para visitar nos dois países. 

Assim, para uma viagem a Israel e Palestina eu recomendaria no mínimo 7 dias para contemplar algumas das principais cidades e atrações turísticas.

No entanto, para ter uma experiência mais imersiva e conseguir ver mais lugares com mais calma, recomendo de 10 a 20 dias para criar um roteiro bem interessante pela Terra Santa.

Que cidades conhecer na Palestina e em Israel?

A região da Palestina e de Israel é repleta de lugares que atraem o turismo religioso, já que é uma zona onde alguns eventos de três grandes religiões monoteístas (cristianismo, islamismo e judaismo) aconteceram.

Assim, existem muitos locais interessantes que valem a pena conhecer. Na Palestina, eu conheci e recomendo as cidades:

  • Jericó;
  • Belém.

Já em Israel, recomendo a visita a:

  • Nazaré;
  • Tel Aviv;
  • Mar Morto.

Além de Jerusalém, que pertence a ambos territórios.

Veja mais detalhes sobre cada uma dessas cidades!

Jericó

Jericó, Palestina, cidade mais antiga do mundo

Chegamos em Israel após atravessar a fronteira terrestre com o Egito. Portanto a primeira cidade depois da fronteira foi Eilat, em território israelense. 

De lá, resolvemos nos aventurar até Jericó, em território palestino, pegando carona para subir o país. 

Foi uma experiência incrível e no caminho ainda paramos por uma noite para dormir perto de Kahlia Beach, uma praia no Mar Morto. 

Jericó é conhecida como a cidade mais antiga do mundo ainda habitada – a cidade tem 10.000 anos de história –, e fica perto de Belém e Jerusalém, sendo portanto bastante popular na rota de turismo religioso.

Lá existem muitos pontos de interesse como:

  • Local de batismo de Jesus (Kasser Al Yahud);
  • Monte das Tentações;
  • Árvore de Zaqueu;
  • Hisham Palace;
  • Mar Morto.

Com um ou dois dias, você consegue conhecer as principais atrações de Jericó e suas proximidades.

Belém

Belém é outra cidade no território palestino muito famosa por fazer parte da rota de turismo religioso no país. A cidade é conhecida como o local de nascimento de Jesus Cristo.

Belém está a apenas 10 km de distância de Jerusalém e é cercada por um muro de separação que vem sendo construído desde 2002 por Israel para isolar o território palestino das regiões israelenses. 

Atualmente, o muro já tem uma extensão de 760 km e se tornou um local de manifestações artísticas na região.

Além do muro de separação, outros pontos de interesse na cidade são:

  • Igreja da natividade;
  • Gruta do leite;
  • Igreja de Santa Catarina;
  • Mesquita de Omar;
  • Walled Off Hotel (perto do muro de separação), etc.

Confira o artigo completo que escrevi sobre Belém, Palestina.

Nazaré

Caná da Galiléia e Nazaré, Israel - locais por onde Jesus passou

Nazaré fica em território israelense e é outro local de importância religiosa principalmente para o cristianismo.

A cidade é conhecida como o local onde viveu Jesus Cristo pela maior parte da sua vida, assim como o lugar onde ele operou seus primeiros milagres.

Nazaré é a cidade com a maior concentração demográfica de habitantes árabes de Israel, isso se comprova portanto com a forte influência da cultura árabe nas características da cidade.

A cidade oferece diversas atrações interessantes aos turistas como:

  • Jesus Trail;
  • Basílica da Anunciação;
  • Old City de Nazaré;
  • Monte do Precipício;
  • Holy Caves;
  • Caná da Galileia.

Leia o artigo: Nazaré, Israel: conheça a cidade de Jesus

Tel Aviv

Mulher na cidade de Tel Aviv, Israel

Tel Aviv é a cidade mais jovem de Israel, e é conhecida por seus muitos títulos. Entre eles, a capital do veganismo mundial, a cidade com o PIB mais alto do Oriente Médio e até a cidade com o custo de vida mais alto do mundo (em 2021).

