Quanto custa morar no Deserto do Atacama?

0
Depois do meu último post aqui no blog sobre trabalhar no Atacama, muita gente começou a vir me perguntar quanto se gastava para morar aqui em San Pedro, qual o custo de vida aqui no deserto. Claro, uma dúvida comum para quem está pensando em vir trabalhar aqui.
A primeira coisa que posso te falar é que San Pedro de Atacama é um lugar simples. Não tem cinema, shopping, tem poucos bares, alguns restaurantes. Então não são tantas as opções para gastar dinheiro aqui. Também não tem ônibus e quase não tem taxi. A maioria dos lugares dá para ir a pé.
No entanto, acho algumas coisas aqui caras, como aluguel e mercado.
No post anterior falei quanto dá para ganhar aqui em San Pedro. Agora vou falar quanto se gasta para morar aqui.
Recomendo utilizar uma cotação de 180 para fazer a conversão dos valores em Pesos Chilenos para Reais. Você precisa pegar valor em Pesos e dividir por 180, aí chegará no valor em Reais.
Aluguel em San Pedro de Atacama
Esse certamente vai ser seu maior custo. Hospedagem aqui é caro, tanto para turistas, como para quem vive aqui. Em primeiro lugar, aqui não é fácil encontrar casas para alugar. A grande maioria das pessoas mora em quartos alugados.
O preço do aluguel mensal de um quarto varia de acordo com a localização (se é mais perto ou mais longe da rua Caracoles, a principal daqui) e algumas outras comodidades, como ter banheiro privativo ou compartilhado, ter cozinha compartilhada na casa, ter wifi (quase nunca tem). A mensalidade varia entre 100.000 pesos a 250.000 pesos, já incluído contas de luz e água – em alguns dá pra negociar, por exemplo, para um casal morar junto no quarto. Eu já morei em quarto por mais de dois meses. Confesso que fiquei meio agoniada com o passar do tempo, porque sentia falta de mais espaço. Mas a grande maioria das pessoas aqui vivem assim (até mesmo alguns donos de agências).
Já uma casa completa é mais difícil de conseguir. O aluguel normalmente varia entre 350.000 pesos e 600.000 pesos, a depender da localização e tamanho da casa. Hoje em dia nós moramos no nosso motorhome, mas a última casa onde moramos tinha ótima localização (uns 10 minutos andando da rua Caracoles), dois andares, dois quartos, um banheiro, cozinha e pátio. Era uma casa bem simples, mas um luxo para os padrões atacameños. Éramos 3 pessoas morando lá e pagavámos 400.000 pesos de aluguel mais uns 30.000 de água e luz por mês (tivemos que mobiliar a casa ao longo dos meses – calculo que nos últimos 4 meses gastamos cerca de 150.000 pesos com geladeira, um fogão de 3 bocas, colchão de casal, pallets, panelas, ventilador, coisas para banheiro e para cozinha).
Na cozinha lá de casa
Então, por mês, dá para gastar entre 100.000 e uns 250.000 pesos por pessoa com moradia.
A dica para encontrar casa aqui é o boca a boca. Comece perguntando ali pela Caracoles, ou escolha um bairro onde gostaria de morar e vá de porta em porta. Hoje eu moro no bairro El Carmen, adoro e indico. É um bairro residencial, muito perto do centro, e onde há mercadinhos. Eu já morei também em Quitor, e não gostei justamente porque não havia nenhum comércio perto (mas era perto da Caracoles também).
Alimentação em San Pedro de Atacama
Aqui depende muito se você mora numa casa que tenha cozinha ou não. Se não der para cozinhar, você vai acabar comendo mais na rua e gastando mais. Quando eu alugava apenas um quarto, para o café da manhã eu costumava comprar no mercado pão, queijo, abacate e algo para beber – ficava em torno de uns 2.000 pesos.
Os restaurantes mais em conta daqui estão no Los Carritos (em frente ao estacionamento da cidade). Lá uma refeição custa a partir de 2.500 pesos. A comida é bastante gostosa e com bom preço.
À noite muita gente começa a vender comida na rua também, e costumam ser boas, baratas e limpinhas. Tem opções desde sanduíche vegetariano, passando por empanadas até comida japonesa. O preço varia de 1.000 pesos (empanadas) a uns 4.000 pesos (comida japonesa).
Já se você tem cozinha em casa, poderá gastar menos e de repente comendo melhor (mais saudável). Por alto, eu diria que dá para gastar uns 6.000 pesos por dia em compras básicas no mercado para comer.
Exemplos de alguns preços no mercadinho aqui perto de casa em San Pedro:
Garrafa de água 1,5 litro – 1.000 pesos
Galão de água 20 litros – 2.500 pesos
Saco de pão integral – 2.400 pesos
Fatia de queijo – 200 pesos
Litro de leite – 1.100 pesos