Diferentemente de outras cidades de Israel e Palestina, Tel Aviv não é tão popular enquanto rota de turismo religioso, mas sim pela sua “vibe” festeira, moderna e descolada. 

Então, é um ótimo destino para sair um pouco da atmosfera de turismo religioso que a maioria dos viajantes busca quando vão a estes países. 

Algumas atrações para conhecer em Tel Aviv são:

  • Fazer um Free Walking Tour em Old Jaffa;
  • Conhecer as praias da cidade;
  • Ir ao Flea Market de Tel Aviv;
  • Aproveitar a vida noturna da cidade;
  • Ir a algum museu de Tel Aviv, etc.

Jerusalém

Jerusalém é uma das cidades mais famosas do país e um território muito desejado por Israel e Palestina. Algumas das religiões prevalentes nessa zona acreditam que a cidade é o centro do mundo.

A fama de Jerusalém não é sem razão, já que a cidade é realmente impressionante e respira história, cultura e religião. 

Foi nesse local sagrado que ocorreu a crucificação de Jesus Cristo, assim como, o lugar onde o profeta Maomé ascendeu aos céus.

Em Jerusalém está também o Muro das Lamentações, monumento fundamental para os povos judeus, que peregrinam anualmente para orar e fazer petições.

Assim, o que não faltam são coisas para fazer nessa cidade. Veja algumas sugestões:

  • Cidade amuralhada de Jerusalém (Old Town);
  • 4 bairros da cidade amuralhada;
  • Via Dolorosa;
  • Igreja do Santo Sepulcro;
  • Muro das Lamentações;
  • Monte das Oliveiras;
  • Jardim do Getsêmani;
  • Igreja de Todas as Nações;
  • Capela da Ascenção;
  • Monte do Templo;
  • Yad Vashem.
  • Bate-volta para o Mar Morto;
  • Bate-volta para o local de batismo de Jesus.

Produzi um artigo com dicas completas sobre a cidade de Jerusalém e recomendo bastante a leitura!

Agora que você já viu as principais informações sobre os dois países e as cidades mais visitadas para uma experiência completa de viagem a Israel e Palestina, veja então algumas sugestões de roteiro para 7, 10 ou 20 dias de viagem.

Roteiro Palestina e Israel para 7 dias

Um roteiro básico e bastante popular para quem tem pouco tempo em Israel e Palestina seria:

Jerusalém – 4 dias

Como mencionei, Jerusalém é cheia de atrações, além de ser bem central para conhecer outrs pontos importantes de Israel e da Palestina. Assim, separar cerca de 4 dias para ver tudo com calma na cidade e nas proximidades é o ideal. 

Além dos pontos de interesse na cidade, você também pode fazer um bate-volta para o Mar Morto ou para um dos lugares considerados como local de batismo de Jesus.

Os principais pontos de interesse são:

  • Cidade amuralhada de Jerusalém (Old Town);
  • 4 bairros da cidade amuralhada;
  • Via Dolorosa;
  • Igreja do Santo Sepulcro;
  • Muro das Lamentações;
  • Monte das Oliveiras;
  • Jardim do Getsêmani;
  • Igreja de Todas as Nações;
  • Capela da Ascenção;
  • Monte do Templo;
  • Yad Vashem.

Belém – 1 dia 

Nessa estrutura de roteiro, você pode, por exemplo, separar uma noite em Belém ou simplesmente fazer um bate-volta a partir de Jerusalém para a cidade. Minha recomendação, no entanto, é dormir uma noite lá se você puder.

Em Belém explore e conheça os seguintes locais:

  • Igreja da natividade;
  • Gruta do leite;
  • Igreja de Santa Catarina;
  • Mesquita de Omar;
  • Walled Off Hotel (perto do muro de separação), etc.