Banana – 1.200 pesos/kg
Miojo – 600 pesos
Macarrão – 800 pesos
Tomate – 1.200 pesos/kg
Arroz – 1.100 pesos/kg
Carne – a partir de 3.500 pesos/kg
Ovo  – 170 pesos cada
Então, num dia, seus gastos com alimentação podem variar de 5.500 pesos até uns 10.000 pesos por dia – ou bem mais, a depender dos restaurantes onde você quer comer. Um restaurante mais caro, por exemplo, tem menu (entrada + prato principal + sobremesa) por 10.000 pesos.
Obs.: Como em San Pedro de Atacama não tem supermercado, a gente costuma ir ao menos uma vez por mês a Calama fazer “a compra do mês”. Lá tem muito mais opções e o preço é melhor. Normalmente a gente vai de carona e volta de ônibus (a passagem custa entre 3.000 e 4.000 pesos por pessoa).
Vida Social em San Pedro de Atacama
Como aqui em San  Pedro não tem muito o que fazer, as opções noturnas acabam sendo ir para algum barzinho. Aqui tem 5 bares, mas o único onde você pode chegar e pedir apenas uma cerveja, sem pedir nada para comer, é o ChelaCabur (é o único estabelecimento de San Pedro que tem licença de “bar”, os outros funcionam como “restaurante”). Lá a cerveja de litro custa 3.500 pesos. Em qualquer dos outros bares (Lola, Mal de Puna, Barros e Los Gor2), você precisa pedir algo para comer. Aí os custos podem subir um pouco.
Vou dar alguns exemplos de preços em bares daqui. No Los Gor2 tem cerveja de litro também (3.500 pesos) e opções de sanduíches (de 2.500 a 4.500 pesos). No Barros a long neck custa uns 2.500 pesos, e sempre recomendo pedir a pizza de lá, que é sensacional (9.000 pesos e serve umas 4 pessoas). No Lola, os drinks são ótimos. Eu gosto do Borgoña, que custa uns 3.000 pesos – as poucas vezes eu que vim aqui, eles me deixaram pedir apenas a bebida, mas normalmente cobram que você peça algo para comer. A gente gosta bastante de sair para tomar uma cervejinha. Calculo que por alto eu gaste uns 40.000 por mês em barzinhos.
Já vinho no mercado é bem barato, a garrafa saindo a partir de 1.500 pesos!
Âs vezes também rolam umas festas clandestinas aqui no deserto, e normalmente a entrada custa entre 5.000 e 10.000 pesos, mais o que se gasta com bebida lá. A gente costuma gastar uns 15.000 pesos a cada vez que vai (só fomos a 3 até hoje).
Locomoção em San Pedro de Atacama
Como eu já falei lá em cima, aqui não tem ônibus dentro da cidade. Então, se você não tem carro, as opções são ir a pé, de bike ou de táxi. Na minha opinião, o mais vantajoso é chegar aqui e comprar uma bike. O melhor lugar para encontrar uma bike para comprar aqui são uns grupos no Facebook que se chamam “Economicos San Pedro”. Vou deixar alguns links aqui embaixo:
Grupo 1:
Grupo 2:
Grupo 3:
Uma bike normalmente custa entre 40.000 e 200.000 pesos, a depender se é mais básica ou uma melhor, como de trekking.
Já uma corrida de táxi do centro até minha casa, por exemplo, custa 2.000 pesos. O máximo que já paguei em táxi para me deslocar por aqui foi 4.000 pesos.
Passeios
Um turista em San Pedro gasta bastante em passeios (tudo aqui é caro). Mas uma pessoa que trabalha com Turismo tem a oportunidade de fazer os mais diversos tours sem pagar nada. Eu nunca paguei por um tour aqui em San Pedro. Então eu diria que seu custo pode ser zero ou bem pouco para conhecer a região.
Extras
Claro que existem os gastos extras, como um dia em que a gente faz um churrasco em casa ou no clube, ou uma roupinha que precise comprar, algo para a casa. Enfim, eu colocaria aí no mínimo uns 30.000 pesos para gastos extras.
RESUMO…
Por mês você pode ter um gasto de uns 350.000 por mês (morando num quarto bem baratinho, quase não saindo à noite e economizando na comida) a uns 650.000 pesos (dividindo uma casa com alguém, comendo bem e em casa, indo a barzinhos) – mais o possível investimento em uma bike ao chegar aqui. Claro que pode ser bem mais a depender de como serão seus gastos, estou falando de uma média.
Viver em San Pedro é caro? Eu acho. Porém, o que se ganha aqui cobre esses custos e, sabendo usar seu dinheirinho, ainda dá para sobrar bem. Desde que eu cheguei aqui, meus ganhos sempre cobriram com folga meus gastos. E sempre sobrando para eu fazer meu pé de meia.

Carla Boechat é jornalista, mestranda, curiosa que só, carioca da clara, inquieta e turista por vocação - e criação. Sempre com a mochila e um sorriso prontos, aposta que toda estrada pode esconder uma dica em potencial. E aqui é assim: se ela foi e gostou, virou post!

Leave A Reply