Tel Aviv ou Nazaré – 2 dias

Com o tempo curto, recomendo priorizar uma das duas cidades para conhecer. A decisão pode se basear no que você busca enquanto viajante. 

Por exemplo, se você quer fazer turismo religioso, conhecer Nazaré pode ser mais interessante.

No entanto, se você quer aproveitar uma vibe mais moderna e cosmopolita, Tel Aviv é ideal para isso.

Veja o que você pode conhecer nos dois lugares!

Tel Aviv:

  • Fazer um Free Walking Tour em Old Jaffa;
  • Conhecer as praias da cidade;
  • Ir ao Flea Market de Tel Aviv;
  • Aproveitar a vida noturna da cidade;
  • Ir a algum museu de Tel Aviv, etc.

Nazaré:

  • Basílica da Anunciação;
  • Old City de Nazaré;
  • Monte do Precipício;
  • Holy Caves;
  • Caná da Galileia.

Roteiro Israel e Palestina para 10 dias

Se você tem alguns dias a mais, a minha recomendação para um roteiro Israel e Palestina por 10 dias seria o mesmo roteiro de 7 dias, mas com a adição de Jericó e a visita tanto em Tel Aviv, quanto em Nazaré.

O roteiro seria então:

Jerusalém – 4 dias

Os principais pontos de interesse são:

  • Cidade amuralhada de Jerusalém (Old Town);
  • 4 bairros da cidade amuralhada;
  • Via Dolorosa;
  • Igreja do Santo Sepulcro;
  • Muro das Lamentações;
  • Monte das Oliveiras;
  • Jardim do Getsêmani;
  • Igreja de Todas as Nações;
  • Capela da Ascenção;
  • Monte do Templo;
  • Yad Vashem;
  • Bate-volta para o Mar Morto;
  • Bate-volta para o local de batismo de Jesus.

Belém (1 dia);

Em Belém, visite em um dia:

  • Igreja da natividade;
  • Gruta do leite;
  • Igreja de Santa Catarina;
  • Mesquita de Omar;
  • Walled Off Hotel (perto do muro de separação), etc.

Tel Aviv (2 dias)

Em Tel Aviv, faça as seguintes atividades:

  • Fazer um Free Walking Tour em Old Jaffa;
  • Conhecer as praias da cidade;
  • Ir ao Flea Market de Tel Aviv;
  • Aproveitar a vida noturna da cidade;
  • Ir a algum museu de Tel Aviv, etc.

Nazaré (2 dias)

Já em Nazaré, explore:

  • Basílica da Anunciação;
  • Old City de Nazaré;
  • Monte do Precipício;
  • Holy Caves;
  • Caná da Galileia.

Jericó – 1 dia

Com a adição de Jericó ao roteiro, você pode conhecer:

  • Local de batismo de Jesus (Kasser Al Yahud);
  • Monte das Tentações;
  • Árvore de Zaqueu;
  • Hisham Palace;
  • Mar Morto.

Roteiro Palestina e Israel para 20 dias

Já um roteiro de 20 dias pelos dois países significa que você consegue ver as principais cidades e adicionar outros destinos que também valem super a pena, mas não são normalmente as principais escolhas dos viajantes.

Uma opção de roteiro de 20 dias de viagem a Israel e Palestina recomendado é:

Jerusalém – 4 dias

Utilize o mesmo roteiro sugerido anteriormente:

  • Cidade amuralhada de Jerusalém (Old Town);
  • 4 bairros da cidade amuralhada;
  • Via Dolorosa;
  • Igreja do Santo Sepulcro;
  • Muro das Lamentações;
  • Monte das Oliveiras;
  • Jardim do Getsêmani;
  • Igreja de Todas as Nações;
  • Capela da Ascenção;
  • Monte do Templo;
  • Yad Vashem;
  • Bate-volta para o Mar Morto;
  • Bate-volta para o local de batismo de Jesus.

Belém – 1 dia

Em Belém, você pode conhecer:

  • Igreja da natividade;
  • Gruta do leite;
  • Igreja de Santa Catarina;
  • Mesquita de Omar;
  • Walled Off Hotel (perto do muro de separação), etc.

Tel Aviv – 2 dias 

Em Tel Aviv, você pode:

  • Fazer um Free Walking Tour em Old Jaffa;
  • Conhecer as praias da cidade;
  • Ir ao Flea Market de Tel Aviv;
  • Aproveitar a vida noturna da cidade;
  • Ir a algum museu de Tel Aviv, etc.

Nazaré – 2 dias

Em Nazaré, recomendo os seguintes pontos:

  • Basílica da Anunciação;
  • Old City de Nazaré;
  • Monte do Precipício;
  • Holy Caves;
  • Caná da Galileia.

Jericó – 2 dias

Com um dia a mais em Jericó, você pode fazer os programas com mais calma e conhecer:

  • Local de batismo de Jesus (Kasser Al Yahud);
  • Monte das Tentações;
  • Árvore de Zaqueu;
  • Hisham Palace;
  • Mar Morto.

Bate-volta para Petra, Jordânia, desde Jerusalém – 2 dias

Uma opção caso você tenha mais de 10 dias de disponibilidade na viagem é a de fazer um bate-volta de de dois dias de Jerusalém até Petra, na Jordânia.

Petra é um sítio arqueológico incrível e uma das principais atrações da Jordânia, portanto vale muito a pena conhecer.

A Abraham Tours, uma empresa parceira que me acompanhou durante essa viagem por Israel, realiza esses tours. Veja mais informações sobre o bate-volta para Petra a partir de Jerusalém.

Tiberias e Haifa (região do mar da Galileia) – 4 dias

Outros destinos interessantes são, por exemplo, Tiberias e Haifa. Você pode fazer base em Tiberias para conhecer alguns dos lugares nas redondezas como:

  • Cafarnaum;
  • Monte Arbel;
  • Monte das Bem-Aventuranças (Monte das Beatitudes);
  • Conhecer o mar da Galileia;

Você também pode dedicar alguns dias para conhecer Haifa – uma cidade portuária e a terceira maior cidade de Israel. 

No entanto, diferente de Tiberias, que tem uma vibe de natureza e calmaria, Haifa é cheia de atividades para se fazer e tem uma atmosfera mais “badalada”. 

Nós fizemos um voluntariado de 10 dias entre as duas cidades e economizamos cerca de R$4.000.

Mitzpe Ramon, no Deserto de Neguev – 3 dias

Não cheguei a visitar, mas ouvi dizer que Mitzpe Ramon é outro destino incrível de Israel, representando uma ótima oportunidade para se conectar com a natureza e vivenciar o deserto.

Recomenda-se de 2 a 3 dias para visitar o local e lá você vai encontrar a maior cratera do mundo, com 40 km de comprimento e milhões de anos de história.

Além disso, você pode viver a experiência de dormir no deserto e fazer atividades como trilhas e andar de bicicleta na região. 

Vale a pena fazer uma viagem a Israel e Palestina?

Se você se interessa por esse estilo de viagem, onde os aspectos culturais e religiosos são fundamentais para a experiência, certamente uma viagem a Israel e Palestina te proporcionará uma vivência inesquecível.

Com essas dicas de roteiro e informações importantes sobre esses territórios, você poderá fazer um planejamento para sua viagem e viver uma experiência incrível por esses países.

Espero que essas dicas tenham te ajudado a se organizar e planejar sua viagem. E se você pensa em alongar essa experiência em países vizinhos a Israel e Palestina, confira o artigo que escrevi com dicas de roteiros completos pelo Egito!

Índice

Artigos + Recentes

Conheça o Chile!

Fazemos Parte

Siga no Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *